Análise quantitativa da força axial da língua

Análise quantitativa da força axial da língua

Título alternativo Quantitative analysis of axial force of tongue
Autor Motta, Andréa Rodrigues Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Chiari, Brasilia Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Distúrbios da comunicação humana (Fonoaudiologia) - São Paulo
Resumo Objetivo: analisar a força axial da língua e parâmetros relacionados. Métodos: foi conduzido um estudo por meio de análise de prontuários, no qual foram investigados os dados referentes a 92 indivíduos, sendo 29 (32,6%) homens e 63 (67,4%) mulheres, na faixa etária entre 14 e 53 anos de idade, com média de 23,3±7,7 anos. Dentre esses, 16 (17,4%) mulheres e sete (7,6%) homens apresentavam tônus de língua diminuído e 47 (51,1%) mulheres e 22 (23,9%) homens tônus lingual normal. Cada indivíduo foi submetido à avaliação clínica e instrumental da língua. Na avaliação clínica o tônus lingual foi verificado. A avaliação instrumental foi realizada por meio de um método de investigação da força axial da língua, desenvolvido pelo Grupo de Engenharia Biomecânica da Universidade Federal de Minas Gerais, o FORLING. Foram investigadas a força axial média, a força axial máxima, a energia acumulada pela língua e o tempo necessário para se alcançar a força máxima. Os dados foram analisados no programa R, tendo-se empregado medidas de tendência central e dispersão bem como os testes de Wilcoxon, Mann-Whitney, Friedman e o coeficiente de correlação de Sperman. Resultados: no que se refere ao parâmetro força média da língua, identificaram-se valores médios de 13,0 N, sendo esta mais alta em indivíduos do sexo masculino (p=0,001) e com avaliação clínica da língua normal (p=0,002). Já para a força máxima observou-se valor médio de 18,3 N, sendo este mais alto que o da força média (p<0,001). Os valores também se apresentaram mais altos nos indivíduos do sexo masculino (p=0,001) e com avaliação clínica da língua normal (p=0,005). Os respectivos coeficientes de variação para a 1ª, a 2ª e a 3ª medidas e para a média geral, no que se refere à força média axial da língua foram 36,6%, 34,2%, 34,3% e 32,9%. Já para a força máxima observou-se os seguintes valores para cada situação, respectivamente: 31,3%, 32,2%, 31,8% e 29,7%. A força média e a máxima da língua apresentaram correlação positiva e associação altamente significante (p<0,001). A energia acumulada pela língua indicou valores de 131,1 N/s, tendo-se verificado novamente maiores valores em indivíduos do sexo masculino (p=0,001) e com avaliação clínica da língua normal (p=0,002). O tempo médio gasto para que se alcance a força máxima da língua foi de 3,8 segundos, indicando um efeito do treinamento ao se comparar a 1ª à 3ª medida, com redução dos valores (p<0,001). Conclusões: a força média da língua foi de 13,0 N e a máxima de 18,3 N, sendo que esses dois parâmetros são positivamente correlacionados. A energia acumulada pela língua foi de 131 N/s, não tendo esse parâmetro acrescentado informações em relação aos demais. Já o tempo empregado para se alcançar a força máxima da língua foi de 3,8 s sendo que nesse parâmetro foi observado um efeito do treinamento. A força axial média, a máxima e a energia acumulada pela língua apresentaram valores maiores no sexo masculino e em indivíduos com o tônus lingual normal.

Objective: to analyze the axial strength of the tongue and related parameters. Methods: a study was conducted through analysis of records in which we investigated the data from 92 individuals: 29 (32.6 %) men and 63 (67.4%) women, aged between 14 and 53 years old with an average of 23.3 ± 7.7 years. From these, 16 women and 7 men had decreased lingual tonus and 22 men and 47 women normal lingual tonus. Each subject went to a clinical and instrumental tongue’s evaluation. The instrumental evaluation was performed by an instrument that measures the tongue’s axial strength developed by the Biomechanical Engineering Group, Federal University of Minas Gerais, named FORLING. It was investigated the axial medium Friedman, the axial maximum strength, the energy accumulated by the tongue and how long was required to reach maximum strength. The data was analyzed with the R program, been employed measures of central tendency and dispersion as well as the Wilcoxon, Mann-Whitney an d Friedman tests and Spearman's rank correlation. Results: in regard to the parameter tongue’s medium strength identified with an average of 13.0 N, which is higher in males (p = 0.001) and clinical evaluation of tongue normal (p = 0.002). As for the maximum strength observed, average of 18.3 N, which is higher than the medium strength (p <0.001). The values were higher in males (p = 0.001) and clinical evaluation of tongue normal (p = 0.005). The medium and maximum strength of the tongue showed positive and highly significant association (p <0.001). The energy accumulated by the tongue indicated values of 131.1 N/s, it was found higher values in males (p = 0.001) and clinical evaluation of tongue normal (p = 0.002). The average time to reach the maximum strength of the tongue was 3.8 seconds, indicating an effect of the training when comparing the 1st e 3rd measures, with reduced values (p <0.001). Conclusion: the medium strength of the tongue was 13.0 N and the maximum was 18.3 N and these two parameters are positively correlated. The energy accumulated by the tongue was 131 N/s and this parameter has not added information in relation to others. The time used to achieve maximum strength of the tongue was 3.8 s and in this parameter was observed a training effect. The medium axial strength, the maximum axial strength and the energy accumulated by the tongue were higher in males and in individuals with normal tongue tonus.
Palavra-chave Avaliação
Fonoaudiologia
Força muscular
Língua/fisiologia
Idioma Português
Data de publicação 2011-01-26
Publicado em MOTTA, Andréa Rodrigues. Análise quantitativa da força axial da língua. 121 f. 2011. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 121 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8944

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-12411.pdf
Tamanho: 909.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta