Capacidade física e reprodutibilidade do teste de caminhada de seis minutos em crianças e adolescentes após o transplante hepático

Capacidade física e reprodutibilidade do teste de caminhada de seis minutos em crianças e adolescentes após o transplante hepático

Título alternativo Physical capacity and reproducibility of the six‐ minute walk test in children and adolescents after liver transplantation
Autor Silva, Rosangela Maria da Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Carvalho, Werther Brunow de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Pediatria e Ciências Aplicadas à Pediatria - EPM
Resumo Introdução: O transplante hepático pediátrico é um dos mais bem sucedidos transplantes de órgãos sólidos. Independente do tipo de transplante de órgãos, a fase pós-operatória representa um período de importante redução na capacidade de exercício do receptor. Unnitban et al., 2006, reportaram baixo nível de condicionamento cardiopulmonar, em crianças após o transplante hepático, quando comparadas a crianças saudáveis. O teste de esforço cardiopulmonar é o padrão-ouro para avaliação do condicionamento cardiopulmonar. No entanto, não é um procedimento disponível para avaliação diária, sobretudo na população pediátrica, pois requer equipamentos e habilidade técnica específica. Em contraste, o teste da caminhada de seis minutos (TC6’) é um teste prático, seguro, barato, de fácil execução, que reflete melhor as atividades de vida diária. Objetivo: Avaliar a reprodutibilidade e a capacidade física do TC6’, em crianças e adolescentes após o transplante hepático, comparando-as com valores de referência obtidos em crianças brasileiras saudáveis e, secundariamente, analisar a relação entre a distância caminhada em seis minutos (DC6’) com variáveis antropométricas e clínicas. Método: Estudo transversal prospectivo, realizado de Janeiro de 2009 a Dezembro de 2010. Amostra de conveniência de 23 crianças e adolescentes no pós- transplante hepático, entre seis a dezessete anos de idade, ambos os sexos, acompanhadas no ambulatório de transplante hepático, da Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP/EPM, São Paulo (Brasil). Medidas antropométricas e de função pulmonar foram obtidas utilizando protocolos padrão. O TC6’ foi conduzido, de acordo com os critérios da ATS 2002, em um corredor de 20 metros. Dois testes foram realizados em intervalos de trinta minutos. Os critérios de interrupção ocorreram na presença de sintomas clínicos. As variáveis fisiológicas foram mensuradas no repouso e ao final do teste. A reprodutibilidade do TC6’ foi avaliada em todas as crianças do estudo. A relação entre a distância caminhada e o trabalho (produto da distância caminhada pelo peso corpóreo) foi avaliada com medidas antropométricas, clínicas e de função pulmonar.Resultados: 23 participantes (56,5%) foram do sexo feminino e média de idade (148,87 ± 34,58 meses). A reprodutibilidade do TC6’ (ICC= 0,63) foi boa na população do estudo. Comparada aos valores de referência de Aquino et al., 2010, a média da distância caminhada das crianças e adolescentes no póstransplante foi significantemente reduzida (p<0,001). A DC6’ apresentou moderada correlação com o volume corrente (r=0,5, p<0,015). O trabalho da distância caminhada mostrou significante correlação com a idade (r=0,6 p<0,004), peso (r=0,9 p<0,001), altura (r=0,8 p<0,001), IMC (r=0,6 p<0,002), CVF (r=0,7 p<0,001), pico de fluxo (r=0,6 p<0,002) e VM (r=0,4 p<0,038). Na análise de regressão múltipla as variáveis idade, CVF e VM influenciaram em 78,6% a variância do trabalho da distância caminhada (ω). Conclusão: O TC6’ é reprodutível em crianças e adolescentes após o transplante hepático. Estes pacientes apresentaram menor capacidade física, comparativamente aos valores de referência de crianças saudáveis. O trabalho da distância caminhada (ω) parece ser um parâmetro adicional na determinação da capacidade física destes pacientes, comparado à distância caminhada isoladamente.

Objective: To assess the reliability and physical capacity of the test of six-minute walk (6MW) in children and adolescents after liver transplantation, comparing them with reference values obtained in healthy Brazilian children, and secondly, to analyze the relationship between the distance walked in six minutes (DC6 ') with anthropometric and clinical variables. Method: A prospective cross-sectional study conducted from January 2009 to December 2010. Convenience sample of 23 children and adolescents in post-liver transplantation, from six to 17 years old, both sexes, followed at the pediatric liver transplantation, Federal University of São Paulo. The 6MWT was conducted according to the ATS criteria 2002, in a corridor of 20 meters. Two tests were performed every thirty minutes. Physiological variables were measured at rest and immediately after the test. Results: The reproducibility of the 6MWT (ICC = 0.63) was good in the study population. Compared to the reference values of Aquino et al., 2010, the average distance walked of children and adolescents in post-transplant was significantly reduced (p <0.001). The DC6’ showed moderate correlation with tidal volume. The work of the distance walked showed a significant correlation with age, weight, height, BMI, FVC, peak flow and VM. In multiple regression analysis the variables age, FVC, MV and influence in 78.6% of the variance between the distance work. Conclusion: The 6MWT is reproducible in children and adolescents after liver transplantation. These patients had lower physical capacity compared to reference values of healthy children. Anthropometric measures (age, weight, height) and pulmonary function (FVC, peak flow, VM) were the main variables related to the work of the distance walked.
Assunto Adolescente
Aptidão Física
Criança
Reprodutibilidade dos Testes
Teste de Esforço
Liver transplantation
Exercise test
Physical fitness
Reproducibility of results
Child
Adolescent
Transplante de Fígado
Estudos Transversais
Cross-Sectional Studies
liver transplantation
exercise test
physical fitness
reproducibility of results
children
adolescent
Idioma Português
Data 2011-05-25
Publicado em SILVA, Rosangela Maria da. Capacidade física e reprodutibilidade do teste de caminhada de seis minutos em crianças e adolescentes após o transplante hepático. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 102 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9156

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Retido-12708.pdf
Tamanho: 950.7Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)