Avaliação de fatores clínico, laboratoriais e ultrassonográficos preditores de malignidade em nódulos tiroidianos

Avaliação de fatores clínico, laboratoriais e ultrassonográficos preditores de malignidade em nódulos tiroidianos

Título alternativo Evaluation of clinical, laboratorial and ultrasonographic factors of malignancy in thyroid nodules
Autor Rio, Ana Luiza Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Furlanetto, Reinaldo Perrone Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective: To evaluate the risk of malignancy in thyroid nodules through clinical, laboratory, ultrasonographic and cytological characteristics. Patients and methods: We analyzed 742 nodules of 407 patients. Results: The cytology was benign (60,5%), indeterminate (23,3%), malignant (8,3%) or nondiagnostic (7,6%). The prevalence of cancer in indeterminate fine needle aspiration biopsy (FNAB) was 18,5% (16% in follicular lesions, 44% in suspicious). The final diagnosis of malignancy was 17,2% (n=70). The frequency of cancer in women (15,2%) was significantly lower than in men (27,9%). There was an inverse relation between age and risk of malignancy. There was no statistical significance in the prevalence of malignancy according to the number of nodules (single or multinodular), size of nodules or serum TSH concentration. Hypoechogenicity and microcalcifications were ultrasonographic findings associated with malignancy. Conclusion: The risk of malignancy was higher in men, hypoechoic nodules, with microcalcifications on ultrasound and was inversely related to age. The TSH concentration was not an independent factor predictive of malignancy.

Objetivo: Avaliar risco de malignidade de nódulos tiroidianos através de características clínicas, laboratoriais, ultrassonográficas e citológicas. Pacientes e métodos: Analisamos 742 nódulos de 407 pacientes. Resultados: A citologia foi benigna (60,5%), indeterminada (23,3%), maligna (8,6%) ou não diagnóstica (7,6%). A prevalência de câncer nas punções aspirativas por agulha fina indeterminadas foi 18,5% (16% nas lesões foliculares, 44% nas suspeitas). O diagnóstico final de malignidade foi 17,2% (n=70). A frequência de câncer em mulheres (15,2%) foi significantemente menor do que em homens (27,9%). Houve uma relação inversa entre idade e risco de malignidade. Não houve significância estatística na prevalência de malignidade de acordo com o número de nódulos (uni ou mutinodular), tamanho dos nódulos ou concentração sérica de TSH. Hipoecogenicidade e microcalcificações foram achados ultrassonográficos associados com malignidade. Conclusão: O risco de malignidade foi maior em homens, nódulos hipoecogênicos, com microcalcificações à ultrassonografia e inversamente relacionado à idade. A concentração sérica de TSH não foi um fator independente preditor de malignidade.
Palavra-chave Câncer de tiroide
Biopsy, fine-needle
Punção aspirativa com agulha fina
Ultrasonography
Ultrassonografia
Nódulos tiroidianos
Thyroid nodules
Thyroid neoplasms
Idioma Português
Data de publicação 2010-08-25
Publicado em RIO, Ana Luiza Silva. Avaliação de fatores clínico, laboratoriais e ultrassonográficos preditores de malignidade em nódulos tiroidianos. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 51 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9061

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-425.pdf
Tamanho: 368.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta