Avaliação da evolução das comorbidades da obesidade mórbida e sua relação com a massa corpórea após cinco anos da derivação gástrica em Y de Roux com anel de contenção

Avaliação da evolução das comorbidades da obesidade mórbida e sua relação com a massa corpórea após cinco anos da derivação gástrica em Y de Roux com anel de contenção

Título alternativo Comorbidities remission after Roux-en-Y gastric bypass for morbid obesity is sustained in a long-term follow-up and correlates with weight regain
Autor Laurino Neto, Rafael Melillo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Fernandes, Fernando Augusto Mardiros Herbella Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo BACKGROUND: Roux-en-Y gastric bypass (RYGB) is considered an effective therapy for weight loss although weight regain may be observed in a long-term follow-up. Obesity-related comorbidities are also well treated by RYGB due to weight loss and intestinal hormone changes. Few studies reported long-term status of comorbidities especially if weight regain is present. This study aims to analyze: (1) the resolution of obesity-related comorbidities after RYGB in a long-term follow-up and (2) its relationship to weight regain. METHODS: 140 patients (mean age 41, 18 male, mean body mass index (BMI) before operation 52 (range 39-82) kg/m2, mean BMI at nadir weight 29 (range 18-46) kg/m2, mean BMI at last follow-up 33 (range 19-49) kg/m2 were followed-up after RYGB for morbid obesity for at least 5 years (mean follow-up 90, range 60-155 months). Diabetes, cardiovascular disease, arterial hypertension, dyslipidemia, sleep apnea, arthropathy, and infertility were present when submitted to surgery in 26 (18%), 14 (10%), 88 (62%), 18 (13%), 83 (59%), 90 (64%), 9 (16%) patients; and in 6 (4%), 8 (5%), 38 (27%), 6 (4%), 45 (32%), 75 (53%), 7 (12%) patients at the Nadir weight, respectively. RESULTS: BMI was significantly different in the 3 periods. Comorbidities resolution was sustained in a long-term follow-up for diabetes, hypertension, cardiopathy and infertility. Comorbidities status was direct related to the % of weight loss for all comorbidities except infertility. CONCLUSION: Our results show that comorbidities remission after RYGB is sustained in the majority of patients in a long-term follow-up. Weight regain is linked to worse results for all comorbidities except infertility.

Objetivo: Avaliar em pacientes obesos mórbidos submetidos à derivação gástrica em Y de Roux com anel de contenção há mais de cinco anos: 1) o efeito a longo prazo da cirurgia nas comorbidades; 2) a relação deste efeito com o reganho de massa. Métodos: Foram estudados 140 pacientes (122 mulheres, média de idade de 41,4±10,6 (variação 19 a 62) anos, média de massa de 138,7±23,1 (variação 98 a 220) kg e média de IMC de 52,3±7,9 (variação 37 a 82) kg/m2 submetidos à derivação gástrica em Y de Roux com anel de contenção há cinco anos ou mais. Foram analisadas as seguintes comorbidades: diabetes tipo 2, hipertensão arterial, doença cardiovascular, dislipidemia, apnéia do sono, artropatia e infertilidade, e classificadas em Resolvida, Melhorada, Inalterada ou Piorada no momento de menor massa e no último seguimento. Resultados: Houve diferença significativa na variação da massa nos três momentos do estudo (inicial x mínimo, p<0.001; inicial x final, p<0.001; mínimo x final, p<0.001). Não houve variação do status obtido no momento de menor massa para diabetes tipo 2, doença cardiovascular e infertilidade. Hipertensão arterial mostrou discreta piora dos resultados, porém, sem significância estatística (p=0,8). Houve piora dos resultados para dislipidemia (p=0,012), apnéia do sono (p=0,046) e artropatia (p=0,007). Não há relação entre a variação do IMC e a evolução da comorbidade para infertilidade (p=0,71, massa mínima e p=0,42, massa final). Há relação direta entre a variação do IMC e a evolução das comorbidades para diabetes tipo 2 (p=0,013, massa mínima e p=0,014, massa final), hipertensão arterial (p=0,015, massa mínima e p=0,001, massa final) e doença cardiovascular (p=0,015, massa mínima e p=0,043, massa final). Há relação direta entre a variação do IMC e a evolução das comorbidades apenas no último seguimento para artropatia (p=0,096, massa mínima e p=0,0012, massa final), dislipidemia (p=0,054, massa mínima e p=0,015, massa final) e apnéia do sono (p=0,11, massa mínima e p=0,011, massa final). Conclusões: Em pacientes obesos mórbidos submetidos à derivação gástrica em Y de Roux com anel de contenção há mais de cinco anos: (1) Há manutenção do status obtido para o momento de menor massa para as comorbidades diabetes tipo 2, hipertensão arterial, doença cardiovascular e infertilidade, mas não para dislipidemia, apnéia do sono e artropatia; (2) A melhoria de todas as comorbidades avaliadas, com exceção da infertilidade, associou-se diretamente ao percentual de perda de massa corpórea.
Palavra-chave Alterações do peso corporal
Cirurgia bariátrica
Comorbidade
Comorbidities
Anastomose em-Y de Roux
Long-term follow-up
Bariatric surgery
Body weight changes
Morbid obesity
Obesidade mórbida
Roux-en-Y anastomosis
Seguimentos
Idioma Português
Data de publicação 2011-10-26
Publicado em LAURINO NETO, Rafael Melillo. Avaliação da evolução das comorbidades da obesidade mórbida e sua relação com a massa corpórea após cinco anos da derivação gástrica em Y de Roux com anel de contenção. 2011. 91 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9019

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12820.pdf
Tamanho: 1.986MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta