Conhecimento e prática de médicos e nutricionistas sobre a prevenção da alergia alimentar

Conhecimento e prática de médicos e nutricionistas sobre a prevenção da alergia alimentar

Título alternativo Knowledge and practice of physicians and nutritionist about prevention of food allergy
Autor Ribeiro, Camila Cury Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Morais, Mauro Batista de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Pediatria e ciências aplicadas à pediatria - São Paulo
Resumo Objective: To evaluate the knowledge and practice of pediatricians, gastroenterologists pediatricians, allergists and nutritionists regarding the primary prevention of food allergy. Methods: A descriptive cross-sectional study that enrolled pediatricians (n = 80), gastro-pediatricians (n = 120), allergists (n = 100) and nutritionists (n = 220), an amount of 520 professionals. The instrument collects used was a self-administered questionnaire prepared by the authors based on current recommendations of the major committees and societies related to prevention of food allergy. Results: The average age of professionals was 29.1 ± 5.8 years. The vast majority of the professionals was female, constituting a total 90.4% (n = 470) of respondents. The average time of graduation of professionals was 7.2 ± 5.8 years. Regarding the recommendation of exclusion diet on pregnancy, 89 (17.1%) professionals agreed with such practice, being the most indication by nutritionists. The gastro-pediatricians statistically differ from the others professionals by submitting the lowest rate of recommendation (p < 0.001). The recommendation of maternal exclusion diet on lactation was indicated by more number of professionals, constituting 40.8% (n = 212) of the sample, with the highest recommendation by nutritionists and pediatricians compared to pediatricians and allergists (p < 0.001). The duration of exclusive breastfeeding considered ideal was the period of 4 to 5.9 months indicated by 52.9% (n = 275) of professionals, according with the choices of most nutritionists, pediatricians and pediatricians. However, most allergists (65%; n = 65) indicated the range of 6 to 7.9 months. Regarding the time of introduction of complementary feeding, 218 (41.9%) professionals recommended modify the age of introduction to prevent the development of food allergy. The main period indicated was aged 6 to 7.9 months, indicated by 118 (54.1%) of respondents. Comparing the indication of the time of introduction of complementary feeding among professionals, 70 (70%) of allergists affirmed modify the time of introduction of complementary feeding (p < 0.001). The majority of special infant formulas indicated in case of impossibility of breastfeeding to prevent the development of food allergies were: Alfare® (70.6%), Neocate® (66.2%), Pregomin® (57.5%) and Nan HA® (42.1%). Conclusions: This study revealed there are misconceptions regarding the prevention of food allergy among all the categories of professionals. Our results confirm that the evaluation of knowledge and professional practice contributes to the definition of content that should be part of continuing education programs in the area of food allergy.

Objetivo: Avaliar o conhecimento e a prática de profissionais pediatras, gastroenterologistas pediátricos, alergistas e nutricionistas quanto à prevenção da alergia alimentar. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo e transversal, do qual participaram pediatras (n=80), gastro-pediatras (n=120), alergistas (n=100) e nutricionistas (n=220), totalizando 520 profissionais. O instrumento de coleta foi um questionário auto-administrado elaborado a partir das recomendações atuais das principais sociedades de especialidades sobre a prevenção da alergia alimentar. Resultados: A média de idade dos profissionais foi 29,1±5,8 anos. A maioria dos profissionais era do sexo feminino, constituindo um total de 90,4% (n = 470) dos entrevistados. A média do tempo de graduação dos profissionais foi 7,2±5,8 anos. Quanto à recomendação de dieta de exclusão alimentar na gestação, 89 (17,1%) profissionais concordaram com tal prática, sendo maior a indicação por parte dos nutricionistas. Os gastro-pediatras diferenciaram-se estatisticamente dos demais profissionais por apresentarem a menor taxa de recomendação (p< 0,001). A recomendação de dieta de exclusão alimentar materna na lactação foi indicada por maior número de profissionais, sendo recomendada por 212 (40,8%) entrevistados, verificando-se novamente maior recomendação dos nutricionistas e também dos pediatras em comparação aos alergistas e gastroenterologistas (p< 0,001). A duração de aleitamento materno exclusivo considerada ideal foi o período de 4 a 5,9 meses indicado por 275 (52,9%) profissionais, sendo o período de escolha da maioria dos nutricionistas, pediatras e gastro-pediatras. No entanto, 65 alergistas (65,0%) indicaram a faixa de 6 a 7,9 meses. Quanto à época de introdução da alimentação complementar, 218 (41,9%) profissionais afirmaram modificar a idade de introdução com o objetivo de prevenir o desenvolvimento da alergia alimentar. O principal período indicado foi a idade entre 6 a 7,9 meses, assinalada por 118 (54,1%) entrevistados. Comparando a indicação da época de introdução da alimentação complementar entre os profissionais, 70 (70,0%) dos alergistas afirmam modificar a época de introdução da alimentação complementar (p< 0,001). As principais fórmulas infantis especiais indicadas nos casos de impossibilidade de aleitamento materno com o objetivo de prevenir o aparecimento da alergia alimentar foram: Alfaré® (70,6%), Neocate® (66,2%), Pregomin® (57,5%), e Nan HA® (42,1%). Conclusões: Esse estudo revelou que existem erros conceituais no que tange a prevenção da alergia alimentar entre todas as categorias de profissionais. Nossos resultados confirmam que a avaliação do conhecimento e da prática dos profissionais contribui na definição de conteúdos que devem fazer parte dos programas de educação continuada na área da alergia alimentar.
Palavra-chave Capacitação profissional
Conhecimento
Pediatria
Prevenção primária
Reeducação profissional
Hipersensibilidade alimentar (alergia a alimentos)
Conhecimentos, atitudes e prática em saúde
Health knowledge, attitudes, practice
Pediatrics
Professional Training
Médicos
Physicians
Knowledge
Primary Prevention
Education, professional, retraining
Food Hypersensitivity
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Support Produtos Nutricionais Ltda
Data de publicação 2011-01-31
Publicado em RIBEIRO, Camila Cury. Conhecimento e prática de médicos e nutricionistas sobre a prevenção da alergia alimentar. 2011. 81 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9248

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12808.pdf
Tamanho: 822.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta