Anticorpos anti-HLA, anti-MICA e níveis séricos de CD30 solúvel: relação com sobrevida do enxerto renal

Anticorpos anti-HLA, anti-MICA e níveis séricos de CD30 solúvel: relação com sobrevida do enxerto renal

Título alternativo HLA-antibodies, anti-MICA and serum levels of CD30 soluble: relatioship to renal graft survival
Autor Grenzi, Patricia Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gerbase-Lima, Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objetivo: O propósito do presente estudo foi avaliar a relação de anticorpos anti-HLA e anti-MICA, assim como de níveis séricos de CD30 solúvel (sCD30) com a ocorrência de perda do enxerto por nefropatia crônica do enxerto (PE-NCE) e com tipos de alterações histológicas em biópsias do enxerto com NCE. Métodos: O trabalho foi realizado em uma coorte de 512 receptores com enxerto renal funcionante por pelo menos três anos por ocasião da coleta de uma primeira amostra de sangue, sendo que uma segunda amostra foi coletada 3,96 (3,2 - 5,0) anos após. Nesta coorte, constituída em 2002, foi anteriormente demonstrada associação entre anticorpos anti-HLA classe II, revelados por ELISA, e PE-NCE. No presente trabalho, determinamos, nas mesmas amostras de soro utilizadas no trabalho anterior, níveis séricos de sCD30 por ELISA (BenderMedSystems, Austria), e a presença de anticorpos anti-HLA e anti-MICA, utilizando tecnologia Luminex® (LabScreen Mixed, One Lambda), com o ponto de corte de positividade estabelecido como nMFI ≥10% da nMFI do controle positivo. A creatinina sérica do dia da coleta da amostra foi considerada. Análises estatísticas incluiram teste de log-rank para comparação de curvas de sobrevida de Kaplan-Meier, análise de regressão de Cox, teste de Mann-Whitney, teste exato de Fisher e correlação de Spearman. Resultados: Os riscos relativos (RR) para PE-NCE em período mínimo de 6,1 anos após a coleta de sangue conferidos por anticorpos anti- HLA classe II detectados por ELISA (RR=2,46) e por Luminex® (RR=1,98) não diferiram significativamente. Anticorpos anti-MICA não se associaram com PE-NCE, enquanto que níveis elevados de sCD30 e de creatinina sérica ≥ 2mg/dL, conferiram RRs de 2,14 e 8,61, respectivamente. A ocorrência simultânea de anticorpos anti-HLA classe II (ELISA), níveis elevados de sCD30 e de creatinina conferiu RR de 36,9 para PE-NCE. Anticorpos anti-HLA classe II se associaram a lesões glomerulares, e níveis elevados de sCD30, a lesões intersticiais e vasculares, enquanto creatinina ≥ 2mg/dL se associou aos três tipos de lesão. Conclusão: A avaliação simultânea de anticorpos anti-HLA II, níveis séricos de sCD30 e creatinina é uma ferramenta importante para estimar risco de perda do enxerto por NCE, no período pós-transplante tardio.
Palavra-chave Antigenos CD30
Antigenos HLA
Sobrevida
Transplante de rim
Anticorpos
Idioma Português
Data de publicação 2010-10-27
Publicado em GRENZI, Patricia Cristina. Anticorpos anti-HLA, anti-MICA e níveis séricos de CD30 solúvel: relação com sobrevida do enxerto renal. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 99 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8951

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-360.pdf
Tamanho: 610.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta