Efeitos do uso do aparelhos intra-oral sobre parâmetros de estresse oxidativo em pacientes com síndrome da apneia obstrutiva do sono

Efeitos do uso do aparelhos intra-oral sobre parâmetros de estresse oxidativo em pacientes com síndrome da apneia obstrutiva do sono

Título alternativo Effects of the use of oral appliance on parameters of oxidative stress in obstructive sleep apnea syndrome patients
Autor Garbuio, Silvério Aparecido Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psicobiologia - São Paulo
Resumo Introduction: Obstructive Sleep Apnea Syndrome (OSAS) is associated with increased cardiovascular morbidity and mortality. The exact nature of the underlying pathophysiology of cardiovascular morbidity in OSAS patients has not been fully elucidated. One of the underlying mechanisms is the formation of Reactive Oxygen Species (ROS), increasing oxidative stress (OS) due to the intermittent hypoxia. Studies with OSAS patients highlighted an increase in markers of OS associated to vascular risk. Authors have demonstrated a decrease of OS after Continuous Positive Airway Pressure (CPAP). OS reduction by means of the Oral Appliance (OA) is yet to be comprehended. Objective: The purpose of this study was to evaluate the effect of an OA compared with CPAP regarding OS parameters in moderate to severe OSAS patients with a randomized, double blind and placebo controlled trial. Methods: Subjects were patients with moderate to severe OSAS, of both genders, BMI under 35, 25-65 years of age, in good dental condition. All patients were submitted to 3 treatments: mandibular repositioning appliance (BRD) in maximal comfortable protrusion, placebo appliance (PA) and CPAP with one month of each treatment and one week washout between them. It was a randomized, cross-over, double blind and placebo controlled trial. Epworth Sleepiness Scale (ESS), polysomnographic and OS parameters (Thiobarbituric Acid Reactive Substances -TBARS, Superoxide Dismutase, Catalase, Vitamins C, E, B6, B12 and Folate, Homocysteine, and Uric Acid) were evaluated at each phase (baseline and after one month of each treatment). Results: 29 patients (24 men and 5 women) took part of the study, with a mean age of 47.3 ± 8.9 years, BMI of 28.4 ± 3.6 Kg/m and scoring on ESS of 11.4 ± 5.3. Both OA and CPAP treatments led to a decrease on the Apnea and Hypopnea Index (AHI). The last, however, demonstrated better efficacy (baseline: 42.3 ± 4.5; PA: 48.7 ± 6.5; OA: 26.7 ± 4.8; CPAP: 3.2 ± 0.4; p < 0.05), besides improving ESS (baseline: 11.3 ± 1.0 versus CPAP: 9.7±0.8; p < 0.05). Notwithstanding, compliance rate during OA period was higher than during CPAP (86.3 ± 3.0% versus 72.0 ± 4.2%; p < 0.05). For the OS parameters, a significant drop in the levels of catalase activity was observed after OA compared to the baseline period (baseline: 115.8 ± 5.2; PA: 102.7 ± 4.4; OA: 95.3 ± 4.6; CPAP: 107.1 ± 3.8 U/mg Hb; p<0.01). Moreover, there was an increase in vitamin C levels after PA and CPAP (baseline: 54.9 ± 2.5; PA: 65.9 ± 3.0; OA: 62.3 ± 2.6; CPAP: 64.3 ± 2.5 umol/L; p<0.05), and in vitamin B6 after all treatment periods compared to initial values in baseline period (baseline: 18.9 ± 1.2; PA: 22.7 ± 1.5; OA: 22.2 ± 1.3; CPAP: 24.6 ± 0.9 nmol/L; p<0.05). Conclusion: Even though CPAP proved to be more effective in attenuating OSAS and its subjective associated complaints, the better compliance to OA in this group of patients supported the reduction of one of the enzymes which participates in ROS removal.

Introdução: Esta cada vez mais evidente os efeitos da hipóxia intermitente e da fragmentação do sono, que ocorrem na Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono, na geração de espécies reativas do oxigênio, levando a doenças cardiovasculares. Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do tratamento com o aparelho intra-oral em parâmetros de estresse oxidativo em pacientes com Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono moderada a grave. Métodos: Pacientes com SAOS moderada a grave, ambos os sexos, idade entre 25 e 65 anos, IMC menor que 35 Kg/m2, com boas condições dentárias, participaram deste estudo randomizado, cruzado, duplo-cego com um mês em cada tratamento com Continuous Positive Airway Pressure (CPAP), um aparelho intra-oral (AIO) e um aparelho placebo. Avaliamos a sonolência excessiva diurna subjetiva pela Escala de Sonolência de Epworth (ESE), parâmetros polissonográficos e parâmetros de estresse oxidativo (Thiobarbituric Acid Reactive Substances, Superóxido Dismutase, Catalase, Vitaminas C, E, B6, B12 e Folato, Homocisteína, Ácido Úrico). Resultados: 29 pacientes (24 homens e 5 mulheres) participaram deste estudo, com idade média de 47,3 ± 8,9 anos, IMC de 28,4 ± 3,6 Kg/m2 e escores na Escala de Sonolência de Epworth de 11,4 ± 5,3. Tanto o aparelho intra-oral quanto o CPAP levaram a uma redução no Índice de Apnéias e Hipopnéias, porém o efeito com o CPAP foi melhor (basal: 42,3 ± 4,5; placebo: 48,7 ± 5,6; AIO: 26,7 ± 4,8; CPAP: 3,2 ± 0,4; p < 0,05). O uso do CPAP também levou a uma diminuição no escore da ESE (basal: 11,3 ± 1,0 x CPAP: 9,7 ± 0,8; p < 0,05), embora a adesão ao AIO tenha sido maior que ao CPAP (86,3 ± 3,0 x 72,0 ± 4,2%; p < 0,05). Quanto aos parâmetros de estresse oxidativo, observamos uma queda dos níveis de atividade da enzima catalase em relação aos valores basais com o AIO (basal: 115,8 ± 5,2; placebo: 102,7 ± 4,4; AIO: 95,3 ± 4,6; CPAP: 107,1 ± 3,8 U/mg Hb; p < 0,01). Além disso, houve um aumento dos valores de vitamina C nas fases placebo e CPAP quando comparados ao basal (basal: 54,9 ± 2,5; placebo: 65,9 ± 3,0; AIO: 62,3 ± 2,6; CPAP: 64,3 ± 2,5 umol/L; p < 0,05) e dos valores de vitamina B6 em todas as fases de tratamento comparados aos valores iniciais (basal: 18,9 ± 1,2; placebo: 22,7 ± 1,5; AIO: 22,2 ± 1,3; CPAP: 24,6 ± 0,9 nmol/L; p<0,05). Conclusão: Podemos concluir que, embora o CPAP tenha sido mais eficaz na melhora clínica e nos parâmetros polissonográficos de pacientes com SAOS moderada a grave, a adesão ao tratamento AIO neste grupo de pacientes foi mais eficiente e favoreceu a redução em uma das enzimas que participam da remoção de espécies reativas de oxigênio.
Assunto Aparelho Intra-Oral
Catalase
Estresse Oxidativo
Polissonografia
Sono
Apnéia Obstrutiva do Sono
Idioma Português
Financiador Associação Fundo Incentivo a Psicofarmacologia (AFIP)
Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 98/14303
AFIP: 47.4277/2004-6
Data 2009-11-25
Publicado em GARBUIO, Silvério Aparecido. Efeitos do uso do aparelhos intra-oral sobre parâmetros de estresse oxidativo em pacientes com síndrome da apnéia obstrutiva do sono. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 99 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9428

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-00400.pdf
Tamanho: 1.485Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)