Associação entre a composição corporal, das variáveis de aptidão física e da capacidade funcional sobre a densidade mineral óssea em mulheres pós-menopausadas praticantes de atividade física

Associação entre a composição corporal, das variáveis de aptidão física e da capacidade funcional sobre a densidade mineral óssea em mulheres pós-menopausadas praticantes de atividade física

Título alternativo Association of body composition, physical fitness variables and functional capacity on bone mineral density of post-menopausal women practicing physical activity
Autor Marin, Rosangela Villa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lazaretti-Castro, Marise Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (Endocrinologia clínica) - São Paulo
Resumo Introdução: O aumento da expectativa de vida em nossa população traz preocupações relacionadas a morbi-mortalidade decorrente das fraturas osteoporóticas. É consensual que a prática de atividade física orientada traz benefícios, aumentando as chances de um envelhecimento saudável. A cidade de São Caetano do Sul (SCS) possui o primeiro Índice de desenvolvimento humano (IDH) e possui a 2ª maior renda per capta de nosso país. Tivemos a possibilidade de utilizar os dados do Projeto Longitudinal de Envelhecimento e Aptidão Física de SCS, que consiste em avaliar e acompanhar munícipes de São Caetano do Sul com idade acima de 50 anos, quanto as variáveis de aptidão física, capacidade funcional, aspectos sociais, nutricionais e psicológicos, envolvidos estes na prática de atividades físicas, no mesmo local. Objetivos: verificar a associação entre a composição corporal, das variáveis de aptidão física e da capacidade funcional sobre a densidade mineral óssea em mulheres pós-menopausadas praticantes de atividade física. Desenho do Estudo: Corte transversal da coorte do Projeto Longitudinal de Envelhecimento e Aptidão Física de São Caetano do Sul. Local de realização: Centro Social e Recreacional da Terceira Idade “Dr. Moacyr Rodrigues”, localizado no município de São Caetano do Sul, São Paulo - SP, Brasil. Participantes: 117 mulheres com idade acima de 50 anos e média de 67,8 ± 7,0 anos. Participantes de um programa regular de atividades físicas com sessões de duas vezes semanais e duração de 50 minutos, por em média pelo menos 8,0 ± 6,8 anos. Métodos: Todas as mulheres da amostra responderam a uma anamnese em forma de entrevista e passaram por uma avaliação física e por exames clínicos. Avaliamos a composição corporal (a massa corporal, a estatura corporal total, calculamos o IMC, as circunferências corporais de braço contraído, de perna (panturrilha), de cintura e de quadril, calculamos a RCQ, a massa magra, a massa gorda e a densidade mineral óssea em diversos sítios). Verificamos as variáveis de aptidão física (a força de preensão manual, a força de membros superiores e a força de membros inferiores mediante dois diferentes testes) e na capacidade funcional(equilíbrio estático com controle visual), além de submetermos a amostra a testes bioquímicos (creatinina, cálcio total, paratormônio, TSH). Resultados: Encontramos uma prevalência de osteoporose bastante similar a encontrada em populações de outros países semelhantes quanto à etnia. A força de preensão manual foi a variável de melhor associação com a densidade mineral óssea de todos os sítios ósseos analisados. Quando propusemos o modelo de regressão linear múltipla, a massa magra juntamente com a força de preensão manual explicaram em 28% a DMO de colo de fêmur e 24% DMO de corpo total; enquanto que 21% da DMO de coluna lombar foi explicada pela força de preensão manual, a massa corporal e o equilíbrio estático com controle visual, sempre levando em consideração a correção pela idade cronológica e a idade de menopausa. Conclusões: A variável de melhor associação com os sítios da densidade mineral óssea foi a força de preensão manual e nos modelos múltiplos a massa magra e a força de preensão manual apresentaram melhor relação com a DMO de colo de fêmur e corpo total. Na DMO de coluna lombar (L1- L4) obtivemos associação das variáveis de força de preensão manual, a massa corporal e o equilíbrio estático com controle visual. Isto reforça a importância da melhoria e/ou da manutenção da força de muscular e da massa magra ao longo da vida, com o objetivo de contribuir para a autonomia e independência do indivíduo diante do processo de envelhecimento.

Introduction: The increase of life expectation in our population results in concerns related to the morbi-mortality due to the osteoporotic fractures. It is consensual that the practice of guided physical activity leads to benefits, increasing the chances of a healthy aging. The city of São Caetano do Sul (SCS), the first one in the Index of human development (IDH) in Brazil, presents the second larger income per capture of our country. We had the possibility to use the data of the Longitudinal Project of Aging and Physical fitness of SCS, that consists of evaluating and following citizens from São Caetano do Sul aged 50 an over, concerning functional capacity, as well as social, nutritional and psychological aspects related to the physical activity practice in the same. Objectives: to verify the association of body composition, physical fitness variables and functional capacity on bone mineral density in physically active postmenopausal women. Design: this study is a part of Longitudinal Project of Aging and Physical Fitness of São Caetano do Sul. Setting: the Social Center and Recreacional of the Third Age "Dr. Moacyr Rodrigues", located in the district of São Caetano do Sul, São Paulo - SP, Brazil. Participants: 117 women aging 50 years or more (average of 67,8 ± 7,0 years), participants of a regular physical activity program, in a 50-minute-session twice a week, with a mean of 8,0 ± 6,8 years of practice. Measurements: all the women of the sample were interviewed for an anamnesis and were submitted to a physical evaluation and clinical exams. We evaluated the body composition (body weight, total body stature, BMI, body circumferences of contracted arm, leg (calf), waist and hip, RCQ, lean mass, fat mass and bone mineral density in several sites). We verified the physical fitness variables (handgrip, strength of upper and lower limbs using two different tests) and a functional capacity (static balance with visual control). Besides we submitted the XXIII sample to biochemical analysis (creatinine, total calcium, PTH, TSH). Results: we found a prevalence of osteoporosis that was quite similar to the one seen in populations of other countries with similar ethnic characteristics. The handgrip strength was the variable that better associated with the bone mineral density of all analyzed bone sites. When the model of multiple lineal regression was proposed, it revealed that the lean mass together with the handgrip strength explained by 28% the BMD of femoral neck and 24% the BMD of total body; while the BMD of lumbar spine (L1-L4) was explained by 21% by the variables handgrip, body weigh and static balance all together, always taking into account the adjustment for chronologic and menopause age. Conclusion: the variable that best associated with the bone mineral density was the handgrip strength, and in the multiple regression models the lean mass and the handgrip strength presented a better association with BMD of femoral neck and total body. About the BMD of lumbar spine (L1 - L4) we found association of the variables handgrip, body weight and static balance, always taking into account the chronological and the menopause age. These data demonstrate, importance of improving and/or maintaining the muscle strength and the lean mass along life aiming to contribute for the individual's autonomy throughout the aging progress.
Palavra-chave Aptidão física
Força de preensão manual
Handgrip strength
Lean mass
Massa magra
Physical fitness
Bone mineral density
Densidade mineral óssea
Idoso
Aged
Densidade óssea
Bone density
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-24
Publicado em MARIN, Rosangela Villa. Associação entre a composição corporal, das variáveis de aptidão física e da capacidade funcional sobre a densidade mineral óssea em mulheres pós-menopausadas praticantes de atividade física. 2009. 187 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 187 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8987

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-8987.pdf
Tamanho: 8.376MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta