Avaliação de dor em pacientes com doença renal policística autossômica dominante (DRPAD)

Avaliação de dor em pacientes com doença renal policística autossômica dominante (DRPAD)

Título alternativo Pain evaluation in patients with Autosomal Dominant Polycystic Kidney Disease (ADPKD)
Autor Eloi, Samara Rodrigues Moreira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Heilberg, Ita Pfeferman Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (Nefrologia) - São Paulo
Resumo Dor é um sintoma comum, que acomete em torno de 60% dos pacientes com doença renal policística autossômica dominante (DRPAD). O presente estudo teve como objetivo traduzir para o português e realizar a adaptação cultural de um questionário específico de dor e aplicá-lo em população com DRPAD. A versão original sofreu poucas alterações após o processo de tradução e adaptação cultural que consistiram de substituição de algumas palavras por sinônimos ou supressão de termos não comumente utilizados em nossa cultura, em 12 das 46 questões propostas. Foram incluídos no estudo 97 (64F/33M, 35±12 anos) pacientes com DRPAD, acompanhados no Ambulatório de Rins Policísticos da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Para estudar a relação entre dor e manifestações renais de DRPAD, dados clínicos, laboratoriais e os parâmetros ultrassonográficos renais, foram obtidos do prontuário dos pacientes. A aplicação do questionário revelou que 67% (65/97) dos pacientes avaliados apresentavam dor em várias localizações, mostrando este sintoma como segundo fator a contribuir para o diagnóstico de DRPAD (22% dos casos) nesta amostra, sendo superado apenas pela presença de antecedente familiar de DRPAD, que leva ao diagnóstico em 55% dos casos. A dor em região lombar foi a mais freqüente (77%), seguida da abdominal (66%), cefaléia (15%) e torácica (4%), e apareceu de maneira isolada ou em associação. O grupo de pacientes com dor apresentava volume renal e tamanho do maior cisto significantemente maiores quando comparados ao grupo sem dor. A porcentagem de pacientes hipertensos e portadores de nefrolitíase associada também foi maior no grupo com dor. A perda de função renal observada não foi diferente entre os grupos com dor e sem dor (19 vs 14%). A análise de regressão logística multivariada para a ocorrência de dor em DRPAD mostrou que um volume renal ≥ 380 ml (OR = 8.9) e a presença de nefrolitíase (OR = 4.1) foram fatores de risco independente para dor nesta população, ajustados para fatores como hipertensão, hematúria e tempo estimado de história até o diagnóstico. Em conclusão este estudo sugeriu que a utilização de um questionário de dor especifico para população com DRPAD, permite uma melhor caracterização deste sintoma, assim como sua relação com as manifestações clinicas e complicações associadas e esta patologia. O questionário revelou que a dor, além de ser um sintoma muito frequente e que surge precocemente no decorrer da DRPAD, (mesmo antes do declínio da função renal) muitas vezes pode auxiliar no diagnóstico precoce desta patologia. A dor lombar e /ou abdominal foram as mais frequentes e se associaram significantemente com o volume renal e com a presença de nefrolitíase associada à DRPAD.
Palavra-chave Dor
Litíase
Volume renal
Rins policísticos
Doença renal policística
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data de publicação 2010-03-31
Publicado em ELOI, Samara Rodrigues Moreira. Avaliação de dor em pacientes com doença renal policística autossômica dominante (DRPAD). 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 89 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9059

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-12044.pdf
Tamanho: 701.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta