Estudo da regeneração de lesões no sistema nervoso central por terapia celular combinada à terapia gênica

Estudo da regeneração de lesões no sistema nervoso central por terapia celular combinada à terapia gênica

Título alternativo Study of regeneration of lesions in the central nervous system by cell therapy combined with gene therapy
Autor Norton, Yvette May Coulson-Thomas Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Porcionatto, Marimélia Aparecida Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Injury to the CNS of vertebrates leads to the formation of a glial scar and production of inhibitory molecules, including chondroitin sulphate proteoglycans. Various studies suggest that the sugar component of the proteoglycan is responsible for the inhibitory role of these compounds in axonal regeneration. By degrading chondroitin sulphate chains with specific enzymes, denominated chondroitinases, the inhibitory capacity of these proteoglycans is decreased. Chondroitinase administration involves frequent injections of the enzyme into the injury site or the insertion of a cannula in the animal for enzyme infusion, which constitute rather invasive methods. A single injection, into the injury site, of cells transfected with the gene for chondroitinase AC, so that this enzyme is continuously expressed and secreted, would be a prolonged and relatively less invasive form of administration. We have produced a vector containing the gene for Flavobacterium heparinum chondroitinase AC for expression in adult bone marrowderived cells which were then transplanted into an injury site in the murine CNS. The expression and secretion of active chondroitinase AC was observed in vitro using transfected Chinese hamster ovarian CHO and gliosarcoma 9L cells and in vivo by immunofluorescence analysis which showed degraded chondroitin sulphate coinciding with the location of transfected bone marrow-derived cells. Immunolabelling of the axonal outgrowth-associated protein GAP-43 was observed in vivo and coincided with the location of degraded chondroitin sulphate. Synaptophysin, a marker of active synaptic terminals, was observed in all animals that received bone marrow-derived cell transplants, whether transfected with the gene for chondroitinase AC or not. Spontaneous functional recovery was observed in non-treated animals; partial functional recovery was observed in animals that received a vehicle injection, non-transfected cells or cells transfected with the empty plasmid, but no recovery at all was observed in animals treated with chondroitinase-AC expressing cells. Although functional recovery was not observed, bone marrow-derived mononuclear cells, transfected with the plasmidial vector pcDNA3.1(+)-chondroitinase AC and transplanted into a CNS injury site, could still be a potential tool for studying an alternative chondroitinase delivery method.

Lesões no SNC resultam na formação de uma cicatriz glial e produção de moléculas inibitórias, incluindo proteoglicanos de condroitim sulfato. Vários estudos sugerem que o componente açúcar do proteoglicano seja a região responsável pelo papel inibitório da regeneração axonal desses compostos. A degradação das cadeias de condroitim sulfato por enzimas específicas, denominadas condroitinases, reduz a capacidade inibitória da regeneração neuronal destes proteoglicanos. Os meios de administração da condroitinase ABC utilizados na literatura até a presente data são invasivos e envolvem injeções freqüentes da enzima ou a inserção de uma cânula nos animais para infusão da enzima. Uma injeção única, na lesão, de células transfectadas com o gene da condroitinase AC, para que esta enzima seja continuamente expressa e secretada, seria uma forma prolongada relativamente menos invasiva de administração. Construímos um vetor contendo o gene da condroitinase AC de Flavobacterium heparinum para a expressão em células derivadas da medula óssea transplantadas em uma lesão no SNC murino. A expressão e secreção de uma forma ativa da condroitinase AC foram observadas in vitro usando as células ovarianas de hamster chinês CHO e células de gliosarcoma 9L, e in vivo através de análise por imunofluorescência que mostrou condroitim sulfato degradado coincidindo com a localização de células derivadas da medula óssea transfectadas. Imunomarcação para GAP- 43, proteína associada ao crescimento axonal, foi observada in vivo e coincidiu com a localização de condroitim sulfato degradado. Sinaptofisina, um marcador de terminais sinápticos, foi observada em todos os animais que receberam transplante de células derivadas da medula óssea, transfectadas ou não com o gene da condroitinase AC. Recuperação funcional espontânea foi observada em animais não-tratados. Recuperação parcial foi observada em animais que receberam injeção de veículo ou células nãotransfectadas ou transfectadas com o plasmídeo vazio, mas nenhuma recuperação foi observada em animais que foram tratados com células expressando condroitinase AC. Embora recuperação funcional não tenha sido observada, o transplante de células derivadas da medula óssea transfectadas com o vetor plasmidial pcDNA3.1(+)-condroitinase AC, em lesões no SNC, ainda poderia ser uma ferramenta útil para estudar uma forma alternativa de administração da condroitinase.
Palavra-chave Condroitin sulfato
Células derivadas da medula óssea
Lesão
Sistema nervoso central
Condroitinase AC
Idioma Português
Data de publicação 2008-06-25
Publicado em NORTON, Yvette May Coulson-Thomas. Estudo da regeneração de lesões no sistema nervoso central por terapia celular combinada à terapia gênica. 2008. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2008.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9532

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-10863a.pdf
Tamanho: 1.923MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863b.pdf
Tamanho: 1.434MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863c.pdf
Tamanho: 1.797MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863d.pdf
Tamanho: 1.587MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863e.pdf
Tamanho: 1.954MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863f.pdf
Tamanho: 2.007MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863g.pdf
Tamanho: 1.254MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863h.pdf
Tamanho: 1.782MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863i.pdf
Tamanho: 1.354MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-10863j.pdf
Tamanho: 1.884MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta