Estudo da incidência de síndrome pré-menstrual em atletas jovens e sua influência na resistência muscular

Estudo da incidência de síndrome pré-menstrual em atletas jovens e sua influência na resistência muscular

Título alternativo Study of the incidence of premenstrual syndrome in young athletes and their influence on the muscular endurance
Autor David, Alexandra Martins Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lopes, Antonio Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The practice of sports along with the benefits for health, has a positive influence in well-being and body image. Despite the great number of women performing sports there are only few studies about anatomical, psychological and especially hormonal aspects that affect performance, focusing in the influence of hormonal changes in the women body. A great part of these studies mention the relation between menstrual cycle and performance, but they don´t consider perimenstrual alterations. The prevalence of perimenstrual syndromes (PMS) in Brazil varies between 8 to 86%. These percentages enhance the importance of perimenstrual syndromes in the performance for competitive and non-competitive athletes. We studied thirtyone handball athletes, with normal menstrual cycles and non users of hormones. A questionnaire of pre-menstrual symptoms has been applied for three consecutive months and the diagnosis was made based upon the total score of six days preceeding menstruation, compared to the score of 5 to 10 days after menstruation. The diagnosis of perimenstrual syndrome was established when the athlete presented four or more symptoms, including one having to do with an altered mood. For the evaluation of strength we compared the capacity to perform resistance exercises of the abdominal wall muscles and leg muscles. The prevalence of perimenstrual syndromes in our study was 71%. We analyzed our data in a cross-sectional and longitudinal study, finding that athletes with PMS were less capable to do the resistance exercises during the pre-menstrual period compared to the post menstrual period, suggesting a decrease in performance. We were able to demonstrate that athletes evaluated in two different times showed a decrease in resistance of abdominal muscles ( p< 0,01 e p< 0,01), leg muscles ( p <0,01 e p < 0,07) and arm muscles ( p< 0,01 e p< 0,01) differences statistically significant. Asides the high prevalence of perimenstrual syndrome in the group of athletes we studied, we were able to demonstrate in this group a decrease in performance in athletes performing resistance exercises during pre-menstrual period.

A prática de esportes e exercícios físicos e atividade saudável de modo que devemos estimular sua prática por indivíduos de ambos os sexos. Apesar do grande aumento do número de mulheres no esporte, e escassa a literatura sobre aspectos próprios do gênero que afetam 0 desempenho das praticantes de exercício físico. Embora existam muitas pesquisas relatando como 0 exercício afeta a menstruação, são poucos os estudos de como 0 ciclo menstrual interfere no desempenho feminino. A maioria dos estudos cita a relação do desempenho e 0 ciclo menstrual, mas não levam em consideração as alterações do ciclo conhecidas como moléstias perimenstruais. A prevalência de Síndrome pré-menstrual (SPM) no Brasil esta presente entre 8% e 86% dependendo da intensidade dos sintomas. Observando este percentual, e essencial 0 estudo da prevalência da SPM em atletas e na capacidade destas em realizar atividades físicas competitivas ou não. Com este objetivo trinta e uma atletas de handebol em idade fértil, sem uso de contraceptivos foram avaliadas, sendo aplicado um diário de sintomas pré-menstruais por um período de três meses consecutivos, utilizando-se para 0 diagnóstico a somatória dos sintomas nos seis dias que antecedem a menstruação (fase lútea), comparado ao escore obtido nos seis dias após início da menstruação (fase folicular). Para a avaliação da força muscular foram utilizados exercícios especifícos para os músculos abdominais, de membros inferiores e musculatura de tranco e membros inferiores. A prevalência de SPM nas atletas estudadas foi de 71 %.Nossos resultados foram analisados de maneira transversal e longitudinal, sendo constatado que 0 grupo de atletas com a SPM apresentou menor freqüência de repetições, nos exercícios de resistência, no período pré-menstrual em comparação com 0 período pós-menstrual, mostrando que 0 grupo SPM possui menor desempenho durante a fase pré-¬menstrual em relação ao grupo sem SPM. Constatamos que 0 grupo com SPM avaliado em dois momentos apresentou diminuição da resistência de músculos abdominais ( p< 0,01 e p< 0,01), de músculos de membros inferiores ( p <0,01 e p < 0,07) e de membros superiores ( p< 0,01 e p< 0,01) estatisticamente significantes. Evidenciou-se que além da alta incidência de SPM em atletas, existe uma associação da SPM com a diminuição do desempenho no período pré-menstrual. Contudo, mais estudos devem ser realizados para avaliar a interferência destes sintomas na prática esportiva.
Palavra-chave Síndrome pré-menstrual
Exercício
Força muscular
Ciclo menstrual
Idioma Português
Data de publicação 2008-07-30
Publicado em DAVID, Alexandra Martins. Estudo da incidência de síndrome pré-menstrual em atletas jovens e sua influência na resistência muscular. 2008. 78 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2008.
Área de concentração Clínica médica
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 78 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9524

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-030.pdf
Tamanho: 301.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta