Aspectos afetivos e cognitivos da homofobia no contexto brasileiro – Um estudo psicofisiológico

Aspectos afetivos e cognitivos da homofobia no contexto brasileiro – Um estudo psicofisiológico

Título alternativo Affective and cognitive aspects of homophobia in Brazilian citizens - A psychophysiological study
Autor Lasaitis, Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bueno, Orlando Francisco Amodeo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Este trabalho foi realizado em duas etapas. No Estudo I, foram obtidas normas brasileiras para 240 estímulos do International Affective Picture System (IAPS) e padronizadas 24 fotografias de casais homossexuais obtidas de outras fontes. Os sujeitos foram 448 universitários (179 homens), que avaliaram as 264 fotografias nas dimensões prazer, alerta e dominância utilizando o mesmo procedimento dos estudos de Lang et al. (2005) e Ribeiro et al. (2004 e 2005). O foco do estudo foram as diferenças de resposta para os estímulos de casais homossexuais (HM) e os de heterossexuais (HT) presentes no IAPS. Estímulos HM foram avaliados pela totalidade dos sujeitos como menos prazerosos, mais alertantes, e associados a menores níveis de dominância do que estímulos HT. Os homens avaliaram negativamente estímulos apresentando casais gays e positivamente estímulos apresentando casais de lésbicas, corroborando para a especificidade sexual da homofobia masculina. O Estudo II incluiu a medida de reações fisiológicas para confirmar os achados do Estudo I e a análise comparativa entre grupos por sexo, orientação sexual e distância social declarada a gays e lésbicas. Participaram 39 sujeitos (18 homens, 19 heterossexuais), expostos a 40 estímulos (16 afetivo-sexuais) enquanto eletromiogramas faciais (atividades dos músculos frontal e zigomático), condutância da pele e temperatura eram medidos. Os resultados confirmaram as observações obtidas no estudo I e demonstraram que a) a avaliação negativa de estímulos afetivo-sexuais ocorreram exclusivamente na amostra heterossexual; b) estímulos afetivosexuais foram classificados como de alto alerta, e estímulos apresentando lésbicas considerados mais alertantes e associados a maiores respostas eletrodérmicas para a amostra heterossexual; c) heterossexuais que declaram distância social a gays e lésbicas demonstram reações subjetivas e fisiológicas mais negativas também a estímulos HT, sugerindo que eles são menos receptivos a material visual erótico em geral; e d) a dimensão dominância apresentou-se específica para a orientação sexual, recebendo maiores valores para os intragrupos e menores para os exogrupos, sugerindo que o preconceito pode estar associado a sentimentos de baixa dominância (p ex., medo) e, portanto, ter um caráter defensivo.
Palavra-chave Nível de alerta/fisiologia
Preconceito sexual
Psicofisiologia
Sexualidade/psicologia
Afeto
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Associação Fundo de Incentivo à Psicofarmacologia (AFIP)
Data de publicação 2009-05-27
Publicado em LASAITIS, Cristina. Aspectos afetivos e cognitivos da homofobia no contexto brasileiro – Um estudo psicofisiológico. 2009. 182 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 182 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8974

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-00353a.pdf
Tamanho: 1.382MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-00353b.pdf
Tamanho: 1.710MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta