Avaliação clínica, manométrica e profilométrica dos pacientes portadores de megacolo congênito submetidos à cirurgia de abaixamento de colo pelas técnicas de Duhamel modificado ou Retossigmoidectomia Transanal

Avaliação clínica, manométrica e profilométrica dos pacientes portadores de megacolo congênito submetidos à cirurgia de abaixamento de colo pelas técnicas de Duhamel modificado ou Retossigmoidectomia Transanal

Título alternativo Clinical, manometric and prophilometric evaluation of patients with Hirschsprung’s Disease underwent to pull-through techniques of modified Duhamel or transanal rectosigmoidectomy
Autor Martins, Elaine Cristina Soares Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Martins, José Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ciência cirúrgica interdisciplinar
Resumo Objective: Several techniques are being proposed for a definite treatment using surgery for the Hirschsprung’s disease or congenital megacolon (CM). This study aims to evaluate the differences in the surgery results obtained with manometric anorectal procedure and profilometric analysis, as well as verify its correlation with clinical parameters of patients’ fecal standard results who were submitted to one of these two techniques for the CM chirurgic treatment: 1.colectomy of the aganglion segment and modified Duhamel procedure (MD) to perform a pull through of the ganglionic colon; and 2. colectomy of the anglion segment and modified transanal rectosigmoidectomy (MTR). Methods: The present study submitted, for the period of April 2001 to March 2006, 42 patients to clinical evaluations and anorectal manometry for a post-operative control for a CM correction procedure, of which 36 were male (74%) and 6 female (26%). All patients were submitted to the exam without sedation, using the perfusion technique, in the post-operative period, seeking to evaluate the resting pressure (RP), the pressure response of the sphincter to cough (C), the pressure response to voluntary contraction (VC), the pressure response to sustained voluntary contraction (SVC), the pressure response to perianal stimulation (PAS), the analysis of the rectal sphincter reflex (RSR) and to analyze the standard and potentiation pressure curves. With the pressures acquired from the pressure curve elaboration in the perfusion channels, a tridimensional image of the anorectal canal was taken, allowing us to study the distribution of the pressure in the anorectal walls. Furthermore, aiming to compare the manometric, profilometric and clinical variables between the two exploited techniques, a Student-t test was applied for the cases in which the variables were continuous. A Chi-squared test was also proposed and, whenever necessary, the Fisher’s exact test; in order to verify the differences in the distribution of a categorized characteristic, as well as to compare the variables between the techniques regarding the fecal continence standard (continent and partially continent), and the significant level criteria adopted was 5%. Results: The ARM demonstrated RP average of 53,44 mmHg for the MD group and 60,67 mmHg for the MTR. Regarding the VC pressure, an average of 94,50 mmHg was attained for the MD group and of 95,47 mmHg for the MTR. There is not a significant difference, statistically, between the MD and MTR groups. It is important to highlight that the average amount of the voluntary contraction pressure was almost double the resting pressure, which is expected, in general, when incontinence research is concerned. It was also noticed, that there was no significant difference, statistically, among the manometric variables, independently of the technique employed, whether in the general group, in the continent group, or, even in the partially continent group. The nonexistence of a significant difference, statistically, for the pressure amount of the internal, external sphincter and ascending colon reinforce the idea that the pull through procedure with the oversewing of the rectum technique, similar to the one proposed by Swenson, do not expose the complex of the sphincter muscles to risks.The absence of RSR was observed in almost all of the analyzed cases, which to the forms CPS and CPP did not show significant difference, statistically, independently of the technique employed. There is also no significant difference, statistically, for the CPS and CPP forms to the continent and partially continent groups, whether in the general group, in the DM group or in the MTR group. Conclusion: With this present study, it was perceived that both operative procedures for pull through procedure of the ganglionic colon, in which case were, the MD technique and MTR technique, are equivalent from the manometric and profilometric standpoint.

Objetivo: Variações técnicas têm sido propostas para o tratamento cirúrgico definitivo da doença de Hirschsprung ou megacolo congênito (MC). O objetivo deste trabalho é avaliar as diferenças nos resultados cirúrgicos obtidos através da manometria anorretal e da profilometria, bem como verificar a sua correlação com parâmetros clínicos de padrão de evacuação de pacientes submetidos a uma das duas técnicas para tratamento cirúrgico do MC: 1. colectomia do segmento aganglionar e cirurgia de Duhamel modificado (DM) para abaixamento do colo ganglionar; e 2. colectomia do segmento aganglionar e retossigmoidectomia transanal modificada (RTM). Métodos: O presente estudo submeteu, no período de abril de 2001 a março de 2006, 42 pacientes à avaliação clínica e manometria anorretal para controle pósoperatório de correção cirúrgica de MC, sendo 36 do sexo masculino (74%) e 6 do sexo feminino (26%). Todos os pacientes foram submetidos ao exame pósoperatório sem sedação, pela técnica de perfusão, buscando avaliar a pressão de repouso (PR), a resposta pressórica esfincteriana à tosse (T), a resposta pressórica à contração voluntária (CV), a resposta pressórica à contração voluntária mantida (CVM), a resposta pressórica à estimulação perianal (EPA), a pesquisa do reflexo reto-esficteriano (RRE) e analisar as curvas pressóricas simples e potencializada. A partir das pressões adquiridas na elaboração da curva pressórica foi elaborado um traçado tridimensional do canal anorretal, permitindo estudar a distribuição das pressões nas paredes anorretais. Além disso, com o objetivo de comparar as variáveis manométricas, profilométricas e clínicas entre as duas técnicas, foi usado o teste t de Student para os casos em que se tratavam de variáveis contínuas. Também foi proposto o teste Qui-Quadrado e, quando necessário, o teste Exato de Fisher, a fim de verificar diferenças na distribuição de uma característica categorizada, bem como para comparar as variáveis entre as técnicas em relação ao padrão de continência (continente e parcialmente continente), sendo que o nível de significância adotado foi de 5% Resultados: A MAR mostrou médias de PR de 53,44 mmHg para o grupo DM e de 60,67 mmHg para o grupo RTM. Em relação à pressão de CV, obteve-se média de 94,50 mmHg para o grupo DM e de 95,47 mmHg para o grupo RTM. Não há diferença estatisticamente significativa entre os grupos DM e RTM. Ressalte-se que o valor da média da pressão de contração voluntária foi quase o dobro da pressão de repouso, o que em geral é esperado quando se pesquisa capacidade de continência. Verificou-se, também, que não houve diferença estatisticamente significativa entre as variáveis manométricas, independentemente da técnica utilizada, quer seja no grupo geral, no grupo continente, ou, ainda, no grupo parcialmente continente. Tal inexistência de diferença estatisticamente significativa para as medidas pressóricas de esfíncteres interno, externo e levantados do ânus reforçam a idéia de que o abaixamento endoanal pela técnica de sutura colo-anal semelhante à proposta por Swenson não expõe o complexo muscular esfincteriano à riscos. A ausência do RRE foi observada em quase todos os casos analisados, sendo que às formas, CPS e CPP não apresentaram diferença estatisticamente significativa, independentemente da técnica cirúrgica utilizada. Também não há diferença estatisticamente significativa nas formas de CPS e CPP para os grupos continente e parcialmente continente, quer seja no grupo geral, no grupo DM, ou no grupo RTM. Conclusão: Com o presente estudo verificou-se que as duas técnicas operatórias para abaixamento do colo ganglionar, a saber, técnica de DM e técnica de RTM, são equivalentes do ponto de vista manométrico e profilométrico.
Palavra-chave Megacolo
Cirurgia geral
Manometria
Criança
Doença de Hirschsprung
Idioma Português
Data de publicação 2007-09-26
Publicado em MARTINS, Elaine Cristina Soares. Avaliação clínica, manométrica e profilométrica dos pacientes portadores de megacolo congênito submetidos à cirurgia de abaixamento de colo pelas técnicas de Duhamel modificado ou Retossigmoidectomia Transanal. 2007. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2007.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 78 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/9004

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-9004.pdf
Tamanho: 481.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta