Considerações anatômicas sobre a artéria torácica interna: Seus ramos esternais e sua importância na cirurgia torácica

Considerações anatômicas sobre a artéria torácica interna: Seus ramos esternais e sua importância na cirurgia torácica

Título alternativo Anatomical considerations on the internal thoracic artery: Their sternal branches and its importance in thoracic surgery
Autor Itezerote, Ana Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Smith, Ricardo Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective: The internal thoracic artery is responsible for irrigation of the sternum. The sternum consists of three parts, the manubrium, body of sternum and xiphoid process. The aim of this study was to analyze irrigation, by the branches of internal thoracic artery, towards the posterior side of the manubrium, in which we can observe the insertions of sternothyroid and sternohyoid muscles as well as the branches of internal thoracic artery to the body and xiphoid process. Methods: Sixty male and female the anterior sternocostal wall of the thorax previously fixed in formaldehyde solution, with ages ranging from 20 to 80 years were used from the Service of Verification of Death (SVO) of the Federal University of São Paulo - Paulista School of Medicine. The research project was approved by the Ethics Committee of the Federal University of São Paulo under number: 0109/06 on 02/01/2006. In these the anterior sternocostal wall of the thorax. the right and left internal thoracic arteries had already been partially dissected by the graduate students, and injected with colored neoprene latex, yellow in left internal thoracic arteries and red in right side arteries. It was used a dissecting microscope with 10X, dissecting forceps and sharp and blunt point scissors. The trunk and branches of internal thoracic arteries were dissected and after being measured they were recorded in a specific file, the material was photographed at different angles and close. In statistical analysis the paired t test, analysis of variance (ANOVA) and Tukey technique were employed. Results: The sternothyroid and sternohyoid muscles, with their insertions in the manubrium were irrigated by sternal branches in all 120 studied internal thoracic arteries. The body of the sternum received sternal branches originated from both internal thoracic artery and the branches arising directly from it. A difference was found regarding the amount of trunks and sternal branches in different sternal intercostal spaces of 60 the anterior sternocostal wall of the thorax. The xiphoid process was irrigated from the sternal branches of the internal thoracic artery and the superior epigastric artery, branches only of the superior epigastric and irrigation of their own superior epigastric artery. Conclusions: in the final considerations it was reported that the internal thoracic artery actively participates in the irrigation, insertions of the sternothyroid and sternohyoid muscles and, therefore, manubrium. The internal thoracic artery is the third arterial pedicle for the sternothyroid and sternohyoid muscles. The sternal branches are in greater quantities than those originating from branches of the sternal trunks. The preservation of these trunks is needed to keep the blood supply of the sternum, when suffering sternotomy and using both internal thoracic arteries. The xiphoid process provides irrigation from different vessels, but its maintenance through the superior epigastric artery is relevant since this vessel is richly distributed on the posterior and anterior xiphoid cartilage.

Objetivos: As artérias torácicas internas, direita e esquerda, são responsáveis pela irrigação do osso esterno. O uso de ambas as artérias torácicas internas, nas cirurgias de revascularização do miocárdio, é um dos fatores que podem ocasionar a mediastinite, uma vez que dificulta o esterno de receber um bom aporte sanguíneo, facilitando a ação de agentes bacterianos. Abordagens de tratamentos demonstram que ainda não há uma conduta ideal para evitar ou tratar a ferida inflamatória do esterno. A preservação dos ramos esternais é ainda o ideal como resposta às medidas terapêuticas. A irrigação, pelos ramos da artéria torácica interna, para a face posterior do manúbrio na qual se encontram as inserções dos músculos esternotireóideo e esterno-hióideo, bem como os ramos da artéria torácica interna para o corpo e processo xifóide foi a finalidade do presente estudo. Métodos: Foi utilizado 60 faces internas de paredes torácicas anteriores (plastrões torácicos) já formalizados, femininos e masculinos, com idades entre 20 e 80 anos, provenientes do serviço de verificação de óbito (SVO) da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina. Nestes plastões as artérias torácicas internas direitas e esquerdas já se encontravam parcialmente dissecadas, por alunos de pós-graduação, e injetadas com látex neoprene colorido. Foi utilizada lupa de dissecação com aumento de 10x, pinça de dissecação e tesouras ponta fina e romba. Os troncos e ramos das artérias torácicas internas foram dissecados, medidos e protocolados em fichário específico, o material foi fotografado em diferentes aproximações e ângulos. Na análise estatística o Teste t pareado e não pareado, Análise de Variância (ANOVA) e a técnica de Tukey foram empregados. Resultados: Os músculos esternotireóideo e esterno-hióideo, com suas inserções no manúbrio, foram irrigados por ramos esternais em todas as 120 artérias torácicas internas estudadas. O corpo do esterno recebeu ramos esternais provindos tanto de troncos da artéria torácica interna quanto de ramos originados diretamente dela. Existiu diferença na quantidade de troncos e de ramos esternais nos diferentes espaços intercostais das 60 faces internas de paredes torácicas anteriores. O processo xifóide recebeu irrigação dos ramos esternais da artéria torácica interna e da artéria epigástrica superior, ramos somente da epigástrica superior e irrigação da própria artéria epigástrica superior. Nas considerações finais, a artéria torácica interna participa ativamente da irrigação, nas inserções, dos músculos esternotireóideo e esterno-hióideo e consequentemente do manúbrio. Os ramos esternais são em maior quantidade do que aqueles ramos originados dos troncos esternais, a preservação destes troncos se faz necessária para manter o aporte sanguíneo do esterno, quando este sofrer esternotomia e forem utilizadas ambas as artérias torácicas internas. O processo xifóide apresenta irrigação provinda de diferentes vasos, mas sua manutenção pela a artéria epigástrica superior é relevante, já que este vaso se distribui ricamente pela face posterior e anterior do processo xifóide.
Palavra-chave Artéria torácica Interna
Esterno/irrigação sanguínea
Esterno/anatomia e histologia
Humanos
Internal thoracic artery
Sternum/blood supply
Sternum /anatomy and histology
Human
Idioma Português
Data de publicação 2010-04-28
Publicado em ITEZEROTE, Ana Maria. Considerações anatômicas sobre a artéria torácica interna: Seus ramos esternais e sua importância na cirurgia torácica. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 76 p
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9251

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta