Estudo da relação entre sensibilização comportamental ao etanol e estresse de restrição de movimentos: associação com níveis de corticosterona

Estudo da relação entre sensibilização comportamental ao etanol e estresse de restrição de movimentos: associação com níveis de corticosterona

Título alternativo Study of the relationship between ethanol induced behavioral sensitization and restraint stress: association with corticosterona levels
Autor Trindade, Ágatha Asano Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Souza-Formigoni, Maria Lucia Oliveira de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The relationship between drugs of abuse and stress has been demonstrated in several studies. On one hand, there are reports on cross sensitization between drugs of abuse and stressful evens. On the other hand, exposure to a stressor may induce sensitized behavioral response to a drug. Repeated administration of drugs may, however, induce a neuroendocrine sensitization of the hypothalamus-pituitaryadrenal axis (HPA) leading to a marked increase in the release of stress-related hormones. The objectives of the present study were to assess whether mice highly sensitized to the stimulant effect of ethanol presented high levels of corticosterone (CORT) after exposure to acute restraint stress (1 h) and whether an acute or repeated (7 days) exposure to this kind of stressor would affect the behavioral response to ethanol administration (acute and repeated). In the first experiment, mice were treated with 2.2 g/kg of ethanol or with saline and submitted to 1 h restraint stress. Blood samples were collected for determination of corticosterone (CORT) plasma levels. Exposure to stress increased CORT levels, but pre-treatment with ethanol or saline did not affect the hormone response. In Experiment 2, mice were first submitted to a 1 h restraint stress and 24 h later a 14-day treatment with ethanol or saline began. The pre-exposure to stress did not alter locomotor response to ethanol or saline, acute or repeatedly administered. On the 14th day of treatment, ethanol-treated mice presented higher CORT levels than saline-treated ones (p<0,05). In Experiment 3, mice were initially submitted to 1 h restraint stress for 7 days. After 24 h, the treatment with 2.2 g/kg of ethanol or saline started. Previous exposure to repeated (7 days) stress did not alter the mice’s locomotor response to ethanol or saline (acute or repeatedly administered). In a challenge carried out 4 days after the end of the treatment, ethanol-treated mice presented higher CORT levels than saline-treated ones (p<0,05). In addition, animals previously submitted to stress presented higher levels of CORT than non-stressed animals (p<0,05). These results suggest that sensitization to the stimulant effect of ethanol did not induce sensitization of the CORT response to restraint stress and that the acute or repeated exposure to restraint stress is not sufficient to alter the mice’s locomotor response to ethanol (acute or repeatedly). In summary, we did not observe cross sensitization between ethanol and 1 h restraint stress.

Há relatos de sensibilização cruzada entre drogas de abuso e eventos estressores. Por um lado, a exposição a um estressor pode induzir resposta comportamental sensibilizada a uma droga. Por outro lado, a administração repetida de drogas pode induzir uma sensibilização neuroendócrina do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA), levando a um aumento exacerbado da secreção de hormônios relacionados ao estresse. Os objetivos do presente estudo foram verificar se animais com alta sensibilização ao efeito estimulante do etanol apresentavam elevação dos níveis de corticosterona (CORT) em resposta ao estresse de restrição de movimentos e se a exposição (aguda ou repetida) a este estressor afetaria a resposta comportamental locomotora, aguda ou repetida, à administração de etanol. No experimento 1, camundongos cronicamente tratados com 2,2 g/kg de etanol (i.p.) ou com salina foram submetidos ao estresse de restrição por 1 h e amostras de sangue foram coletadas para dosagem de CORT plasmática. A exposição ao estresse aumentou os níveis de CORT, independente do pré-tratamento (etanol ou salina). No experimento 2, os camundongos foram inicialmente submetidos ao estresse de restrição por 1 h e 24 h depois, iniciou-se tratamento por 14 dias com etanol (2,2 g/kg) ou com salina. A exposição prévia ao estresse não alterou a resposta locomotora, aguda ou repetida, ao etanol ou salina. No 14º dia de tratamento, os animais que receberam etanol apresentaram maiores níveis de CORT do que os animais que receberam salina (p<0 05). No experimento 3, os camundongos foram inicialmente submetidos ao estresse de restrição por 7 dias (1h/dia) e 24h depois iniciou-se o tratamento com 2,2 g/kg de etanol ou com salina. A exposição prévia ao estresse repetido não alterou a resposta locomotora, aguda ou repetida, ao etanol ou à salina. No desafio realizado 4 dias após o final do tratamento, os animais que receberam etanol apresentaram maiores níveis de CORT do que os animais que receberam salina (p<0,05). Além disso, animais previamente submetidos ao estresse apresentaram maiores níveis de CORT do que animais não estressados (p<0,05). Esses resultados sugerem que a sensibilização ao efeito estimulante do etanol não induziu sensibilização da liberação de CORT em resposta ao estresse de restrição e que a exposição, aguda ou repetida, a este estresse não foi suficiente para influenciar a resposta locomotora ao etanol, aguda ou cronicamente. Ou seja, não foi observada sensibilização cruzada entre etanol e estresse de restrição.
Palavra-chave etanol
estresse
efeito estimulante
corticosterona
Idioma Português
Data de publicação 2006-04-26
Publicado em TRINDADE, Ágatha Asano. Estudo da relação entre sensibilização comportamental ao etanol e estresse de restrição de movimentos: associação com níveis de corticosterona. 2006. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2006.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9534

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Restrito-200600070.pdf
Tamanho: 505.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta