Análise comparativa dos efeitos da combinação fumarato de formoterol e brometo de tiotrópio versus monoterapia com fumarato de formoterol na hiperinsuflação pulmonar dinâmica e na tolerância ao exercício em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica moderada à grave

Análise comparativa dos efeitos da combinação fumarato de formoterol e brometo de tiotrópio versus monoterapia com fumarato de formoterol na hiperinsuflação pulmonar dinâmica e na tolerância ao exercício em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica moderada à grave

Título alternativo Effects of Formoterol versus Formoterol plus Tiotropium on Exercise Tolerance in COPD
Autor Berton, Danilo Cortozi Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Neder, José Alberto Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (pneumologia) – São Paulo
Resumo It is currently unclear whether the additive effects of a combination between a longacting b2-agonist and the antimuscarinic tiotropium bromide (TIO) on lung function are actually translated into higher exercise tolerance in patients with chronic obstructive pulmonary disease (COPD). On a double-blind and cross-over study, 33 patients with moderate to severe disease (FEV1= 47.4 ± 12.9 % pred) were randomly allocated to formoterol fumarate 12 ìg b.i.d. (FOR) plus TIO 18 ìg o.d. or FOR plus placebo o.d. during 2 weeks. Cardiopulmonary responses were evaluated on constant-speed treadmill tests to the limit of tolerance (Tlim). Increases in FEV1 were greater with FOR-TIO compared to FOR (p<0.05). Although FOR-TIO was associated with larger mean group improvements in Tlim and dynamic hyperinflation, there was a lack of additional effect of TIO over FOR in 10/26 (38.4 %) patients. Of note, those who further improved with FOR-TIO had worse baseline exercise capacity and airways obstruction; in addition, they had larger increases in FEV1 (p<0.05) and inspiratory capacity (p= 0.09) at the end of treatment with the combination therapy. In conclusion, FOR-TIO further enhances exercise tolerance compared to FOR monotherapy in selected COPD patients who are particularly disabled and functionally responsive to cholinergic blockade.

Os broncodilatadores de longa duracao sao fundamentais para o tratamento farmacologico da doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) moderada a grave. Entretanto, permanece indefinido se a adicao do anticolinergico de longa duracao brometo de tiotropio (TIO) a um ƒÀ2-agonista de longa acao resulta em efeitos sinergicos na reducao da hiperinsuflacao pulmonar dinamica e, por conseguinte, no aumento da tolerancia ao exercicio nesta populacao de pacientes. Num estudo duplo-cego e cruzado, 33 pacientes com DPOC de moderada a grave intensidade (VEF1= 47,4 } 12,9%prev) foram aleatoriamente alocados para receber fumarato de formoterol 12 ƒÊg 2x/dia (FOR) e TIO 18 ƒÊg 1x/dia ou FOR e placebo de TIO 1x/dia durante duas semanas, separados por um periodo de wash-out de sete dias. Antes e apos cada tratamento, os pacientes realizaram provas espirometricas e as respostas cardiopulmonares foram avaliadas num teste de exercicio de alta intensidade com velocidade constante em esteira ergometrica ate o limite da tolerancia (Tlim). Durante os testes de exercicio os pacientes realizaram medidas seriadas de capacidade inspiratoria para estimativa do grau de hiperinsuflacao pulmonar dinamica. Os valores de VEF1 apos o periodo de tratamento foram maiores com TIO+FOR comparado ao FOR isolado (1,34 } 0,42L vs 1,25 } 0,39L, p<0,05). Embora TIO+FOR tenha sido associado com maior incremento no Tlim e reducao da hiperinsuflacao pulmonar dinamica na amostra como um todo, o tratamento combinado nao foi superior ao FOR em aumentar o Tlim em 10/26 (38,4%) pacientes (NRESP). Os individuos que obtiveram melhora adicional na tolerancia ao esforco com a combinacao TIO+FOR (RESP) tiveram menor capacidade de exercicio (418 } 193s vs 610 } 244s, p= 0,036) e pior obstrucao ao fluxo aereo. De fato, uma proporcao significativamente maior de RESP (81,3%) comparados a NRESP (30%) apresentou valores de VEF1 menores do que 1,2L (p<0,01), cerca de 40% do previsto. Alem disso, os RESP apresentaram maior aumento do VEF1 (p<0,05) e da capacidade inspiratoria (p= 0,09) quando receberam a terapia combinada, comparativamente aos NRESP. Em conclusao, a combinacao TIO+FOR melhorou a capacidade de exercicio comparativamente a monoterapia com FOR num grupo selecionado de pacientes com DPOC de moderada a grave intensidade que se mostraram particularmente incapacitados e funcionalmente mais responsivos ao bloqueio colinérgico.
Assunto Dispnéia
Exercício
Hiperinsuflação pulmonar
Broncodilatador
Idioma Português
Data 2009-02-27
Publicado em BERTON, Danilo Cortozi. Análise Comparativa dos Efeitos da Combinação Fumarato de Formoterol e Brometo de Tiotrópio versus Monoterapia com Fumarato de Formoterol na Hiperinsuflação Pulmonar Dinâmica e na Tolerância ao Exercício em Pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica Moderada à Grave. 2009. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8897

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Retido-00288a.pdf
Tamanho: 1.297Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir
Nome: Retido-00288b.pdf
Tamanho: 1.084Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)