Alterações de padrão de sono, bruxismo e disfunção temporomandibular em usuários de êxtase: um estudo controlado

Show simple item record

dc.contributor.advisor Souza-Formigoni, Maria Lucia Oliveira de [UNIFESP]
dc.contributor.author Simi, Roberta [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-07-22T20:49:18Z
dc.date.available 2015-07-22T20:49:18Z
dc.date.issued 2009-11-25
dc.identifier.citation SIMI, Roberta. Alterações de padrão de sono, bruxismo e disfunção temporomandibular em usuários de êxtase: um estudo controlado. 2009.136 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8882
dc.description.abstract Users of MDMA (methylenedioxymethamphetamine), a drug popularly known as ecstasy, report feeling tension in the muscles of the face and bruxism in effect of the drug. We compared a group of users of ecstasy (57 people) to a group of non-users (57 persons) in relation to the presence of changes in architecture or sleep disturbances (by polysomnography), signs and symptoms of temporomandibular disorders (TMD evaluated by the RDC - Research Diagnostic Criteria), bite force, pattern and context of use of ecstasy and other psychoactive substances and associate problems (measured by DUSI-R - Drug Use Screening Inventory Revised). Volunteers were people aged 18 to 40 years, of both sexes, with natural dentition and no history of trauma (cervical or facial), hormonal or neurological disorders, or psychoactive substances dependence (except ecstasy in the experimental group) and not were using drugs acting on the central nervous system. The group of ecstasy users had a higher percentage of stage 3 sleep, less time awake, high number of oxygen desaturations, increased number of episodes of periodic legs moviments, the greater presence of snoring and bruxism phasic. No were found clinically significant differences between groups in symptoms of TMD. The ecstasy users also had higher rates of problems with the use of other psychoactive substances, a higher proportion of relationship problems and adjustment to work. Among users of ecstasy users who were also at risk of alcohol, the presence of bruxism was more pronounced. This confirms in part the association between use of ecstasy and bruxism, which is more evident under the influence of drugs and more rare in the period after cessation of use. en
dc.description.abstract Os usuários de MDMA (metilenodioximetanfetamina), droga popularmente conhecida como êxtase, relatam sentir tensão na musculatura do rosto e bruxismo sob efeito da droga. Comparamos um grupo de usuários de êxtase (57 pessoas) a um grupo de não usuários (57 pessoas) em relação à presença de alterações na arquitetura ou distúrbios do sono (por meio de exame de polissonografia); sinais e sintomas de Disfunção Temporomandibular (DTM, avaliados pelo RDC - Research Diagnostic Criteria); força de mordida; padrão e contexto de uso de êxtase e de outras substâncias psicoativas e problemas associados (avaliados pelo DUSI–R - Drug Use Screening Inventory revisado). Foram voluntárias pessoas com idade de 18 a 40 anos, de ambos os sexos, com dentição natural, sem história pregressa de traumas (cervicais ou faciais); distúrbios neurológicos ou hormonais; dependência de substâncias psicoativas (exceto êxtase no grupo experimental) e que não estivessem utilizando medicamentos com ação sobre o sistema nervoso central. O grupo de usuários de êxtase apresentou maior porcentagem de estágio 3 do sono; menor tempo em vigília; maior número de dessaturações de oxigênio, maior número de episódios de movimento periódico das pernas, maior presença de ronco e de bruxismo fásico. Não foram detectadas diferenças clinicamente significativas entre os grupos em relação aos sintomas de DTM. Os usuários de êxtase também apresentaram maior índice de problemas em relação ao consumo de outras substâncias psicoativas, maior proporção de problemas de relacionamento e de adaptação ao trabalho. Entre os usuários de êxtase que também eram usuários de risco de álcool, a presença de bruxismo foi mais acentuada. Desta forma, confirma-se parcialmente a associação entre o uso de êxtase e bruxismo, que é mais evidente sob o efeito da droga e mais rara no período após a cessação do uso. pt
dc.description.sponsorship Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.format.extent 136 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso aberto
dc.subject Bruxismo pt
dc.subject Êxtase pt
dc.subject Disfunção temporomandibular pt
dc.subject Polissonografia pt
dc.subject ecstasy en
dc.subject polysomnography en
dc.subject bruxismo en
dc.subject temporomandibular disorders en
dc.subject DUSI
dc.subject Temporomandibular Joint Dysfunction Syndrome en
dc.subject Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular pt
dc.subject N-Metil-3,4-Metilenodioxianfetamina pt
dc.subject N-Methyl-3,4-methylenedioxyamphetamine en
dc.title Alterações de padrão de sono, bruxismo e disfunção temporomandibular em usuários de êxtase: um estudo controlado pt
dc.title.alternative Sleep patterns alterations, bruxism and DTM in ecstasy users: a controlled study en
dc.type Dissertação de mestrado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.description.sponsorshipID FAPESP: 2004/11301-2
dc.identifier.file Tese-11982.pdf
dc.description.source TEDE
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt
unifesp.graduateProgram Psicobiologia – São Paulo



File

Name: Tese-11982.pdf
Size: 3.395Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account