Bevacizumabe para doenças oculares neovasculares: revisão sistemática de estudos aleatórios

Bevacizumabe para doenças oculares neovasculares: revisão sistemática de estudos aleatórios

Título alternativo Bevacizumab for ocular neovascular diseases: a systematic review
Autor Andriolo, Regis Bruni Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Silva, Edina Mariko Koga da Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Context and objective: Many eye diseases involve increased local levels of vascular endothelial growth factor (VEGF), and there are several therapeutic strategies for them. Thus, the aim of this study was to evaluate the effectiveness and safety of bevacizumab for treating eye diseases involving increased local levels of VEGF, as the assumed pathophysiological mechanism. Data sources: The following databases were systematically searched for evidence: PubMed, CENTRAL (Cochrane Library), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) and reference lists, without language restrictions. Only randomized controlled trials were included. The primary outcome of interest was visual acuity, irrespective of the evaluation method. Data synthesis: A total of 667 eyes in nine randomized trials were included. Metaanalysis showed that the proportion of patients with age-related macular degeneration who presented improvements from baseline regarding best-corrected visual acuity was higher among those treated with bevacizumab than among those in the photodynamic therapy group (risk ratio, RR, 0.49; 95% confidence interval, CI, 0.31 to 0.78; P = 0.01; three studies; NNT=5,92). Conclusions: The evidence available mostrates that bevacizumab alone or combined with other treatments is more effective than other options, including photodynamic therapy, focal photocoagulation and triamcinolone. The use of bevacizumab instead of photodynamic therapy could reduce treatment costs by more than 99% and could significantly increase access to treatment. However, longterm studies are still needed in order to reduce uncertainty concerning the safety of this medication for all ocular neovascular diseases in which bevacizumab has the potential to improve visual acuity. Then, the evidences presented in this systematic review was considered as of moderate quality.

CONTEXTO E OBJETIVOS: Muitas doenças oculares envolvem o aumento dos níveis locais de fator de crescimento do endotélio vascular (FCEV), uma diversidade de estratégias terapêuticas para tais condições. Assim, o objetivo do presente estudo é avaliar a efetividade e a segurança de bevacizumabe para o tratamento de pacientes com doença ocular que envolva o aumento dos níveis locais de FCEV, como mecanismo patofisiológico assumido. FONTE DAS INFORMAÇÕES: Foi realizada busca sistemática pelas evidências disponíveis nas seguintes bases de dados eletrônicas: PubMed, CENTRAL (The Cochrane Library), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs), além de referências bibliográficas de estudos relevantes, sem restrições de língua. Foram incluídos apenas ensaios controlados e aleatórios. Acuidade visual, independentemente do método de avaliação, foi considerada o desfecho primário de interesse. SÍNTESE DOS DADOS: Foi incluído um total de 667 olhos testados em nove ensaios clínicos aleatórios. A metanálise demonstrou que a proporção de pacientes com degeneração macular relacionada à idade que melhoraram a acuidade visual foi maior entre os tratados com bevacizumabe do que entre os pacientes em terapia fotodinâmica (risco relativo de 0,49, intervalo de confiança a 95% de 0,31 a 0,78, P = 0,01; três estudos; NNT=5,92). CONCLUSÕES: O Avastin® (bevacizumab) isolado ou combinado com outras opções, demosntrou ser efetivo e seguro, somente em períodos de tratamento de até 24 semanas, para pacientes com doenças oculares relacionadas aos mecanismos fisiológicos envolvendo a neovascularização, especificamente degeneração macular senil e retinopatia diabética. O custo direto associado ao tratamento com bevacizumab corresponde a aproximadamente 0,2% dos custos associados a outras opções vigentes (terapia fotodinâmica) ou igualmente inovadoras, como o ranibizumab (Lucentis®). São necessários mais estudos que comparem diferentes doses e combinações de tratamentos, com maiores tempos de seguimento para melhor avaliação de possíveis riscos de malefícios. Por isso, a evidência aqui oferecida foi considerada de qualidade moderada.
Palavra-chave Inibidores da angiogênese
Neovascularização retiniana
Neovascularização da córnea
Degeneração macular
Revisão
Idioma Português
Data de publicação 2010-03-31
Publicado em ANDRIOLO, Regis Bruni. Bevacizumabe para doenças oculares neovasculares: revisão sistemática de estudos aleatórios. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 114 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9142

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-001.pdf
Tamanho: 1.350MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta