Avaliação dos perfis imunológico e inflamatório nos pacientes com Narcolepsia, segundo o seu nível de Hipocretina-1

Avaliação dos perfis imunológico e inflamatório nos pacientes com Narcolepsia, segundo o seu nível de Hipocretina-1

Título alternativo Assessment of the immunological and inflammatory characteristcs in the patients with narcolepsy according to their level of hipocretina-1
Autor Coelho, Fernando Morgadinho Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Introduction: The pathophysiology of narcolepsy is still unknown. The genetic markers of histocompatibility complex, as well as, the decreasing of Hypocretin- 1 propose a confirmation of immunological theory. There are few studies considering the differences between immunological presence and absence of allele HLA-DQB1*0602, as well comparing the groups of patients with Hypocretin-1 levels. Objectives: To measure the subpopulations of the Total, CD2, CD3, T (CD4 and CD8), B (CD19) and Natural Killer (CD56), beyond the serum levels of the IL-6, TNF and CD40L, with and without the presence of the HLA-DBQ1*0602 allele and in the groups with above and below 110pg/ml of Hipocretina-1 in the spinal fluid. Methodology: After obtaining a sample of cerebral spinal fluid for Hipocretina-1 analysis, the narcoleptic patients and healthy volunteers were evaluated concerning the sleep and the daytime sleepiness by a polysomnography and the Multiple Sleepiness Latency Test (MSLT). Epworth Sleepiness Scale (ESS), Beck Depressions Inventory, Anxiety-State Questionnaire (Idate) and Body Mass Index (BMI) were applied as well. Blood samples were collected and analyzed for Total, CD2, CD3, TCD4, TCD8, CD56 and CD19 lymphocytes; Interleukin -6; Tumoral Necrosis Factor, CD40L and HLA-DB1* 0602 allele. Results: The average of the ESS was higher in the patients with narcolepsy (17.7 ± 0.7 vs7.7 ± 0.7; p<0.0001). The sleep latency of the narcoleptic patients was shorter than in the control group. The average of the latencies of the MSLT was smaller and the amount of the SOREM was higher in the narcoleptic patients group. In these patients the counting of total lymphocytes (2446 ± 123.2 vs 2000.3 + 513.7; p=0.01), CD2 (2028 ± 106.5 vs 1612.1 + 431.6 p=.006), CD3 (1892 ± 102.1 vs 1485.5 + 425.8; p=0.005) and TCD4 (1238 ± 85,9 vs 945 + 247.1; p=0.007) were decreased in comparison to the control group. There were no differences among the other groups. Conclusions: The T and TCD4 lymphopenia observed in the narcoleptic patients could have been caused by the low production by the lymphoid organs, the increase of the peripheral destruction or lower activation by the antigen presenting cells. The T and TCD4 lymphopenia associated to the reduction of the CDL40 observed in the narcoleptic patients could promote to the dysfunction of the antigen presenting cell. A decreased production of the CD40L could reduce the amplification of the immunological reaction already studied in others self immunes models.

Introdução: O mecanismo fisiopatológico da narcolepsia ainda é pouco conhecido. Os marcadores genéticos do alelo do complexo de histocompatibilidade, assim como a redução da Hipocretina-1 desafiam uma confirmação da teoria imunológica. Poucos trabalhos na literatura estudam as prováveis diferenças imunológicas com presença ou não do alelo HLADQB1* 0602 e nem compararam os subgrupos dos pacientes com a Hipocretina-1 baixa e normal. Objetivos: Quantificar as populações dos linfócitos Totais, CD2, CD3, T (CD4 e CD8), B (CD19) e Natural Killer (CD56), além dos níveis séricos da Interleucina-6, do Fator de Necrose Tumoral e do CD40L sérico, em pacientes com narcolepsia, sem e com a presença do alelo HLA-DQB1* 0602, e em grupos em que a Hipocretina-1 era menor e maior do que os 110 pg/ml do líquido cefalorraquidiano. Método: Os pacientes com narcolepsia, após coleta do líquido cefalorraquidiano e a análise da Hipocretina-1, assim como os voluntários sadios, foram avaliados quanto ao sono e à sonolência excessiva diurna por meio de uma polissonografia (PSG) e do teste das múltiplas latências do sono (TMLS). Todos foram pesados e medidos, além de terem sido avaliados clinicamente por meio da Escala de Sonolência de Epworth, do Índice de Massa Corpóreo (IMC), dos Questionários de Beck e de Idate. Colheram-se amostras sanguíneas e foram analisados os linfócitos Totais, os CD2, os CD3, os TCD4, os TCD8, os CD56 e os CD19; a interleucina-6, o fator de necrose tumoral, o CD40L sérico e a presença do alelo HLA-DB1*0602. Resultados: A média das ESE foi maior nos pacientes com narcolepsia (17,7 ± 0,7) do que no grupo controle (7,7 ± 0,7) p<0,0001; como também nos indivíduos com a presença do alelo HLA-DQB1* 0602 (14,2 ± 1,1) comparados com aqueles sem o alelo (9,1 ± 1,1) (p=0,006). A latência do sono nos pacientes com narcolepsia foi menor do que no grupo controle, bem como a média das latências do TLMS e a quantidade do SOREM (que é a quantidade de sonos tipo REM (Rapid Eyes Moviments) nos cochilos do TMLS) maior nos com a narcolepsia Os mesmos achados acima da polissonografia e do TLMS foram observados nos indivíduos com a presença do alelo HLA-DQB1* 0602 e níveis de Hipocretina-1 menor que 110pg/ml. As quantidades dos linfócitos totais (2446 ± 123,2 vs 2000,3 + 513,7; p=0,01), CD2 (2028 ± 106,5 vs 1612,1 + 431,6 p=0,006), CD3 (1892 ± 102,1 vs 1485,5 + 425,8; p=0,005) e TCD4 (1238 ± 85,9 vs 945 + 247,1; p=0,007) dos pacientes com narcolepsia foram menores do que as dos voluntários. Os níveis séricos do CD40L sérico no grupo controle (0,19 ± 0,08 ng/ml) foram maiores do que no dos pacientes com narcolepsia (0,003 ± 0,0003 ng/ml); p=0,04. Não houve diferenças entre os linfócitos e as citocinas entre os outros grupos dividos segundo a presença do HLA e nível de Hipocretina-1. Conclusões: A linfopenia T e a TCD4 relativa observada nos pacientes com narcolepsia pode ter sido causada pela baixa produção nos órgãos linfóides, pelo aumento da destruição periférica ou pela diminuição da ativação do sistema imunológico pelas células apresentadoras dos antígenos. As linfopenias T e TCD4 observadas nos pacientes com narcolepsia, associadas a uma diminuição do CD40L sérico, podem direcionar para uma disfunção da célula apresentadora dos antígenos. Uma menor produção do CD40L sérico diminuiria a ampliação da reação imunológica, a qual já foi estudada em outros modelos auto-imunes.
Palavra-chave Citocinas
Imunidade
Linfócitos
Neuropeptídeos
Narcolepsia
Idioma Português
Data de publicação 2009-01-28
Publicado em COELHO, Fernando Morgadinho Santos. Avaliação dos perfis imunológico e inflamatório nos pacientes com Narcolepsia, segundo o seu nível de Hipocretina-1. 2009. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 94 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9113

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta