Fatores de risco cardiovasculares em pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico e idade maior ou igual a 80 anos

Fatores de risco cardiovasculares em pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico e idade maior ou igual a 80 anos

Título alternativo Cardiovascular risk factor in 80-year and older stroke patients
Autor Pieri, Alexandre Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gabbai, Alberto Alain Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Neurologia/Neurociências - São Paulo
Resumo Background and Purpose – Ischemic stroke is usually a catastrophic event, mostly in the elderly. Advanced age itself is a risk factor for stroke and cardiovascular involvement is the leading cause of ischemic stroke in this age population. Atrial fibrillation is also an important risk factor for ischemic stroke and therefore risk stratification schemes are important in these patients for indicating antithrombotic therapyand prevent stroke. Low socioeconomic status is also associated with a higher risk for ischemic stroke. Objectives - To evaluate the prevalence of cardiovascular risk factors in patients with age 80 or older in a hospital population with ischemic stroke and the relationship between socioeconomic status and ischemic stroke in different age groups, using a new socioeconomic stratification model. Methods – Retrospective analysis of consecutive patients diagnosed with ischemic stroke admitted to a tertiary health facility. For this population, we described the prevalence of cardiovascular risk factors and, for the patients who had the diagnosis of atrial fibrillation, we applied CHADS2 score and CHA2DS2-VASc score. For assessment of the relationship beteween socioeconomic status and ischemic stroke, we evaluated the incidence of ischemic stroke in two hospitals that serve different socioeconomic populations in Sao Paulo, with a new geographic socioeconomic segmentation tool. The patients were stratified by socioeconomic status and age (30 to 64 years, 65 to 79 years and 80 years or older). We also compared the number of ischemic stroke patients with patients from control groups from the same hospitals, to obtain the ischemic stroke rates in both hospitals. The odds ratio between ischemic stroke rates in the hospitals was calculated. Results .There was a female preponderance (p<0.01) in 215 patients admitted for ischemic stroke. Considering patients over eighty, 72% had hypertension and atrial fibrillation was more common among the oldest old (p<0.01). Among those patients who had ischemic stroke and atrial fibrillation, no patient had CHADS2 score of 0 and 25.5% had score of 1. All patients with CHADS2 score of 1 were not under anticoagulation, but in retrospect, had CHA2DS2-VASc score . 2, i.e., with indication for oral anticoagulation. Three hundred and seventy-seven patients with ischemic stroke and 2,297 patients of control group were analyzed in both hospitals. There was a greater proportion of older patients in the higher socioeconomic status population (χ2obs= 28.7, df= 2, p-value < 0.0001). In all ages, the odds of ischemic stroke was significantly higher in patients with lower socioeconomic status than in those with higher status, with χ2obs=21.3 (p-value< 0.0001) for age 30 to 64 years; χ2obs=39.8 (p-value< 0.0001) for age 65 to 79 years; and χ2obs=14.1 (p-value= 0.0002) for ≥ 80 years patients. The odds ratios between ischemic stroke odds in both hospitals were 2.4, 3.6 and 2.7 for groups of ages 30 to 64 years, 65 to 79 years and 80 years or older, respectively. Conclusions – Hypertension and atrial fibrillation are prevalent risk factors and should be treated aggressively in the elderly. Risk stratification using CHA2DS2-VASc score would have optimized indication for oral anticoagulation in our patients. Our study showed that, in São Paulo, lower socioeconomic status is associated with a higher odds of ischemic stroke, independent of age.

Introdução: O acidente vascular cerebral isquêmico (AVCi) é geralmente um evento catastrófico, particularmente em pacientes com idade maior ou igual a 80 anos. A idade avançada já é um fator de risco para AVCi e o acometimento cardiovascular é a principal causa de AVCi nessa população. A fibrilação atrial também (FA) é um importante fator de risco para AVCi, por isso os esquemas de estratificação de risco são importantes na indicação de tratamento antitrombótico e prevenção do AVCi nestes pacientes. Além disso, nível socioeconômico baixo tem sido descrito como um fator de maior risco para AVCi. Objetivos: Avaliar a prevalência dos fatores de risco cardiovasculares em pacientes com idade maior ou igual a 80 anos em uma população hospitalar com AVCi. Avaliar a relação desta doença com o nível socioeconômico em diferentes grupos etários, utilizando um novo modelo de estratificação socioeconômica. Método: Análise retrospectiva de pacientes consecutivos com diagnóstico de AVCi num serviço de saúde terciário. Nesta população, nós descrevemos a prevalência dos fatores de risco cardiovasculares e para os pacientes com FA, nos aplicamos os esquemas de estratificacao CHADS2 score e CHA2DS2-VASc score. Para avaliar a relacao entre nivel socioeconomico e AVCi, avaliamos a incidencia de AVCi em dois hospitais que atendem populacoes de diferentes niveis socioeconomicos da cidade de Sao Paulo, classificando os pacientes com uma nova ferramenta de segmentacao geografica socioeconomica. Os pacientes foram estratificados por nivel socioeconomico e idade (30 a 64 anos, 65 a 79 anos e maior ou igual a 80 anos). Nos tambem comparamos o numero de pacientes com AVCi com pacientes de um grupo controle dos mesmos hospitais, calculando a taxa de AVCi em cada hospital. O odds ratio entre as taxas de AVCi dos dois hospitais foi calculada. Resultados: Houve um predominio do sexo feminino (p<0.01) em 215 pacientes admitidos com AVCi. Considerando os pacientes com idade maior ou igual a 80 anos, 72% tinham hipertensao arterial sistemica (HAS) e a FA foi mais comum entre os mais idosos (p<0.01). Dentre os pacientes com FA, nenhum apresentou CHADS2 score de 0 e 25.5% tiveram score de 1 previamente ao AVCi. Todos os pacientes com CHADS2 score de 1 nao estavam em uso de anticoagulante oral, mas tinham CHA2DS2-VASc score . 2, apresentando indicacao para este tratamento. Trezentos e setenta e sete pacientes com AVCi e 2.297 pacientes do grupo controle foram estudados nos dois hospitais. Houve uma maior proporção de pacientes mais idosos na população de nível socioeconômico mais alto (χ2obs= 28.7, gl= 2, p-value < 0.0001). Em todas as idades, a taxa de AVCi foi significativamente mais alta nos pacientes com nível socioeconômico mais baixo quando comparado com os pacientes com nível socioeconômico mais alto, com χ2obs=21.3 (valor de p< 0.0001) para idade de 30 a 64 anos; χ2obs=39.8 (valor de p< 0.0001) para idade de 65 a 79 anos; e χ2obs=14.1 (valor de p= 0.0002) para pacientes com idade maior ou igual a 80 anos. O odds ratios entre as taxas de AVCi nos dois hospitais foi de 2.4, 3.6 e 2.7 para os grupos etários 30 a 64 anos, 65 a 79 anos e maior ou igual a 80 anos, respectivamente. Conclusão: HAS e FA são fatores de risco prevalentes e devem ser sempre considerados para tratamento em idosos. Estratificação de risco com CHA2DS2-VASc score poderia ter otimizado a indicação de anticoagulação oral em nossos pacientes. Nosso estudo mostrou que, em uma população estudada do município de São Paulo, nível socioeconômico baixo é associado a mais altas taxas de AVCi, independente da idade.
Assunto Muito idosos
Risco vascular
Acidente cerebrovascular
Aged, 80 and over
Risk
Stroke
Fatores de risco
Risk factors
Doenças cardiovasculares/complicações
Cardiovascular diseases/complications
Prevalência
Prevalence
Fatores socioeconômicos
Socioeconomic factors
Estudos epidemiológicos
Epidemiologic studies
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data 2011-04-27
Publicado em PIERI, Alexandre. Fatores de risco cardiovasculares em pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico e idade maior ou igual a 80 anos. 2011. 179 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 179 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9640

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-12626.pdf
Tamanho: 1.321Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)