Estimativa da ocorrência de infecção aguda pelo vírus da hepatite A com base em dados sorológicos obtidos na rede brasileira de laboratórios clínicos

Estimativa da ocorrência de infecção aguda pelo vírus da hepatite A com base em dados sorológicos obtidos na rede brasileira de laboratórios clínicos

Título alternativo Estimated occurrence of acute hepatitis A virus infection based on serological data from Brazilian clinical laboratories
Autor Pelegrini, Andréia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Granato, Celso Francisco Hernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Several studies have shown a decline in hepatitis A virus (HAV) infection in Brazil over the last years. Seroepidemiological data indicate a shift from high to intermediate endemicity; however, there is still a lack of surveillance data about the incidence of infection. Considering that these data can reflect transmission patterns in the community and characterize population groups at risk of infection, the aim of this study was to estimate the occurrence of acute HAV infection based on serological data from Brazilian clinical laboratories. Laboratories that performed serological tests for anti-HAV IgM were voluntarily enrolled in this study. Based on their databases, the anti-HAV IgM status, sex, age and geographical origin were informed. Statistical analysis was carried out using the SPSS version 11.0 program. Between January and December 2008 57,405 tests were reported. The individuals aged between 0 and 108 years (average 34.3 ± 17.7 years and median 33 years) and 51.9% were females. Overall anti-HAV IgM positivity was 6.6% and the seropositivity rate for each Brazilian region was 2.3%, 4.5%, 6.4%, 15.2% and 16.2% for Southern, Southeast, Midwest, Northern and Northeast respectively. An association was found between risk of infection and individuals in the 3-19 years age group. An increased occurrence was detected in the 0-10 years age group and the risk decreased with age in the other groups. These data showed significative regional differences related to hepatitis A epidemiology in Brazil, reflecting distinct levels of socioeconomic status. In addition, they suggest a decrease in the occurrence of infection among children and a consequent increase in the susceptibility among adolescents and adults who are at risk of more severe disease. Taken together, these results may contribute to make decisions about vaccination policies and other public health initiatives to reduce the infection in our country.

Nos últimos anos, estudos de soroprevalência vêm apontando mudanças nos padrões de endemicidade da infecção pelo vírus da hepatite A (VHA) no Brasil, isto é, uma alteração do padrão de alta endemicidade para intermediária. No entanto, dados de incidência ainda são escassos em âmbito nacional. Considerando que esses dados podem refletir alterações nos padrões de transmissão da infecção e caracterizar grupos de risco, o objetivo deste estudo foi estimar a ocorrência de infecção aguda pelo VHA com base em dados sorológicos obtidos na rede brasileira de laboratórios clínicos. A coleta de dados se deu mediante contato telefônico e eletrônico com as maiores instituições privadas do país que atuam no setor de medicina diagnóstica, onde foram obtidos dados laboratoriais (resultado dos testes para detecção de anticorpos IgM contra o VHA) e demográficos (sexo, idade e local de origem de cada paciente). Para a análise estatística foi utilizado o programa SPSS versão 11.0. No período de Janeiro a Dezembro de 2008 foram reportados 57.405 testes. A idade dos pacientes variou de 0 a 108 anos (média de 34,3 ± 17,7 anos e mediana de 33 anos) e 51,9% eram indivíduos do sexo feminino. Deste total, 6,6% apresentaram positividade para o anti-VHA IgM, sendo que as maiores taxas foram encontradas nas regiões Nordeste (16,2%) e Norte (15,2%), seguidas pelas regiões Centro-Oeste (6,4%), Sudeste (4,5%) e Sul (2,3%). Houve associação entre risco de infecção e indivíduos entre 3 e 19 anos. Aumento da frequência com a idade foi observada em indivíduos de 0 a 10 anos e, nos demais grupos etários, o risco foi menor quanto maior a idade dos indivíduos. Tais achados apontam importantes diferenças regionais quanto à epidemiologia da hepatite A no país, considerando que essa heterogeneidade reflete níveis distintos de desenvolvimento sócio-econômico. Além disso, sugerem uma diminuição na ocorrência de infecção em crianças e consequente aumento no número de indivíduos susceptíveis, especialmente adolescentes e adultos, nos quais a doença pode evoluir para formas mais graves. Sendo assim, esses resultados podem contribuir para a tomada de decisão quanto às estratégias de vacinação e outras iniciativas em saúde pública que terão impacto na redução da infecção em nosso meio.
Palavra-chave Infecção aguda
Ocorrência
Hepatite A
Estudos transversais
Prevalência
Hepatite A/epidemiologia
Doença aguda
Infecção
Idioma Português
Data de publicação 2011-06-29
Publicado em PELEGRINI, Andréia. Estimativa da ocorrência de infecção aguda pelo vírus da hepatite A com base em dados sorológicos obtidos na rede brasileira de laboratórios clínicos. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9482

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12844.pdf
Tamanho: 802.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta