Assimetria da base do crânio em diferentes idades

Assimetria da base do crânio em diferentes idades

Título alternativo Asymmetry in skull base in different ages
Autor Russo, Priscilla Perez Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Smith, Ricardo Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The human skull presents differences between the sides. Anatomical points in skull base where pass nerves and vases can be used in the investigation on asymmetry degree of this area. OBJECTIVE: To validate the method of indirect measures for digital pictures and to evaluate the degree of asymmetry from human skull base during growth. METHOD: 176 normal identified human skulls were used, divided by age in the following groups: fetuses, newly born up to one year old, 13 months up to 9 years old, 18 up to 44 years old and 45 up to 100 years old. The inclusion criterion was pathology absence and the good state of the specimens. Starting from a central point: tuberculum pharyngeum, and 4 lateral points: foramen ovale, foramen spinosum, carotid canal and stylomastoid foramen. The measurement was accomplished by digital biometry analyzed with the software Image J after a comparative validation with directed method performed with caliper. Results were presented as asymmetry indexes according to the formula: right side less left side divided by the right side multiplied by one hundred. The data were expressed as percentage of asymmetry. When the results presented negative signs, the left side was larger than the right. RESULTS AND CONCLUSIONS: The digital method presented validity and advantages in relation to the direct method with caliper. The skulls in all age groups expressed asymmetry. The smallest asymmetry index was 2,59% and the largest 6,66% they were found in the fetuses group at foramen ovale and carotid canal respectively. In the literature, there are no patterns for defined values of asymmetry in normal skulls. The asymmetry of position of the foramens was verified in the whole sample considered as normal and corresponded to an average index of 4%. In this study were also observed that in most of the measures there was prevalence of the right side over the left side.

INTRODUÇÃO: O crânio humano apresenta diferenças quanto aos lados. Pontos anatômicos na base do crânio onde passam vasos e nervos podem ser usados na investigação sobre o grau de assimetria desta região. OBJETIVO: Validar o método de medidas indiretas por fotografias digitalizadas e avaliar o grau de assimetria da base do crânio humano durante o crescimento. METODOLOGIA: Foram utilizados 176 crânios humanos normais identificados, divididos em grupos por faixa etária: fetos, recém nascidos a um ano, 13 meses a 9 anos, 18 a 44 anos e 45 a 100 anos. O critério de inclusão foi ausência de patologia e o bom estado dos espécimes. A partir de um ponto central: tubérculo faríngeo, e 4 pontos laterais: forames ovais, forames espinhosos, canais caróticos e forames estilomastóideos, as medidas foram realizadas por biometria digital analisadas com o software Image J após validação comparativa com método direto com paquímetro. Foram obtidos índices de assimetria segundo a fórmula: lado direito menos lado esquerdo dividido pelo lado direito multiplicado por cem. O resultado foi expresso em porcentagem de assimetria. Quando ocorreu resultado com sinal negativo, o lado esquerdo foi maior que o direito. RESULTADOS E CONCLUSÕES: O método digital apresentou validade e vantagens em relação ao método direto com paquímetro. Os crânios em todas as faixas etárias expressaram assimetria. O menor índice de assimetria foi 2,59% e o maior 6,66% que foram encontrados no grupo fetos (forame estilomastóideo e canal carótico respectivamente). Na literatura ainda não há padrões nem valores definidos de assimetria em crânios normais. A assimetria de posição dos forames de vasos e nervos, verificada em toda a amostra considerada normal, corresponde a um índice de 4%. Neste estudo também observamos que na maioria das medidas houve predomínio do lado direito sobre o esquerdo.
Palavra-chave Crânio
Assimetria
Base do crânio
Crescimento
Idioma Português
Data de publicação 2010-03-31
Publicado em RUSSO, Priscilla Perez. Assimetria da base do crânio em diferentes idades. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 86 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8985

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-073a.pdf
Tamanho: 870.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-073b.pdf
Tamanho: 109.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-073c.pdf
Tamanho: 498.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-073d.pdf
Tamanho: 1.737MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-073e.pdf
Tamanho: 1.865MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Retido-073f.pdf
Tamanho: 1.053MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta