Análise dos resultados de ceratectomia fotorrefrativa com mitomicina C e LASIK para correção miópica

Análise dos resultados de ceratectomia fotorrefrativa com mitomicina C e LASIK para correção miópica

Título alternativo Analysis of photorefractive keratectomy with mitomycin C and LASIK results for myopic correction
Autor Wallau, Anelise Dutra Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Campos, Mauro Silveira de Queiroz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Purpose: To compare visual acuity results, cycloplegic refraction, aberrometry and contrast sensitivity in eyes that underwent photorefractive keratectomy (PRK) with mitomycin C (MMC) or laser in situ keratomileusis (LASIK) for wavefront-guided myopic corrections during one year follow-up. To evaluate slit-lamp microscopy in both groups during follow-up. To evaluate subjective pain, visual complains and satisfaction with visual results in the two groups during follow-up. To analyse specular microscopy values before and six months after surgeries in both groups. To compare biomechanical properties of the cornea in the two groups one year after surgeries. Methods: Forty-four patients (88 eyes) with moderate myopia and an estimated ablation depth greater than 50 μm using the LADARWave 4000 (Alcon Laboratories) platform in both eyes were randomized to receive LASIK in one eye and PRK with application of MMC 0.002% for one minute in the fellow eye in wavefront-guided surgeries. Corneal topography (EyeSys 2000, EyeSys and Orbscan II, Orbtek/Bausch & Lomb), uncorrected visual acuity (UCVA, Early Treatment Diabetic Retinopaty Study table), cycloplegic refraction, best spectacle-corrected visual acuity (BSCVA), aberrometry (LADARWave 4000), central ultrasound corneal pachymetry (Sonogage Inc) and a comprehensive ophthalmologic examination were performed before surgeries and at one, three, six and twelve months postoperative visits. Photopic and mesopic contrast sensitivity (Optec 6500, F.A.C.T.; Stereo Optical Co) with BSCVA was performed in both eyes before surgeries and at three, six and 12 months follow-up. A subjective pain questionnaire was applied at early postoperative visits and another visual complain and satisfaction questionnaire with surgery in each eye was applied one, three, six and twelve months after surgical procedures. Slit-lamp anterior segment microscopy was performed at early postoperative visits and at follow-up visits always as the last examination (blind examiner for surgical procedure). Specular microscopy (Topcon SP 2000p, Topcon) was performed before and six months after surgeries. Biomechanical properties of the cornea (ORA, Reichert) were evaluated one year after surgeries. The tests ANOVA for repeated measures and the student’s t test were used for statistical analyses. Results: The mean age was 31.7 years (range, 21-54 years). There was no statistically significant between-group difference in UCVA, BSCVA, aberrometry, contrast sensitivity or specular microscopy before surgeries. The mean attempted spherical equivalent (SE) was - 3.99±1.20 diopters (D) in LASIK eyes and - 3.85±1.12 D in PRK with MMC eyes (p>0.05). The mean ablation depth was 73.09±14.55 μm and 70.70±14.07 μm in LASIK and PRK with MMC eyes, respectively (p>0.05). Forty-two patients (95.5%) completed one year follow-up. The PRK with MMC eyes presented statistically significant better mean UCVA values than LASIK eyes at three, six and 12 months visits. The mean BSCVA was also statistically significant better in PRK with MMC eyes than in LASIK eyes one year after surgeries (p<0.05). There was no between-groups statistical difference in SE during one year follow-up. All PRK with MMC eyes reepithelialized within five days after surgical procedure and no eye presented more than grade 1 haze (Fantes scale). The LASIK eyes presented statistically significant higher lower and higher order aberrations values than PRK with MMC eyes during follow-up (p<0.05). The PRK with MMC group showed better results in photopic and mesopic contrast sensitivity than LASIK eyes during one year follow-up (p<0.05). Until the fifth postoperative day, PRK with MMC eyes presented higher pain scores than LASIK eyes. PRK with MMC eyes were better rated in terms of subjective visual symptoms and visual satisfaction. There were no statistical differences between the groups in specular microscopy (p>0.05). LASIK eyes showed statistically significant higher corneal resistance factor (CRF) and corneal hysteresis (CH) values than PRK with MMC eyes (p<0.05). Conclusions: The PRK with MMC eyes presented better UCVA, BSCVA, better correction of lower order aberrations and lower higher order aberration values than LASIK eyes. It also showed better contrast sensitivity results and was better rated in terms of visual satisfaction. There was no clinically significant haze in PRK with MMC eyes. The PRK with MMC eyes presented higher pain scores at early postoperative visits. There was no between groups differences in specular microscopy. LASIK eyes presented higher CRF and CH values one year after surgeries.

Objetivos: Comparar os resultados de acuidade visual, refração estática, aberrometria e sensibilidade ao contraste em olhos com miopia moderada submetidos à ceratectomia fotorrefrativa (PRK) com mitomicina C (MMC) ou à ceratomileuse assistida por excimer laser in situ (LASIK) em cirurgias guiadas por frente de onda durante acompanhamento de um ano. Avaliar o aspecto biomicroscópico nos dois grupos durante seguimento. Avaliar subjetivamente percepção de dor, queixas visuais e satisfação com resultado cirúrgico nos dois grupos durante acompanhamento. Analisar índices de microscopia especular nos dois grupos antes e seis meses após cirurgia. Comparar propriedades biomecânicas da córnea nos dois grupos um ano após o procedimento cirúrgico. Métodos: Quarenta e quatro pacientes (88 olhos) com miopia moderada e cálculo de consumo corneano maior que 50 μm na plataforma LADARWave 4000 (Alcon) em ambos os olhos foram selecionados para receber aleatoriamente LASIK em um olho e PRK com aplicação de MMC 0,002% durante um minuto no olho contralateral em cirurgias guiadas por frente de onda. Topografia corneana (EyeSys 2000, EyeSys e Orbscan II, Orbtek/Bausch & Lomb), acuidade visual sem correção (AVSC, tabela Early Treatment Diabetic Retinopaty Study), refração estática, acuidade visual com correção (AVCC), aberrometria (LADARWave 4000), paquimetria ultrassônica corneana central (Sonogage) e exame oftalmológico completo foram realizados no pré-operatório e no seguimento de um, três, seis e doze meses pós-operatório. Sensibilidade ao contraste fotópica e mesópica (Optec 6500, F.A.C.T.; Stereo Optical) com correção foram realizadas nos dois olhos antes da cirurgia e três, seis e doze meses após. Questionário subjetivo de dor foi aplicado no pós-operatório recente, e questionário de sintomas visuais e satisfação com o procedimento em cada olho foi aplicado nas visitas de acompanhamento com um, três, seis e doze meses de pós-operatório. Biomicroscopia de segmento anterior foi realizada no período pós-operatório recente e nas visitas de acompanhamento sempre como último exame do dia (examinador mascarado para procedimento cirúrgico). Microscopia especular (Topcon SP 2000p) foi realizada antes e seis meses após cirurgia. Avaliação biomecânica da córnea (ORA, Reichert) foi realizada um ano após o procedimento cirúrgico. Os testes ANOVA para medidas repetidas e t de student foram utilizados para análise estatística. Resultados: A média de idade dos pacientes do estudo foi de 31,7 anos (variou entre 21 e 54 anos). Não houve diferença significativa entre os grupos antes da cirurgia quanto a AVSC, AVCC, aberrometria, sensibilidade ao contraste ou microscopia especular. O equivalente esférico (EE) médio programado nos olhos que receberam LASIK foi de - 3,99±1,20 dioptrias (D) e de - 3,85±1,12 D nos olhos que receberam PRK com MMC (p>0,05). A profundidade de ablação média foi de 73,09±14,55 μm e 70,70±14,07 μm, no grupo LASIK e no grupo PRK com MMC, respectivamente (p>0,05). Quarenta e dois pacientes (95,5%) completaram um ano de acompanhamento. Os olhos que receberam PRK com MMC apresentaram média de AVSC significativamente superior aos olhos que receberam LASIK com três, seis e doze meses de pós-operatório. A média de AVCC também foi estatisticamente superior no grupo PRK com MMC na visita de um ano de pós-operatório (p<0,05). Não houve diferença estatística entre os grupos quanto ao EE ao longo do acompanhamento. Todos os olhos que receberam PRK com MMC completaram a reepitelização corneana em até cinco dias após o procedimento, e nenhum olho apresentou haze maior que grau 1 (escala de Fantes). Os olhos que receberam LASIK apresentaram valores de aberrações de baixa e alta ordem estatisticamente superiores aos olhos que receberam PRK com MMC durante todo o acompanhamento (p<0.05). Os olhos que receberam PRK com MMC obtiveram desempenho superior no teste de sensibilidade ao contraste em condições fotópicas e mesópicas quando comparados ao grupo LASIK durante seguimento (p<0,05). Até o quinto dia de pós-operatório, o grupo PRK com MMC apresentou índices de dor superiores ao grupo LASIK. O grupo PRK com MMC foi melhor avaliado no questionário subjetivo de queixas visuais e satisfação cirúrgica. Não houve diferença estatística entre os grupos quanto à microscopia especular (p>0,05). Na avaliação biomecânica da córnea, o grupo LASIK apresentou valores de fator de resistência corneana (CRF) e histerese (CH) significativamente superiores ao grupo PRK com MMC (p<0,05). Conclusões: Os olhos que receberam PRK com MMC apresentaram melhores valores de AVSC e AVCC, melhor correção de aberrações de baixa ordem e menores valores de aberrações de alta ordem em relação aos olhos que receberam LASIK. O grupo PRK com MMC também apresentou valores superiores de sensibilidade ao contraste e foi melhor avaliado em questionário subjetivo de satisfação cirúrgica. Não houve presença de haze clinicamente significativo no grupo PRK com MMC. O grupo PRK com MMC apresentou maiores índices de dor no período pósoperatório recente. Não houve diferença entre os índices de microscopia especular nos dois grupos. O grupo LASIK apresentou índices superiores de CRF e CH.
Assunto Ceratectomia fotorrefrativa
Mitomicina C
Cirurgia da córnea a laser
Miopia
Photorefractive keratectomy
Mitomycin
Corneal surgery, laser
Myopia
Ceratomileuse Assistida por Excimer Laser In Situ
Keratomileusis, Laser In Situ
Idioma Português
Data 2010-02-24
Publicado em WALLAU, Anelise Dutra. Análise dos resultados de ceratectomia fotorrefrativa com mitomicina C e LASIK para correção miópica. 2010. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8934

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-026a.pdf
Tamanho: 72.55Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir
Nome: Publico-026b.pdf
Tamanho: 2.073Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir
Nome: Publico-026c.pdf
Tamanho: 2.083Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir
Nome: Publico-026d.pdf
Tamanho: 895.1Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)