Avaliação farmacológica do possível efeito anti-álcool da ayahuasca em camundongos

Avaliação farmacológica do possível efeito anti-álcool da ayahuasca em camundongos

Título alternativo Pharmacological evaluation of the possible effect of anti-alcohol ayahuasca in mice
Autor Gianfratti, Bruno Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Carlini, Elisaldo Araujo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The abusive consume of alcohol has negative consequences to the organism and to the society, making it an important matter of public health. Since there is no satisfatory treatment, research on new and alternative treatments are needed. Ayahuasca is a tea made from a combination of two amazonic plants (nome das plantas). It has been used for thousands of years in religious context and it is popularly used for treatment of alcoholism. The present work evaluated the pharmacological effects of the tea (AYA) in preclinical dependence models. Active constituents were quantified and found at the same concentration as the literature. The oral administration of AYA did not induce death in mice. The pharmacological profile was established through preclinical tests: Initial pharmacological screening, motor activity test, motor coordination test, potentiating of the hexobarbital induced sleeping time. We did not find significant differences between control and treatment groups, attesting its safety in animals. Regarding to the ethanol (ETN) consumption in mice, it was not possible to evaluate the AYA effect, since the animals did not show any preference from ethanol at the free choice oral ethanol self-administration test. At the conditioned place preference test (PCL), the animals were divided in four groups: CTL, AYA, ETN and AYA+ETN. When comparing the time spent on the drugpaired (P) and unpaired (NP) compartments, PCL occurred in ETN and AYA groups, but CTL and AYA+ETN animals did not present this behavior. AYA did not show any toxic profile, depressant or stimulant effects. At the PCL test, previous AYA administration blocked the rewarding effect of ETN, but AYA by itself did not show any rewarding effects. Our results indicate that AYA using for alcoholism treatment can not be discarded, however new studies are needed to the fully understanding of its mechanisms.

O uso abusivo do álcool gera conseqüências negativas para a sociedade e ainda não possui um tratamento satisfatório, sendo a busca por novos tratamentos uma importante questão de saúde pública. A ayahuasca (AYA), constituída de duas plantas amazônicas alucinógenas e utilizada em um contexto religioso, é conhecida popularmente por ser útil no tratamento do alcoolismo. Em função disso, este trabalho avaliou o efeito farmacológico do chá em modelos pré-clínicos de dependência. Os princípios ativos foram quantificados e estavam presentes em concentrações semelhantes à encontrada na literatura. A administração por via oral de AYA não induziu óbito dos camundongos, revelando a segurança do seu uso nos animais. Foi avaliado o perfil farmacológico através dos testes de screening, atividade motora, coordenação motora e potencialização de sono induzido por hexabarbital e não foram encontradas alterações comportamentais dignas de nota em relação ao grupo controle (CTL). Não foi possível avaliar a influência da AYA no consumo de etanol (ETN) em camundongos, pois não houve preferência pelo etanol em relação à água no teste de livre escolha dessa substância. No teste de preferência condicionada de lugar (PCL), os animais foram distribuídos em CTL, AYA, ETN e AYA+ETN. Quando avaliado o tempo nos compartimentos pareados (P) com a droga e não pareado (NP), houve PCL nos grupos ETN e AYA, porém não houve PCL nos animais CTL e nos que receberam AYA+ETN. A AYA não apresentou um perfil tóxico, depressor ou estimulante. No teste da PCL houve o bloqueio do efeito reforçador do ETN quando AYA foi previamente administrada, porém, a AYA, por si só, apresentou um efeito reforçador. Esses resultados indicam que o uso da AYA para o tratamento do alcoolismo não pode ser descartado, porém novos estudos precisam ser realizados para definitivamente comprovar este uso.
Palavra-chave Alcoolismo
Beta-carbolina
Modelos animais de dependência ao etanol
Serotonina
Ayahuasca
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-24
Publicado em GIANFRATTI, Bruno. Avaliação Farmacológica do Possível Efeito Anti-Álcool da Ayahuasca em Camundongos. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9121

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-00198.pdf
Tamanho: 1.305MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta