Efeito da imunização genética com plasmídeos e adenovirus recombinantes expressando a proteína 2 da superfície de amastigotas e a trans-sialidase na infecção experimental de camundongos susceptíveis A/Sn por cepas de Trypanosoma cruzi isoladas na Colômbia

Efeito da imunização genética com plasmídeos e adenovirus recombinantes expressando a proteína 2 da superfície de amastigotas e a trans-sialidase na infecção experimental de camundongos susceptíveis A/Sn por cepas de Trypanosoma cruzi isoladas na Colômbia

Título alternativo Effect of genetic immunization with plasmids and recombinant adenovirus expressing the protein on the surface of amastigotes 2 and trans-sialidase in experimental infection of mice susceptible A / Sn by isolated strains of Trypanosoma cruzi in Colombia
Autor Haolla, Filipe Augusto Bettencourt Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Rodrigues, Mauricio Martins Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Microbiologia e imunologia - São Paulo
Resumo In earlier studies it was demonstrated that immunizations with the genes encoding the Amastigote Surface Protein-2 (ASP-2) and the catalytic domain of the enzyme trans-sialidase (TS) induced protective immunity against experimental infection of highly susceptible A/Sn mice with parasites of the Y strain of T. cruzi. Due to the possible biological variability found in parasite strains isolated from distinct regions of the American continent, our goal was to determine the possible general validity of our results toward strains isolated in endemic regions of Colombia. Mice were vaccinated with different regimens with genes asp-2 and ts, and subsequently challenged with blood stages of T. cruzi belonging to the strains Colombian or Colombia (COL). The presence of immune response before challenge was measured by specific antibodies and CD8+ T cells. In the case of the Colombian strain, the genetic vaccination was not able to confer protective immunity against the acute infection with a lethal dose of parasites. In the case of the COL strain, we observed a drastic reduction of parasitemia and a significant increase in survival following a challenge with an otherwise lethal dose of parasites. Although these mice survived the lethal acute infection, during the late chronic infection, using electrocardiogram (ECG), we observed alterations in the electric conductivity in most animals. The mice immunized with two doses of recombinant adenovirus displayed a reduction in the percentage of individuals with altered ECG. Hystological analysis of these animals showed signs of cardiac fibroses. The group of mice immunized with the recombinant adenovirus presented a reduction in the percentage of fibrotic area when compared to the other groups. We concluded that the immunity induced by vaccination with the genes asp-2 and ts is dependent on the strain of T. cruzi used for the challenge. These results ask for a revision of the current strategies to develop a vaccine against parasite strains from different endemic regions.

Em estudos anteriores foi demonstrado que imunizações com os genes que codificam a proteína 2 da superfície de amastigotas (ASP-2) e a porção catalítica da enzima trans-sialidase (TS) induziam imunidade protetora contra a infecção experimental de camundongos altamente susceptíveis A/Sn por parasitas da cepa Y de T. cruzi. Dada a possível variabilidade biológica encontrada nas diversas cepas isoladas de regiões distintas do continente americano, a proposta deste estudo foi o de verificar a possibilidade de generalização destes resultados frente a cepas isoladas de regiões endêmicas na Colômbia. Os camundongos foram imunizados com diferentes regimes contendo sempre os genes asp-2 e ts e posteriormente desafiados com formas sanguíneas da cepa Colombiana ou COL de T. cruzi. A presença de resposta imune antes do desafio experimental foi medida pela presença de anticorpos e linfócitos T CD8+ específicos. No caso da cepa Colombiana, a vacinação genética não foi capaz de conferir imunidade protetora contra a infecção aguda com uma dose letal de parasitas. No caso da cepa COL, pudemos observar drástica redução da parasitemia e aumento da sobrevivência dos animais após infecção com uma dose letal de parasitas. Apesar de terem sobrevivido à infecção letal aguda, durante a fase crônica da doença, por meio de exame elétrico cardiológico (ECG), observamos alterações na condutividade elétrica na maioria dos animais. Destes, o grupo que recebeu duas doses contendo adenovírus recombinantes apresentou redução na porcentagem de animais com ECG alterados. A análise histológica destes animais demonstrou fibrose cardíaca, sendo que o grupo que recebeu adenovírus recombinantes apresentou redução na porcentagem de área fibrótica quando comparado com os demais grupos. Concluímos que imunidade protetora induzida pela vacinação com os genes asp-2 e ts é dependente da cepa de T. cruzi utilizada para a infecção experimental. Estes resultados pedem uma revisão das atuais estratégias para que uma possível vacina seja obtida contra cepas de diferentes regiões endêmicas.
Palavra-chave Trypanosoma cruzi
Doença de Chagas
Trans-sialidase
ASP-2
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2009-01-28
Publicado em HAOLLA, Filipe Augusto Bettencourt. Efeito da imunização genética com plasmídeos e adenovirus recombinantes expressando a proteína 2 da superfície de amastigotas e a trans-sialidase na infecção experimental de camundongos susceptíveis A/Sn por cepas de Trypanosoma cruzi isoladas na Colômbia. 2009. 96 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 96 f.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9353

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-011.pdf
Tamanho: 1.031MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta