Endoftalmite bacteriana: aspectos epidemiológicos e diagnósticos

Endoftalmite bacteriana: aspectos epidemiológicos e diagnósticos

Título alternativo Bacterial endophthalmitis: epidemiologic and diagnostic aspects
Autor Melo, Gustavo Barreto de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Farah, Ana Luisa Hofling de lima Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Purpose: To report on the incidence, diagnostic technique, microbiological features of endophthalmitis at a university-setting in Brazil. Methods: All cases of presumed postoperative endophthalmitis from 2002 to 2008 at a teaching-hospital were included. Main data assessed were: number of cataract surgeries performed, incidence of endophthalmitis, microbiological outcome (aqueous and/or vitreous culture and Gram staining), and antimicrobial susceptibility testing of the positive cases. Results: Seventy-three eyes of 73 patients (43 females and 30 males) developed endophthalmitis after 24,590 cataract surgeries. The incidence decreased from 0.49% in 2003 to 0.17% in 2006 and stabilized afterwards. Coagulase negative Staphylococci (CoNS) and Streptococcus viridans (56.5% and 15%, respectively) were the most common bacterial isolates. Culture and Gram stain were negative in 36.9%. CoNS presented susceptibility rates of 80%-sensitivity to oxacillin, 90% to fourth-generation quinolones and 100% to vancomycin. Conclusions: The rate of endophthalmitis, diagnostic ability of conventional laboratory investigation, microbial isolates and antibiotic susceptibility are in accordance with other findings of the literature. Despite using prophylactic antibiotic drops, it was possible to identify organisms from infected cases that were susceptible to the antibiotics topically applied.

Objetivos: I- Relatar a incidência de endoftalmite bacteriana e a frequência dos microorganismos identificados numa instituição brasileira. II- Avaliar a frequência de microorganismos isolados de pacientes com endoftalmite bacteriana e sua suscetibilidade antimicrobiana. III- Determinar a aplicabilidade da reação em cadeia de polimerase em tempo real (PCR em tempo real) no diagnóstico de endoftalmite bacteriana pós-operatória em casos diagnosticados clinicamente, e avaliar a presença de DNA bacteriano em amostras-controles. Métodos: I- Todos os casos com diagnóstico clínico de endoftalmite pós-operatória de 2002 a 2008 foram incluídos nesta análise retrospectiva. Foram avaliados: número de cirurgias de catarata, incidência de endoftalmite, positividade dos exames laboratoriais de bacterioscopia e cultura de aquoso e vítreo e os resultados dos antibiogramas. II- Foi feita análise retrospectiva de prontuários de pacientes com suspeita diagnóstica de endoftalmite bacteriana. As seguintes informações foram avaliadas: número de casos com diagnóstico clínico de endoftalmite e com cultura positiva, fatores predisponentes para a infecção, bacterioscopia e cultura (aquoso e/ou vítreo), caracterização microbiológica e sua frequência, bem como suscetibilidade antimicrobiana. III- Foram incluídas amostras de olhos de pacientes com diagnóstico clínico de endoftalmite, de provável origem infecciosa, após cirurgia de catarata, assim como amostras de vítreo e de aquoso de olhos sem infecção ou reação inflamatória para controle. Foi realizada PCR em tempo real universal e específica para Gram bem como foram determinados sensibilidade e limiar de ciclos (Ct) da reação. Também foram realizadas bacterioscopia e cultura para as amostras clínicas. Resultados: I- Setenta e três olhos de 73 pacientes (43 do sexo feminino e 30 do masculino) desenvolveram inflamação ocular de provável etiologia infecciosa após 24.590 cirurgias de catarata. A incidência reduziu-se de 0,49% em 2003 para 0,17% em 2006 e estabilizou-se nos anos subsequentes. Staphylococcus coagulase-negativa (SCoN) e Streptococcus viridans (56,5% e 15%, respectivamente) foram as bactérias mais comuns. Cultura e bacterioscopia foram negativas em 36,9%. SCoN apresentou taxas de sensibilidade de 80% à oxacilina, 90% às quinolonas de quarta geração e 100% à vancomicina. II- Cento e sete (46%) de 231 pacientes com endoftalmite bacteriana tiveram resultados positivos por bacterioscopia ou cultura. Desses, 97 (42%) pacientes tiveram positividade apenas na cultura. A maioria (62%) foi decorrente de procedimento cirúrgico (pós-operatório), 12% após trauma e 26% de fonte desconhecida. Foram isolados 100 micro-organismos (38 amostras de aquoso e 67 de vítreo) de 97 casos positivos na cultura. SCoN foram os mais frequentemente isolados (48%), seguidos por Streptococcus viridans (18%) e Staphylococcus aureus (13%). A suscetibilidade antimicrobiana para SCoN foi: vancomicina - 100%, cefalotina – 97,9%, cloranfenicol – 91,8%, amicacina – 91,6%, moxifloxacino – 89,5%, tobramicina – 85,4% gatifloxacino – 79,5%, gentamicina – 72,9%, ofloxacino – 70,8%, ciprofloxacino – 62,5%, oxacilina – 58,3%, ceftriaxona – 50% e penicilina – 33,3%. III- Onze pacientes com endoftalmite infecciosa (9 amostras de vítreo e 7 de aquoso) após cirurgia de catarata foram incluídos, assim como 12 amostras de vítreo e 50 de aquoso de olhos-controles. Foi possível identificar 80% e 70% dos pacientes com endoftalmite infecciosa por meio de bacterioscopia e cultura, respectivamente. PCR em tempo real foi positiva em 91% dos pacientes utilizando-se amostras de aquoso e/ou vítreo. Nenhum dos 12 vítreos-controles foi positivo por PCR em tempo real. Duas das amostras-controles de aquoso foram positivas. O ponto de corte do limiar de ciclos para PCR universal foi 36 (sensibilidade: 93,8%; especificidade: 100%) e 38 para PCR gram-específico (sensibilidade: 93,8%; especificidade: 100%). Micro-organismos gram-positivos predominaram e a acuidade visual variou de acordo com a bactéria causadora. Conclusões: I- A incidência de endoftalmite bacteriana, os micro-organismos isolados e a sensibilidade aos antibióticos estão em acordo com a literatura. Apesar do uso profilático de colírio antibiótico, casos de infecção foram identificados em bactérias sensíveis aos antibióticos usados topicamente. II- Bactérias gram-positivas foram as principais causas de endoftalmite infecciosa. SCoN foi o isolado mais comum e a suscetibilidade à oxacilina e às quinolonas de quarta geração foi menor do que relatado na literatura. III- PCR em tempo real é um método diagnóstico rápido e sensível nos casos de endoftalmite bacteriana. Sendo um método quantitativo, também pode servir para uma nova e distinta aplicação: diferenciação entre contaminação e infecção com base nos valores de limiar de ciclos.
Palavra-chave Reação em cadeia de polimerase
Polymerase chain reaction
Testes de sensibilidade microbiana
Microbial sensitivity tests
Endoftalmite/epidemiologia
Endophthalmitis/epidemiology
Endoftalmite/diagnostico
Endophthalmitis/diagnosis
Idioma Português
Data de publicação 2011-02-22
Publicado em MELO, Gustavo Barreto de. Endoftalmite bacteriana: aspectos epidemiológicos e diagnósticos. 2011. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9452

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12459.pdf
Tamanho: 621.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta