Efeitos da administração de metformina e pioglitazona sobre o metabolismo glicídico e a pressão arterial de ratos hipertensos tornados obesos pela injeção neonatal de glutamato monossódico

Efeitos da administração de metformina e pioglitazona sobre o metabolismo glicídico e a pressão arterial de ratos hipertensos tornados obesos pela injeção neonatal de glutamato monossódico

Título alternativo Effects of metformin and pioglitazone on glucose metabolism and blood pressure of hypertensive rats made obese by neonatal injectionmonosodium glutamate
Autor Ferreira, Carolina Baeta Neves Duarte Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Kohlmann Júnior, Osvaldo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Background: Insulin resistance and visceral adiposity are key factors regarding metabolic syndrome (MS) physiopathology. Insulin resistance pharmacologic treatment might control diverse factors including glicemic abnormalities and blood pressure. Objectives: To produce MS model through monossodium glutamate (MSG) administration to spontaneously hypertensive rats (SHR) and analyze metformin and pioglitazone effects upon tail pressure, weight, glucose metabolism, epididimal fat (EF) and left ventricular mass weight. Methods: SHR received MSG until 11th day after born (SHR-MSG). Controls received saline (SHR). After 12 weeks, part of the two groups received metformin (SHRMeformin and SHR-MSG-Metformin) or pioglitazone (SHR-Pioglitazone and SHRMSG- Pioglitazone) during 12 weeks. Tail pressure and weight were recorded. After, oral glucose tolerance test (OGTT) was performed and areas under glucose (AUCG) and insulin (AUCI) curves and insulin sensibility index were measured. Following OGTT, EF and ventricular mass were assessed. Results: MSG administration increased insulin resistance and EF deposition without affecting tail pressure. Metformin improved insulin sensibility, reduced epididimal fat content and tail pressure. Pioglitazone didn´t impact upon tail pressure in both groups; increased weight in SHR-MSG; worsened insulin sensitivity in SHR, but decreased visceral fat content in SHR-MSG. Conclusions: MSG induced visceral obesity and worsened glucose metabolism in SHR, without affecting tail pressure. Metformin improved glucose metabolism and reduced tail pressure. Both reduce visceral fat deposition. These data points to hepatic insulin resistance as a key factor in metabolic disturbances and reveal benefical cardiovascular effects. Pioglitazone failure might be explained in SHR and SHR-MSG due to CD36 mutation previously described in this rat strain.

Introdução: Resistência insulínica (RI) e adiposidade visceral estão envolvidas na fisiopatogenia da Síndrome Metabólica (SM). Tratamento farmacológico da RI pode melhorar anormalidades glicêmicas e níveis pressóricos. Objetivos: Produzir modelo de SM, administrando glutamato monossódico (MSG) a ratos espontaneamente hipertensos (SHR) e analisar efeitos da metformina e pioglitazona sobre pressão arterial de cauda (PAC), peso corporal (PC), metabolismo glicídico (MG), gordura epididimal (GE) e massa ventricular esquerda (VE). Métodos: SHR receberam até 11º dia de vida MSG (SHR-MSG). Controles receberam solução salina (SHR). Parte dos animais dos dois grupos, a partir de 12 semanas, recebeu metformina (SHR-Metformina e SHR-MSG-Metformina) ou pioglitazona (SHR-Pioglitazona e SHR-MSG-Pioglitazona) por 12 semanas. Neste período, acompanhou-se PAC e PC e, ao final, realizado teste de tolerância à glicose oral (TTGO), para medir áreas sob curvas de glicose e insulina (ASCG; ASCI) e índice de sensibilidade insulínica (ISI). Após, mediu-se GE e VE. Resultados: Administração de MSG intensificou RI e aumentou GE, sem alterar PAC. Tratamento com metformina nos dois grupos melhorou sensibilidade insulínica e reduziu GE e PAC. Pioglitazona não alterou PAC nos dois grupos; elevou PC nos SHR- MSG; piorou sensibilidade insulínica nos SHR e reduziu GE nos SHR-MSG. Conclusões: MSG induz obesidade visceral, piora MG e não altera PAC. Metformina melhora MG e reduz PAC; ambas reduzem deposição de GE. Nota-se papel da RI hepática nos distúrbios metabólicos e evidenciam-se efeitos cardiovasculares benéficos da melhor sensibilidade insulínica. Ausência de resposta à pioglitazona nos SHR e SHR-MSG pode ser explicada pela mutação do Cd36 desta cepa.
Palavra-chave Pressão arterial
Ratos endogâmicos SHR
Metformina
Idioma Português
Data de publicação 2009-01-28
Publicado em FERREIRA, Carolina Baeta Neves Duarte. Efeitos da administração de metformina e pioglitazona sobre o metabolismo glicídico e a pressão arterial de ratos hipertensos tornados obesos pela injeção neonatal de glutamato monossódico. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9390

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-166.pdf
Tamanho: 362.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta