Fator de crescimento do endotélio vascular na viabilidade do retalho musculofasciocutâneo abdominal transverso do músculo reto do abdome, após abdominoplastia, em ratos

Fator de crescimento do endotélio vascular na viabilidade do retalho musculofasciocutâneo abdominal transverso do músculo reto do abdome, após abdominoplastia, em ratos

Título alternativo Vascular endothelial growth factor on the transverse rectus abdominis myocutaneous flap viability after abdominoplasty in rats
Autor Freitas, André Luiz Pires de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia translacional - São Paulo
Resumo Introduction: Transverse rectus abdominis musculocutaneous (TRAM) flap may present necrosis, in pacients with risk factors. Abdominoplasty is a risk factor due to disruption and transection of vascular perforators. Perspectives on naked plasmid DNA encoding vascular endothelial growth factor (VEGF) as gene therapy for angiogenesis and neovascularization of TRAM flap harvesting after abdominoplasty, originated this study. Objective: The objective of this study was to determine the effect of VEGF plasmid DNA in TRAM flap’s rat model viability after abdominoplasty. Methods: Thirty-two Wistar rats were distributed into four groups (n=8). The caudal pedicled TRAM flap was harvested in all animals and it was the only procedure in the group I (TRAM). In groups II (Abdominoplasty) and III (Plasmid), an abdominoplasty procedure was performed with intramuscularly injection of saline solution and plasmid DNA without VEGF gene, respectively. In Group IV (VEGF) 100 micrograms of plasmid encoding VEGF, was injected into the rectus muscle. TRAM flaps were harvested thirty days after abdominoplasty. Results: TRAM group, Abdominoplasty group, Plasmid group and VEGF group showed a mean percentage of necrosis of 24.65%, 62.49%, 57.80% and 18,33%, respectively (p=0,001). TRAM flap’s immunohistochemical analysis with antibody HHF-35 showed a significant increase in number of vessels in the group IV. Conclusion: The plasmid vector including VEGF after abdominoplasty improved TRAM flap viability and the number of the vessels in rats.

Introdução: O retalho musculofasciocutâneo abdominal transverso do músculo reto do abdome (TRAM) pode apresentar necrose, sobretudo em pacientes com fatores de risco. A abdominoplastia representa um fator de risco devido à lesão de vasos perfurantes durante a sua execução. A perspectiva para a utilização de terapia gênica com o fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF) com vetor plasmidial, estimulando a neovascularização do retalho TRAM após abdominoplastia, originou este estudo. Objetivo: Determinar o efeito do VEGF plasmidial na viabilidade do retalho TRAM, após a Abdominoplastia, em ratos. Métodos: Trinta e dois ratos da linhagem Wistar-EPM foram distribuídos em quatro grupos (n = 8). O retalho TRAM de pedículo caudal direito foi realizado em todos os animais e foi o único procedimento realizado no grupo I (TRAM). Nos grupos II (Abdominoplastia) e III (Plasmídeo), o procedimento de abdominoplastia foi realizado com injeção intramuscular de solução salina e vetor plasmidial sem o gene que codifica o VEGF, respectivamente. No grupo IV (VEGF), 100 microgramas de vetor plasmidial com o gene foram injetados no músculo reto do abdome. O retalho TRAM foi realizado após trinta dias da abdominoplastia. Resultados: Os grupos TRAM, Abdominoplastia, Plasmídeo e VEGF mostraram uma média de porcentagem de necrose de 24,65%, 62,49%, 57,80% e 18,33%, respectivamente (p = 0,001). A imuno-histoquímica do retalho TRAM com o anticorpo HHF-35 mostrou um aumento significante do número de vasos no grupo IV. Conclusão: O VEGF plasmidial aumentou a viabilidade e o número de vasos no retalho TRAM após a abdominoplastia em ratos.
Palavra-chave Eletroporação
Fator de Crescimento do Endotélio Vascular
Necrose
Ratos
Retalhos Cirúrgicos
Reto do Abdome
Fusão Gênica Artificial
Idioma Português
Data de publicação 2009-03-25
Publicado em FREITAS, André Luiz Pires de. Fator de crescimento do endotélio vascular na viabilidade do retalho musculofasciocutâneo abdominal transverso do músculo reto do abdome, após abdominoplastia, em ratos. 2009. 114 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 114 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9630

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-00196a.pdf
Tamanho: 1.712MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-00196b.pdf
Tamanho: 1.816MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-00196c.pdf
Tamanho: 1.853MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta