Fatores associados à letalidade e impacto da terapêutica em infecção de corrente sanguínea por Acintetobacter baumannii resistente a carbapenem em hospital universitário

Fatores associados à letalidade e impacto da terapêutica em infecção de corrente sanguínea por Acintetobacter baumannii resistente a carbapenem em hospital universitário

Título alternativo Factors associated with mortality and impact of therapy in patients with bloodstream infections caused by carbapenem resistant Acinetobacter baumannii in a university hospital
Autor Cavalcante, Ana Carolina Marteline Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Medeiros, Eduardo Alexandrino Servolo de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Acinetobacter baumannii is a leading cause of healthcare-associated infections. A better understanding of risk factors for acquisition and factors associated with mortality among patients with bloodstream infection caused by multidrug-resistant Acinetobacter baumannii, as well as, the appropriate therapy for these infections is needed. Objectives: The aim of this study is to analyze the factors associated with mortality in patients with bloodstream infection (BSI) caused by carbapenem-resistant Acinetobacter baumannii (CRAB) and to assess the impact of therapy among patients treated with polymyxin B and ampicillin-sulbactam for at least 48 hours. Method: A retrospective cohort study was conducted at São Paulo Hospital from January 1, 2000 to December 31, 2009. The identification of patients was done through data collection from the blood culture reporting and subsequent chart review. Patients were initially divided into those who died and those who survived and evaluated against exposure to various factors potentially associated with hospital mortality. Subsequently, patients treated with the polymyxin B and ampicillin/sulbactam were analyzed concerning to 14-day mortality. Results: A total of 150 episodes of bloodstream infection caused by carbapenem-resistant Acinetobacter baumannii was identified: male sex was predominant in 90 patients (60%), the median age was 62 years, 60 patients (40 %) were treated with polymyxin B and 28 (18.6%) were treated with ampicillin-sulbactam. The APACHE II score was greater than or equal to 15, in about 70% of cases. Regarding to deaths, there were 116 deaths corresponding to 77% of the population and the median time elapsed from hospital admission to death was 35 days. Multivariate analysis identified the use of hemodialysis (OD = 3.32, p = 0.044, CI 1.03 to 10.68), presence of septic shock (OR = 3.75, p = 0.036, CI 1.09 to 12, 87), polymicrobial infection (OD = 5.50, p = 0.036, CI 1.12 to 26.92) and elderly age (OD = 1.04, p = 0.003, CI 1.02 to 1.07) as independent risk factors for mortality in this population. Treatment with polymyxin B and ampicillin-sulbactam (OD = 0.07, p = 0.001, CI 0.02 to 0.33) was a protective factor. By analyzing specifically the 88 patients who received polymyxin B or ampicillin-sulbactam, the only variables found as predictors of 14-day mortality were: elderly age (OD = 1.04, p = 0.010, CI 1.01 to 1, 07) and polymyxin B treatment (OD = 5.56, p = 0.002, CI 1.87 to 16.49), while parenteral nutrition (OD = 0.21, p = 0.011, CI 0.06 to 0, 70) was a protective factor for this group. Conclusions: Bloodstream infections caused by carbapenem-resistant A. baumannii are a potentially serious infection. The independent factors associated with mortality were: use of hemodialysis, presence of septic shock, polymicrobial infection and elderly age. The treatment with polymyxin B was related to a greater mortality when compared to ampicillin-sulbactam. The use of early parenteral nutrition was a protective factor.

Acinetobacter baumannii é um dos principais agentes causadores de infecção associada à assistência a saúde, e, portanto, a melhor compreensão dos fatores associados à letalidade e fatores de risco para aquisição de Acinetobacter baumannii multirresistentes em pacientes com infecção de corrente sanguínea, bem como dados a respeito da escolha terapêutica, são necessários. Objetivos: Analisar os fatores associados a letalidade em pacientes com infecção de corrente sanguínea (ICS) por Acinetobacter baumannii resistente à carbapenêmicos e avaliar o impacto da terapêutica dos pacientes tratados com polimixina B ou ampicilina-sulbactam. Método: Trata-se de um estudo tipo coorte retrospectivo realizado no Hospital São Paulo durante o período de 01 de janeiro de 2000 a 31 de dezembro de 2009. A identificação dos pacientes foi realizada através de levantamento de dados da ficha de notificação de hemoculturas com posterior revisão dos prontuários. Os pacientes foram inicialmente divididos em óbitos e sobreviventes e avaliados quanto a exposição à diversos fatores potencialmente associados à letalidade hospitalar, posteriormente aqueles que foram tratados com os antimicrobianos em questão foram analisados em relação à letalidade em 14 dias. Resultados: Foi identificado um total de 150 episódios de infecção de corrente sanguínea por Acinetobacter baumannii resistente a carbapenêmicos; o sexo masculino foi predominante com 90 pacientes (60%) e a mediana de idade foi 62 anos, quanto a abordagem terapêutica, 60 pacientes (40%) foram tratados com polimixina B, 28 (18,6%) com ampicilinasulbactam. A gravidade avaliada pelo APACHE II foi maior ou igual a 15 em cerca de 70% dos casos. Com relação aos óbitos, houve 116 óbitos que correspondeu a 77% da população estudada e a mediana do tempo decorrido da internação até o óbito foi 35 dias. A análise multivariada identificou o uso de hemodiálise (OR = 3,32, IC 95% 1,03-10,68, p = 0,044) presença de choque séptico (OR = 3,75, IC 95% 1,09 - 12,87, p = 0,036), infecção polimicrobiana (OR = 5,50, IC 95% 1,12 – 26,92, p = 0,036) e idade mais elevada (OR = 1,04, IC 95% 1,02 - 1,07, p = 0,003) como fatores de risco independentes para mortalidade nesta população. O tratamento com polimixina B ou ampicilina-sulbactam (OR = 0,07, IC 95% 0,02 - 0,33, p = 0,001) foi um fator de proteção. Ao analisarmos especificamente os 88 pacientes que utilizaram polimixina B ou ampicilina-sulbactam, as únicas variáveis que foram preditores de risco para mortalidade em 14 dias foram: idade elevada (OR = 1,04, IC 95% 1,01 - 1,07, p = 0,010) e tratamento com polimixina B (OR = 5,56, IC 95% 1,87 - 16,49, p = 0,002); enquanto a nutrição parenteral (OR = 0,21, IC 95% 0,06 - 0,70, p = 0,011) foi fator de proteção para este grupo. Conclusões: As ICS por A. baumannii resistente aos carbapenêmicos são potencialmente graves e tem como fatores independentes de mortalidade o uso de hemodiálise, a presença de choque séptico, infecção polimicrobiana e idade mais elevada. O tratamento com polimixina B foi fator relacionado à maior mortalidade em comparação com ampicilina-sulbactam. O uso de nutrição parenteral foi relacionado à menor mortalidade.
Assunto Resistência a múltiplos medicamentos
Bacteriemia
Carbapenêmicos
Infecções por Acinetobacter
Idioma Português
Data 2011-04-27
Publicado em CAVALCANTE, Ana Carolina Marteline. Fatores associados à letalidade e impacto da terapêutica em infecção de corrente sanguínea por Acintetobacter baumannii resistente a carbapenem em hospital universitário. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 82 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9633

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-12573.pdf
Tamanho: 357.9Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)