Avaliação dos escores MELD, Child-Turcotte-Pugh, APRI, contagem de plaquetas e testes hepáticos como indicadores da presença de varizes de esôfago com ou sem necessidade de profilaxia para sangramento

Avaliação dos escores MELD, Child-Turcotte-Pugh, APRI, contagem de plaquetas e testes hepáticos como indicadores da presença de varizes de esôfago com ou sem necessidade de profilaxia para sangramento

Título alternativo MELD, Child-Turcotte-Pugh, APRI, platelets count and liver tests as predictive models for the presence of esophageal varices and variceal bleeding
Autor Tafarel, Jean Rodrigo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferrari, Angelo Paulo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Purpose: The aim of this study was to determine whether MELD, Child-Turcotte-Pugh (CTP) class, APRI and laboratory tests could predict the presence of EV or varices which need prophylactic therapy (EV with medium or large size). Methods: Three hundred cirrhotic patients (193 men; mean age 53,1 years; majority with cirrhosis from chronic C hepatitis) were prospective analyzed. Uni and multivariate analysis were used to evaluate associations between the presence of EV (any size and medium or large EV) and patients’ characteristics (MELD, CTP class, APRI, platelets count and liver tests). Small varices were regarded as those which flatten with insufflation; medium varices those which protruded less than 1/3 of the lumen and large ones those which protruded more than 1/3. Results: One hundred seventy one patients (57%) had EV, of whom 35% (105) had varices which need prophylactic therapy. The distribution of EV according to the CTP class was as follows: A, 49%; B, 75,3% and C, 80%. Independent predictors of the presence of EV were: MELD > 8 (p = 0,02); APRI > 1,64 (p = 0,01); a platelet count < 93.000/mm3 (p < 0,01); AST > 1,34xUNL (p = 0,01) and total bilirubin > 1 mg/dl (p = 0,04). MELD > 8 had the highest discriminative value for presence of EV with sensitivity of 80,1% and specificity of 51,2%. Factors independently associated with EV which need prophylactic therapy were: thrombocytopenia (< 92.000/mm3; p < 0,01) and AST > 1,47xUNL (p = 0,03). A platelet count < 92.000/mm3 had sensitivity of 65,7% and specificity of 57,9% for the presence of varices which need prophylactic therapy. Conclusions: High values on MELD are associated with EV and thrombocytopenia (< 92.000/mm3), with varices which need prophylactic therapy. Considering their low sensitivity and specificity, it is suggested to maintain the recommendation of upper gastrointestinal endoscopy for all cirrhotic patients.

Objetivo: Determinar se o escore MELD (Model for end-stage liver disease), classificação de Child-Turcotte-Pugh (CTP), APRI (AST to platelet ratio index), testes hepáticos e contagem de plaquetas são preditores da presença de varizes esofágicas (VE) ou de VE com necessidade de profilaxia para sangramento varicoso (VNP). Métodos: Trezentos pacientes cirróticos (193 homens; média etária de 53,10 anos; hepatite C crônica como etiologia predominante da cirrose) foram analisados prospectivamente. Considerou-se como VE de fino calibre aquelas que desapareciam com a insuflação do órgão; médio calibre aquelas que ocupavam até 1/3 da luz esofágica e de grosso calibre aquelas que ocupavam mais do que 1/3 da luz. Varizes de médio e grosso calibre foram consideradas VNP. Realizaram-se análises uni e multivariada para estabelecer a relação entre a presença de varizes (qualquer calibre e VNP) e as características destes pacientes (MELD, classificação CTP, APRI, exames de bioquímica hepática e contagem de plaquetas). Resultados: Cento e setenta e um pacientes (57%) possuíam VE, dos quais 35% (n = 105) possuíam VNP. A distribuição das VE de acordo com a classificação de CTP foi: A, 49%; B, 75,30% e C, 80% (p < 0,01). Em análise univariada os preditores independentes da presença de VE foram: MELD > 8 (p = 0,02); APRI > 1,64 (p = 0,01); contagem plaquetária inferior a 93.000/mm3 (p < 0,01); AST > 1,34xLSN (p = 0,01) e bilirrubina total > 1mg/dl (p = 0,04). Escore MELD acima de 8 teve o maior valor discriminante para a presença de VE, com sensibilidade de 80,10% e especificidade de 51,20%. Fatores independentemente associados à VNP foram: trombocitopenia (< 92.000/mm3; p < 0,01) e AST > 1,47xLSN (p = 0,03). Contagem plaquetária < 92.000/mm3 possui sensibilidade de 65,70% e especificidade de 57,90% para a presença de VNP. Conclusões: Escore MELD elevado foi o melhor preditor isolado da presença de VE de qualquer calibre e plaquetopenia < 92.000/mm3, foi o melhor preditor para varizes com necessidade de profilaxia. No entanto, nenhum destes concilia altos valores de sensibilidade e especificidade.
Palavra-chave Plaquetas
Varizes esofágicas
Cirrose
Varizes esofágicas e gástricas
Fibrose
Blood Platelets
Esophageal and Gastric Varices
Fibrosis
Idioma Português
Data de publicação 2010-10-29
Publicado em TAFAREL, Jean Rodrigo. Avaliação dos escores MELD, Child-Turcotte-Pugh, APRI, contagem de plaquetas e testes hepáticos como indicadores da presença de varizes de esôfago com ou sem necessidade de profilaxia para sangramento. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 97 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9106

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-431.pdf
Tamanho: 1.540MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta