Avaliação do impacto de um programa de intervenções para prevenção de infecção do trato urinário associada ao uso de sonda vesical em pacientes transplantados renais

Avaliação do impacto de um programa de intervenções para prevenção de infecção do trato urinário associada ao uso de sonda vesical em pacientes transplantados renais

Título alternativo Evaluation of the impact of interventional measures for prevention of urinary tract infection associated with use of vesical catheters in renal transplant recipients
Autor Regagnin, Dejanira Aparecida Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Medeiros, Eduardo Alexandrino Servolo de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The urinary tract infection is one of the most ordinary complications after a renal transplant and it may lead to rejection, donor kidney failure, long hospital stay period and increased cost. Although the use of a urinary catheter as its period of stay is considered a risk factor, little has been studied about the nursing staff knowledge to prevent urinary tract infection due to a urinary catheter. Objectives: Evaluate the nursing staff practice and knowledge related to the maintenance of a urinary catheter as the risks of its use, implement an intervention guide and measure its impact on the incidence of urinary tract infection and also on the nursing assistance to patients undergoing renal transplantation. Method: A prospective interventional study was performed in a hospital in São Paulo, from August first 2008 to July 31st 2009, and divided into two phases. In the first phase, which occurred from August 2008 to January 2009, the urinary catheter insertion and the procedures for its safe maintenance were observed and a questionnaire to access the nurses’ information about the subject was applied as well. In the second phase, from February first to July 31st 2009, a group of new actions based on data collected from the first round were implemented, the same questionnaire was applied once more followed by another period of observation which the main purpose was to verify the effect and changes caused by the new guide developed. Results: The nursing professionals’ theoretical knowledge assessment showed a meaningful statistical difference between the distinct study phases such as urethral meatus hygiene procedure (p=0,007), hygiene frequency urethral meatus (p<0.001), the cleaning product used in the hygiene of the urethral meatus (p<0,001), the catheter exchange frequency (p<0,001) and HRIM infection rates (p<0,001) awareness indicating an improvement after the intervention. The practice observation also showed a hand hygiene improvement among physicians: 9,1% of frequency before procedure and 68,2% after the procedure. Among the nursing staff members again positive results were noticed: 26,7% to 48% of hand washing before procedure and 76% to 86,7% after procedure. Better adherence to the use of personal protective equipment comparing 60 to 75% in the first round against 98% to 100% in the second. There were 44 (11,33%) cases of urinary tract infection in the first phase of the study, 26 deceaseddonor while 17 living-donor, which 37 (84,09%) due to urinary catheter presence. The average time between the urinary tract infection diagnosis and the kidney transplant was 13,5 days (5 to 30 days). In both phases, there was a bacterial infection predominance being the gram-negatives responsible for 97,7% of the infections in the first round against 82,25% in the second. E. coli itself was responsible for 34 (32%) cases of infection, followed by K. pneumoniae which caused 18 (16,9%) cases of infection. Conclusions: A meaningful practice and theoretical knowledge improvement can be noticed due to the educational program. Despite all the better results achieved in the second phase of this study, with reduction of urinary tract infection associated with vesical catheter (p=0,674), any impact on decreasing urinary tract infections could be demonstrated.

No paciente receptor de transplante de rim, a infecção do trato urinário é uma das complicações mais comuns podendo levar à rejeição, perda do enxerto, prolongamento do período de internação e aumento de custo. Dentre os fatores de risco estão a utilização da sonda vesical e a duração da cateterização urinária. Todavia, apesar de bastante conhecida a relação entre sonda vesical e infecção, pouco se tem investigado sobre o conhecimento da equipe de enfermagem a respeito da prevenção de infecção do trato urinário associada a sonda vesical. Objetivos: Avaliar a prática e os conhecimentos da equipe de enfermagem sobre os cuidados com sonda vesical e os riscos inerentes ao seu uso; aplicar um programa de intervenções e mensurar o impacto destas intervenções na incidência de infecção do trato urinário no paciente transplantado renal em uso de sonda vesical. Método: Estudo prospectivo, intervencionista, realizado em um hospital especializado em doenças renais, conduzido de 01 de agosto de 2008 a 31 de julho de 2009, dividido em duas fases. Na primeira fase, agosto de 2008 a janeiro de 2009, foram feitas observações da prática da inserção e cuidados com a sonda vesical e aplicação de um questionário para avaliação do conhecimento dos profissionais de saúde quanto à utilização e riscos associados ao uso deste dispositivo. Na segunda fase, 01 de fevereiro a 31 de julho de 2009, foi aplicado um programa de medidas baseadas nas não conformidades observadas e, em seguida, o questionário foi aplicado novamente assim como mais um período de observação da prática com o intuito de avaliar o impacto das intervenções. Resultados: A aferição dos conhecimentos teóricos dos profissionais de enfermagem mostrou que, houve diferença estatisticamente significante, entre as duas fases do estudo em relação a fazer a higiene do meato uretral (p=0,007), freqüência de higiene do meato uretral (p<0,001), conhecimento do produto utilizado na higiene do meato uretral (p<0,001), freqüência de troca da sonda vesical (p<0,001) e ao conhecimento das taxas de infecção do HRIM (p<0,001) apontando uma melhora após a intervenção. A observação da prática mostrou uma melhora da higiene das mãos entre os médicos: 9,1% de conformidade para higiene das mãos antes do procedimento e 68,2% de conformidade após o procedimento. Entre os membros da equipe de enfermagem houve melhora da higiene das mãos em todos os procedimentos, tanto antes (26,7% a 48% de conformidade) como após a sua realização (76% a 86,7% de conformidade); maior adesão aos equipamentos de proteção individual, de 60 a 75% de conformidade na primeira fase para 98% a 100% na segunda fase. Na primeira fase do estudo ocorreram 44 (11,33%) infecções do trato urinário, 26 receptores de doador falecido e 18 de doador vivo, estando 37 (84,09%) associadas à sonda vesical. Na segunda fase a taxa de infecção do trato urinário foi de 14,96% com 62 infecções, 45 receptores de doador falecido e 17 de doador vivo, sendo 44 (70,96%) associadas a sonda vesical. A média de tempo até o diagnóstico de infecção do trato urinário após o transplante foi de 13,5 dias (5 - 30 dias). Em ambos os momentos houve predomínio das infecções bacterianas, sendo os Gram-negativos responsáveis por 97,7% das infecções na primeira fase e 82,25% na segunda fase. E. coli isoladamente foi responsável por 34 (32%) infecções, seguida por K. pneumoniae que causou 18 (16,9%) infecções. Conclusões: Pode-se observar que houve uma melhora significativa da prática e dos conhecimentos teóricos relacionadas ao programa educacional. Observamos que na segunda fase houve melhora de conformidade em todos os procedimentos, com redução da infecção do trato urinário associada à sonda vesical (p=0,674), porém sem impacto positivo na incidência de infecção do trato urinário.
Palavra-chave Transplante de rim
Assistência a saúde
Educação em saúde
Infection
Infecção
Health care
Health education
Kidney transplant
Infecções urinárias
Urinary infection
Idioma Português
Data de publicação 2010-05-26
Publicado em REGAGNIN, Dejanira Aparecida. Avaliação do impacto de um programa de intervenções para prevenção de infecção do trato urinário associada ao uso de sonda vesical em pacientes transplantados renais. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 108 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9090

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-197a.pdf
Tamanho: 325.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-197b.pdf
Tamanho: 1.840MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta