Efetividade do tratamento da dor pós-operatória de pacientes submetidos a cirurgia abdominal de médio e grande porte em dois hospitais públicos de Brasília

Efetividade do tratamento da dor pós-operatória de pacientes submetidos a cirurgia abdominal de médio e grande porte em dois hospitais públicos de Brasília

Título alternativo Effectiveness of the treatment of postoperative pain in patients undergoing surgery abdominal medium and large sizes in two public hospitals in Brasilia
Autor Gaudard, Ana Márcia Yunes Salles Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Saconato, Humberto Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Introduction: Moderate to intense pain is prevalent after surgical procedures and it is associated with increases in postoperative morbidity and mortality. Objective: Evaluate the effectiveness of control and the factors associated with perception of pain intensity in patients undergoing abdominal surgery in hospital surgical clinics of two public hospitals in Brasilia Methods: Transversal and descriptive study, through document analysis, and interviews with patients, performed at two public hospitals from Brasilia. Data were collected about clinical features, surgical procedures and pain management from 342 patients. Pain was evaluated using the visual analog scale on the first 48 postoperative hours. The results were compared with data encountered on the bibliographic review. Results: 100% of patients in the prescription of analgesics postoperative was not based on the best scientific evidence. Moderate to intense pain was observed in 38.9% of patients. The most prescribed analgesic drug was dipyrone (83.6%). Of the patients using dipyrone alone, 29.2% of patients reported moderate to intense pain. Moderate to intense pain was significantly associated with women, with the use of anesthetic procedures other than epidural and therapeutic plans prescribed by the attending doctor. The majority of patients (50.9%) didn’t receive previous information about postoperative pain, 61% of patients who were in pain didn’t ask for relief and 80% of them had records of pain assessment, but without the use of scales and pain characterization. Conclusions: Postoperative pain management in the evaluated hospitals does not follow conducts based on the best evidence. The postoperative pain was more severe in female patients and in patients under treatment regimens prescribed by staff

Introdução: A dor de intensidade moderada a forte é prevalente após procedimentos cirúrgicos e está associada com aumento de morbidade e mortalidade pós-operatória. Objetivo: Avaliar a efetividade do controle e os fatores associados à percepção da intensidade da dor de pacientes submetidos a cirurgia abdominal internados nas clínicas cirúrgicas de dois hospitais públicos de Brasília. Métodos: Estudo descritivo e transversal, por meio de análise documental e entrevista de pacientes, realizado em dois hospitais públicos de Brasília. Foram coletados dados sobre características clínicas, procedimentos cirúrgicos e condutas no controle da dor de 342 pacientes. A dor foi avaliada pela escala visual analógica nas primeiras 48 horas do período pós-operatório. Os resultados foram comparados com os dados obtidos na revisão bibliográfica. Resultados: Em 100% dos pacientes a prescrição de analgésicos no pós-operatório não foi baseada nas melhores evidências científicas. Foi observada dor moderada a forte em 38,9% dos pacientes. O analgésico mais prescrito foi a dipirona (83,6%). Dos pacientes com uso isolado de dipirona, 29,2% dos pacientes relataram dor moderada a forte. Dor moderada a forte foi significativamente maior em mulheres do que em homens; em pacientes submetidos à anestesia geral e raquianestesia em comparação com a anestesia peridural; e em pacientes sob esquemas terapêuticos prescritos pelo staff, quando cotejados com tratamentos prescritos por residentes. Não houve diferença significativa em relação a idade e etnia. A maioria dos pacientes (50,9%) não recebeu informações prévias sobre a dor pós-operatória; 61% dos que sentiram dor não solicitaram alívio; e 80% tinham registros de avaliação da dor, mas sem uso de escalas e caracterização da dor. Conclusões: O controle da dor pós-operatória nos hospitais avaliados não seguiu as condutas baseadas nas melhores evidências. A dor pós-operatória foi mais intensa nos pacientes do sexo feminino e nos pacientes sob esquemas terapêuticos prescritos pelo staff.
Palavra-chave Analgesia
Analgesia
Dor pós-operatória
Escala visual analógica
Mensuração da dor
Pain measurement
Postoperative pain
Visual analog scale
Dor
Pain
Idioma Português
Data de publicação 2010-10-27
Publicado em GAUDARD, Ana Márcia Yunes Salles. Efetividade do tratamento da dor pós-operatória de pacientes submetidos a cirurgia abdominal de médio e grande porte em dois hospitais públicos de Brasília. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 61 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9439

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-007.pdf
Tamanho: 442.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta