Comparação das equações de valores de referência da função pulmonar mais utilizadas no Brasil: impacto no estadiamento da DPOC

Comparação das equações de valores de referência da função pulmonar mais utilizadas no Brasil: impacto no estadiamento da DPOC

Título alternativo Comparison of the equations of reference values ​​for lung function most used in Brazil: impact on staging of COPD
Autor Pereira, Marcella Cristiane Silveira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Jardim, José Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective: To compare the absolute values of FVC and FEV1 found in a random sample of a Brazilian population over 40 years of age with values of equations most used in Brazil. To compare the values in percentage of predicted of FVC and FEV1 of the selected equations with the PLATINO equation ones. To evaluate the change in COPD staying when using different reference equations. Material and Methods: We conducted a retrospective study from a representative sample of residents in the metropolitan region of Sao Paulo, aged .40 years, from the PLATINO study. For comparison of the FVC and FEV1, were subtracted from the predicted values of each equation the absolute values obtained from each individual, considering the equation inadequate wherever there was a difference of up to 0.15 L as defined by ATS. We also evaluated the difference between the values of FVC and VEF1 in percentage of predicted of the equations with the PLATINO equation, considering as a limit a difference .3% (ATS). The diagnosis of COPD was defined as FEV1/FVC <0.70 after bronchodilator, and the comparison of staging was performed using the FEB1 in percentage of predicted in each equation, with reference to the percentage expected from the PLATINO equation. T-student test, chi-squared and the intraclass correlation coefficient were used to evaluate the performance of FVC and FEV1 in different equations and data are presented as mean, standard deviation, standard error and confidence interval of 95%. Results: After evaluating 178 healthy subjects, we observed that the equations that show less difference between the predicted value and the absolute value for both FEV1 and FVC in both sexes were Roca et al., Pereira et al. 2006, Enright et al. and PLATINO. The Knudson et al. equation underestimated the absolute values for both FVC and FEV1. In comparison with PLATINO equation, the percentage of predicted for FVC and FEV1, the equation showing the lowest difference was NHANES III, except for FVC male, who showed a wide variability. We evaluated 152 patients with COPD, observing staging changes in 29.6% in relation to the difference equations, being Knudson et al. the equation that showed the greatest number of changes. Conclusion: There is a great variability among the reference equations. The equations showing less variability and better intraclass correlation coefficient were Roca et al., Caucasian NHANES III et al., Enright et al. and PLATINO, which are the ones that should be recommended to be used for the Brazilian population. There is a change in the COPD staging when different equations are applied, suggesting that the use of a single equation for the treatment of the patient would avoid possible alterations in treatment.

Objetivo: Comparar os valores absolutos da CVF e VEF1 de uma amostra randomizada da populacao de Sao Paulo com mais de 40 anos de idade com os valores previstos das equacoes mais utilizadas no Brasil. Comparar os valores em percentuais do previstos da CVF e VEF1 das equacoes selecionadas com os da equacao PLATINO. Avaliar a mudanca de estadio da DPOC ao se utilizar as diferentes equacoes de referencia. Material e Metodos: Estudo retrospectivo, com 178 pessoas normais da amostra de moradores da regiao metropolitana de Sao Paulo, com idade .40 anos, proveniente do estudo PLATINO. Para a comparacao da CVF e do VEF1, foram subtraidos dos valores previstos a partir de cada equacao os valores absolutos obtidos de cada individuo, considerando uma diferenca de ate 0,15L, como definida pela ATS. Tambem foi realizada a diferenca entre os valores do percentual do previsto da CVF e VEF1 das equacoes com os da equacao PLATINO, com diferenca . 3% (ATS). O diagnostico de DPOC foi definido pela relacao VEF1/CVF < 0,70 pos-broncodilatador e a comparacao do estadiamento foi realizada utilizando a variavel VEF1 em porcentagem do previsto de cada equacao, tendo como referencia o percentual previsto da equacao PLATINO. As equacoes foram aplicadas de acordo com os seus limites de idade e altura. Teste t-student, Qui-quadrado e coeficiente de correlacao intraclasse foram utilizados para avaliar o comportamento da CVF e VEF1 nas diferentes equacoes e os dados foram apresentados em media, desvio padrao, erro padrao e intervalo de confianca de 95%. Resultados: Observamos que as equacoes que apresentam menor diferenca entre o valor previsto e o valor absoluto para CVF e VEF1, em ambos os sexos, foram Roca et al. (n=151), Pereira et al. 2007 (n=176), Enright et al (n=43) e PLATINO (n=178). A equacao Knudson et al (n=177). subestimou os valores absolutos para CVF e VEF1. Na comparacao com a equacao PLATINO, em percentual do previsto para CVF e VEF1, a equacao que apresentou menor diferenca foi a NHANES III (n=172), exceto para CVF masculina, que apresentou grande variabilidade. Foram avaliados 152 pacientes com DPOC, estadiados pelo VEF1, segundo a equacao PLATINO, observando-se mudanca no estadiamento em 29,6% dos pacientes em relacao as equacoes, tendo a equacao Knudson et al. apresentado o maior numero de alteracoes. Conclusao: Existe uma grande variabilidade nos valores previstos entre as equacoes de referencia. As equacoes que apresentaram menor variabilidade e melhor coeficiente de correlacao intraclasse foram Roca et al., NHANES III caucasiano et al., Enright et al. e PLATINO, recomendando-se o seu uso para a populacao brasileira. Existe mudanca no estadio da DPOC quando diferentes equacoes sao aplicadas, sugerindo-se o uso de uma unica equacao durante o tratamento do mesmo paciente para evitar eventuais alteracoes no tratamento.
Palavra-chave Espirometria
Função pulmonar
Lung function
Spirometry
Valores de referência
Reference values
Pulmonary disease, chronic obstructive
Doença pulmonar obstrutiva crônica
Testes de função respiratória
Respiratory function tests
Pulmão/fisiologia
Lung/physiology
Idioma Português
Data de publicação 2010-06-30
Publicado em PEREIRA, Marcella Cristiane Silveira. Comparação das equações de valores de referência da função pulmonar mais utilizadas no Brasil: impacto no estadiamento da DPOC. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9210

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12636.pdf
Tamanho: 1.313MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta