Comparação da eficiência do laser de diodo 980 nm versus glicose a 75% na oclusão de veias da orelha de coelhos

Comparação da eficiência do laser de diodo 980 nm versus glicose a 75% na oclusão de veias da orelha de coelhos

Título alternativo The comparison of the efficiency of the diode laser 980 nm to the glucose 75% in the vein occlusion from rabbit ears
Autor Lima, Paulo Roberto da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Baptista-Silva, José Carlos Costa Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Contexto. Por ser o laser um método novo no tratamento das varizes, há muitos mitos e dúvidas com relação à sua eficácia; veio a necessidade de compará-lo às substâncias esclerosantes mais utilizadas em nosso meio. Assim, é relevante responder a pergunta de pesquisa: qual a eficiência do laser de diodo 980 nm em comparação à glicose 75% na oclusão de veias em orelha de coelho? Objetivo. Comparar a eficiência do laser de diodo 980 nm à glicose 75% na oclusão de veias em orelha de coelho. A hipótese é que o laser de diodo 980 nm tenha uma eficiência de 30% em relação à glicose 75%. Tipo de estudo. Ensaio aleatório em animais de laboratório por 21 dias. Local. Biotério do Laboratório de Tecnologia Farmacêutica (LTF) do Campus I da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa – PB. Amostra. Orelhas de coelhos machos. Procedimentos. Grupo L (LASER): 15 orelhas tratadas com laser e grupo G (glicose 75%): 15 orelhas tratadas com glicose 75%. Variáveis. Primárias: veias esclerosadas e/ou ocluídas. Secundárias: segurança. Complementares: volume da substância administrada, calibre e tamanho do vaso, peso e idade do coelho. Método estatístico. O tamanho da amostra foi estimado em 30 orelhas com base na literatura e para respeitar as normas da COBEA. A análise estatística será realizada com o teste exato de Fisher associado ao Risco Relativo (RR) e calculando o intervalo de confiança (IC) de 95% para cada ponto estimado Resultados. Característica da amostra. Congestão vascular no grupo G foi 87% (13/15, IC 95% 60 a 98) e no grupo L de 67% (10/15, IC 95% 38 a 88) com P = 0,3898 e RR de 1,30 (IC 95% 0,86 a 1,96). Hiperplasia intimal no grupo G foi 13% (2/15, IC 95% 2 a 40); e no grupo L 7% (1/14, IC 95% 0 a 32) com P = 1 e RR de 2,00 (IC 95% 0,20 a 19,79). Variáveis. A incidência de esclerose ou oclusão venosa foi no grupo G foi de 53% (8/15, IC 95% 27 a 79) e no grupo L 20% (3/15, IC 95% 4 a 49) com de P bicaudal foi de 0,1281, seu RR (risco relativo) usando a aproximação de Katz foi igual a 2,66 IC 95% 0,87 a 8,15 Conclusão. A eficiência do laser de diodo 980 nm em comparação à glicose 75% na oclusão de veias é a mesma.

Contexto. Por ser o laser um método novo no tratamento das varizes, há muitos mitos e dúvidas com relação à sua eficácia; veio a necessidade de compará-lo às substâncias esclerosantes mais utilizadas em nosso meio. Assim, é relevante responder a pergunta de pesquisa: qual a eficiência do laser de diodo 980 nm em comparação à glicose 75% na oclusão de veias em orelha de coelho? Objetivo. Comparar a eficiência do laser de diodo 980 nm à glicose 75% na oclusão de veias em orelha de coelho. A hipótese é que o laser de diodo 980 nm tenha uma eficiência de 30% em relação à glicose 75%. Tipo de estudo. Ensaio aleatório em animais de laboratório por 21 dias. Local. Biotério do Laboratório de Tecnologia Farmacêutica (LTF) do Campus I da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa – PB. Amostra. Orelhas de coelhos machos. Procedimentos. Grupo L (LASER): 15 orelhas tratadas com laser e grupo G (glicose 75%): 15 orelhas tratadas com glicose 75%. Variáveis. Primárias: veias esclerosadas e/ou ocluídas. Secundárias: segurança. Complementares: volume da substância administrada, calibre e tamanho do vaso, peso e idade do coelho. Método estatístico. O tamanho da amostra foi estimado em 30 orelhas com base na literatura e para respeitar as normas da COBEA. A análise estatística será realizada com o teste exato de Fisher associado ao Risco Relativo (RR) e calculando o intervalo de confiança (IC) de 95% para cada ponto estimado Resultados. Característica da amostra. Congestão vascular no grupo G foi 87% (13/15, IC 95% 60 a 98) e no grupo L de 67% (10/15, IC 95% 38 a 88) com P = 0,3898 e RR de 1,30 (IC 95% 0,86 a 1,96). Hiperplasia intimal no grupo G foi 13% (2/15, IC 95% 2 a 40); e no grupo L 7% (1/14, IC 95% 0 a 32) com P = 1 e RR de 2,00 (IC 95% 0,20 a 19,79). Variáveis. A incidência de esclerose ou oclusão venosa foi no grupo G foi de 53% (8/15, IC 95% 27 a 79) e no grupo L 20% (3/15, IC 95% 4 a 49) com de P bicaudal foi de 0,1281, seu RR (risco relativo) usando a aproximação de Katz foi igual a 2,66 IC 95% 0,87 a 8,15 Conclusão. A eficiência do laser de diodo 980 nm em comparação à glicose 75% na oclusão de veias é a mesma.
Assunto Escleroterapia
Glicose
Coelhos
Terapia a laser
Microscopia
Orelha
Soluções esclerosantes
Veias
Sclerotherapy
Glucose
Rabbits
Laser therapy
Microscopy
Ear
Sclerosing solutions
Veins
Lasers semicondutores
Lasers, semiconductor
Idioma Português
Data 2010-09-29
Publicado em LIMA, Paulo Roberto da Silva. Comparação da eficiência do laser de diodo 980 nm versus glicose a 75% na oclusão de veias da orelha de coelhos. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 68 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9209

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Retido-421a.pdf
Tamanho: 1.180Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir
Nome: Retido-421b.pdf
Tamanho: 1.081Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)