Efetividade das medidas de controle e prevenção das infecções em unidade neonatal de um hospital público de referência na Amazônia

Efetividade das medidas de controle e prevenção das infecções em unidade neonatal de um hospital público de referência na Amazônia

Título alternativo Effectiveness of infection control prevention measures in a neonatal unit of an Amazon reference public hospital
Autor Saraty, Salma B. Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Almeida, Maria Fernanda Branco de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Introduction: Recent researches have emphasized zero tolerance against nosocomial infection (NI), no longer accepted as a consequence of admission to the Neonatal Intensive Care Unit (NICU). Objective: To evaluate the effectiveness of the implementation of control and prevention measures on the incidence density of NI in the neonatal ICU. Method: Prospective cohort study with intervention, which included infants with one or more NNISS’s criteria, performed in a reference public neonatal ICU in the Amazon region. The evaluation was made in two periods: pre-intervention (Jan/01/05 - Jun/30/05) with 1173 patients and postintervention (Jan/01/06 - Jun/30/06) with 855 patients. The intervention included the implementation of team training on the technique for hand hygiene (Jul/05), 2% chlorhexidine for skin antisepsis in surgical dressing and vascular puncture and 70% alcohol gel for hand hygiene (Sep/05), rationalization of antimicrobial, hematological score and C-reactive protein serials for suspension of antibiotic therapy (Sep/05) and contact isolation to NI caused by resistant germs (Nov/05). During the study, the percutaneous inserted central catheter was not used. NI was considered according criteria of Garner et al (1988). Monthly incidence densities of NI and the density of central catheter and mechanical ventilation were calculated in pre-and post-intervention period. Clinical characteristics between the two groups were compared with test t and chi-square and the incidence densities of NI and the densities of catheters and ventilators, according to the Poisson distribution. Results: Demographic characteristics were similar in both periods (average birthweight 2250g and 34 weeks gestational age, BW <1500 g - 18%, male - 53% and major surgery - 4%). The period pre-intervention versus post-intervention showed patients with NI - 22% vs 13% (p <0.001) and VLBW infants with NI - 61% vs 27% (p <0.001). The number of patient-days was 16,606 and 15,060 respectively in pre and postintervention. The comparison among the two period showed that the incidence density of NI reduced from 20.6 to 10.0 per 1000 patient-days and the density of bloodstream infection associated with catheter use was 30.5 to 10.0 per 1000 catheter-days, while the density of central catheter use increased from 50.1 to 63.6. The pneumonia associated to mechanical ventilation was reduced from 22.9 to 6.5 per 1000 ventilator-days, and the density of use of ventilation remained between 11.6 and 15.5 in the two periods. Death related to NI occurred in 63% of patients before intervention and decrease to 13% after the intervention (p <0.001). Conclusion: Efforts associated with measures of prevention and infection control have resulted in significant decrease of incidences of nosocomial infection in neonatal intensive care unit of the Amazon.

Introdução: Estudos recentes têm enfatizado a tolerância zero à infecção hospitalar (IH), não sendo mais aceita como consequência da internação em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). Objetivo: Avaliar a efetividade da implantação das medidas de controle e prevenção sobre a densidade de incidência das IH em unidade neonatal. Método: Estudo de coorte prospectiva com intervenção, que incluiu recém-nascidos portadores de um ou mais critérios NNISS, realizado em uma unidade neonatal pública de referência na região Amazônica. A avaliação foi executada em dois períodos: pré-intervenção (1º/01-30/06/2005) com 1173 pacientes e pós-intervenção (1º/01-30/06/2006) com 855 pacientes. A intervenção compreendeu a implantação de: treinamento da equipe assistencial sobre a técnica para higienização das mãos (jul/2005); Clorhexidine 2% para assepsia da pele no curativo cirúrgico e punção vascular e álcool gel 70% para higienização das mãos (set/2005); racionalização de antimicrobianos, escore hematológico e proteína C reativa seriados para suspensão da antibioticoterapia (set/2005) e isolamento de contato para IH por germes resistentes (nov/2005). Durante o estudo, o cateter central de inserção percutânea não foi utilizado. IH foi considerada conforme os critérios de Garner et al (1988). Mensalmente foi calculada a densidade de incidência das IH e a taxa de utilização de cateter central e de ventilação pulmonar mecânica, nas fases pré e pósintervenção. As características clínicas entre os dois grupos foram comparadas com test t e quiquadrado e as densidades de incidência de IH e as taxas de utilização de cateteres e de ventiladores, segundo a distribuição de Poisson. Resultado: As características demográficas foram semelhantes nos dois períodos (média de peso ao nascer 2250g e de idade gestacional 34 semanas, PN<1500g - 18%, sexo masculino - 53% e cirurgia de médio/grande porte - 4%). O período pré- vs pós-intervenção evidenciou: pacientes com IH - 22% vs 13% (p<0,001) e RN PN <1500g com IH - 61% vs 27% (p<0,001). O número de pacientes-dia foi respectivamente de 16.606 e 15.060 nas fases pré e pós-intervenção. A comparação das duas fases evidenciou que a densidade de incidência das IH reduziu de 20,6 para 10,0 por mil pacientes-dia e a densidade de incidência da infecção da corrente sanguínea associada a cateter foi de 30,5 para 10,0 por mil cateteres-dia, enquanto a densidade de uso de cateter central passou de 50,1 para 63,6. A pneumonia associada à ventilação mecânica foi reduzida de 22,9 para 6,5 por mil ventiladoresdia, sendo que a densidade de uso da ventilação permaneceu entre 11,6 e 15,5 nos dois períodos. A evolução para óbito relacionado à IH ocorreu em 63% dos pacientes antes da intervenção e caiu para 13% após a intervenção (p<0,001). Conclusão: Esforços associados a medidas de prevenção e controle de infecção resultaram na queda significativa das densidades de incidência de infecção hospitalar em UTI neonatal da Amazônia.
Palavra-chave Infecção hospitalar/prevenção & controle
Sepse/prevenção & controle
Unidades de terapia intensiva neonatal
Recém-nascido
Idioma Português
Data de publicação 2011-09-28
Publicado em MALVEIRA, Salma Saráty. Efetividade das medidas de controle e prevenção das infecções em unidade neonatal de um hospital público de referência na Amazônia. 2011. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9436

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-12818.pdf
Tamanho: 1.359MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta