Avaliação de Escores Clínicos para predição de fibrose hepática em obesos clinicamente complicados

Avaliação de Escores Clínicos para predição de fibrose hepática em obesos clinicamente complicados

Título alternativo Evaluation of clinical scores for hepatic fibrosis diagnosis in non alcoholic liver disease in medically complicated obese patients
Autor Ribeiro, Tarsila Campanha da Rocha Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Kondo, Mario Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Background: The majority of patients with NAFLD are medically complicated obese. Non-invasive indices for estimating risk of advanced fibrosis have, to date, been developed in different patient cohorts with liver disease. Most patients at risk for NAFLD advanced fibrosis are seen in clinical settings and morbidly obese patients are considered prone to have it. Aims: To prospectively evaluate the performance of noninvasive scores with the best reported predictivity in an obese population that has not been referred to a Hepatology practice. Methods: Liver biopsies were obtained in 461 sequential patients with Class III-IV, medically complicated obesity undergoing bariatric surgery over a six year period. Histology was interpreted blinded to the studied scores. Advanced fibrosis was defined according to the modified Brunt criteria stage >/=3. Aspartate aminotransferase (AST)/alanine aminotransferase (ALT) ratio (AAR), age-platelet (AP index), AST-to-platelet ratio index (APRI), FIB-4, BARD, BAAT, “NAFLD FIBROSIS SCORE” were calculated. Results: 80% of patients were female, mean age was 48y (range: 20-77) and mean BMI was 48.8 kg/m2. Liver histology was entirely normal in 11,5% of patients. Nonalcoholic fatty liver disease (NAFLD) was observed in 85% and non-alcoholic steatohepatitis (NASH) in 50%. Some degree of fibrosis was found in 63% of patients and only 5% had advanced fibrosis. The areas under the receiveroperating characteristic curves of the AAR, AP index, APRI, FIB-4, BARD, BAAT and “NAFLD FIBROSIS SCORE” for predicting advanced fibrosis were respectively 0.564, 0.683, 0.780, 0.724, 0.621, 0.436, 0.633. The presence of advanced fibrosis could be correctly excluded by the majority of the scores (NPP: 68-97%), but the presence could not be confirmed (VPP:0-25%). The better specificity was with BARD >2 (100%) and the best sensitivity with “NAFLD FIBROSIS SCORE” > 0.676 (67%). Conclusion: In this large study of a high risk population (Class III-IV obesity), all the studied scores had good negative predictive value but they lacked positive predictive value. The low PPV of the scores could be explained by the low prevalence of advanced fibrosis in this subset of patients. More accurate noninvasive indices for determining advanced fibrosis NAFLD are still needed

Métodos não invasivos para estimar a presença de fibrose avançada têm sido desenvolvidos em diferentes grupos de pacientes com doença hepática, assim como em grupos susceptíveis ao desenvolvimento de DHGNA. Objetivo: Avaliar prospectivamente o desempenho de escores nãoinvasivos numa população de obesos mórbidos que não foram encaminhados a hepatologistas. Métodos: Biópsias hepáticas foram obtidas de 461 pacientes com Classe III-IV de obesidade submetidos a procedimento bariátrico, durante um período de 6 anos. A fibrose avançada foi definida pela Classificação de Brunt com estadio >/=3. Relação Aspartato aminotransferase (AST)/alaninoaminotransferase (ALT) (AAR), Índice Idade-Plaquetas (AP Índice), Relação do Índice AST-Plaquetas (APRI), FIB4, BARD, BAAT, “ Escore de fibrose hepática para DHGNA” foram testados. Resultados: 80% dos pacientes eram do sexo feminino, média de idade 48 anos (20-77) e IMC médio 48,8 kg/m2. A biópsia hepática foi normal em 11,5% dos pacientes. Doença hepática não alcoólica (DHGNA) foi observada em 85% e esteato-hepatite não alcoólica (EHNA) em 50%. Algum grau de fibrose hepática foi evidenciada 63% dos pacientes, sendo avançada em apenas 5%. As áreas sob a curva dos escores AAR, AP index, APRI, FIB-4, BARD, BAAT e “Escore de fibrose hepática para DHGNA” para a predição de fibrose avançada foram respectivamente 0,564, 0,683, 0,780, 0,724, 0,621, 0,436, 0,633. A presença de fibrose avançada pôde ser corretamente excluída pela maioria dos escores (VPN:68-97%), mas sua presença não pode ser confirmada (VPP: 0-25%). O escore com melhor especificidade foi o BARD >2 (100%) e a melhor sensibilidade obtida com o “Escore de fibrose hepática para DHGNA” > 0,676 (67%). Conclusão: Em população com alto risco de DHGNA para fibrose avançada todos os escores apresentaram bom valor preditivo negativo. O baixo valor preditivo positivo dos escores pode ser explicado pelo menos, em parte pela baixa prevalência de fibrose avançada observada nestes pacientes. Outros métodos não-invasivos para a identificação de fibrose avançada ainda são necessários
Palavra-chave Diagnóstico
Obesidade
Fibrosis
Noninvasive test
Fibrose hepática
Cirrose hepática
Liver cirrhosis
Diagnosis
Obesity
Idioma Português
Data de publicação 2010-03-31
Publicado em RIBEIRO, Tarsila Campanha da Rocha. Avaliação de Escores Clínicos para predição de fibrose hepática em obesos clinicamente complicados. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9060

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta