Resposta esteroidogênica induzida por hCG em garanhões jovens Mangalarga: testosterona e sulfato de estrona plasmáticos

Resposta esteroidogênica induzida por hCG em garanhões jovens Mangalarga: testosterona e sulfato de estrona plasmáticos

Título alternativo hCG induced steroidogenic response in Mangalarga young stallions: plasma testosterone and estrone sulphate
Autor Lima, Samira Barbosa Google Scholar
Wischral, Aurea Google Scholar
Ferreira, Fernando Google Scholar
Verreschi, Ieda Therezinha do Nascimento Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Leydig cell acute steroidogenic response, in seven young Mangalarga stallions (2.6 - 4.5 ys), was evaluated through human Corionic Gonadotrophin (hCG) stimulation. The animals were treated with 5,000 UI (hCG) Vetecor®, i.v., in bollus, at 8 a.m. Plasma samples were collected by venopuncture at 7 a.m. (basal), 4, 24, 48, and 72 hours after stimulation (from 28 to August 31). Testosterone (T) and estrone sulphate (E1SO4) was measured by radioimmunoassay (RIA), intra-assay variation <= 5%. Data were analysed by Friedman and Wilcoxon Matched-Pairs tests (p <= 0.05). The magnitude of hormonal production after stimulation was analysed by Percentual Variation (delta %). At 48 hours, 57.1% of the animals (n = 4) had maximal response (T) with values 5.7 greater than basal. And although 57.1% of them (n = 4) had maximal response (E1SO4) at 4 hours, the maximal value was 1.6 greater than basal at 24 hours. The hCG may be employed to stimulate the Leydig cell steroidogenic response and 5,000 UI is enough to stimulate testicular steroidogenesis. The estrogen basal concentrations are higher than testosterone basal concentrations. This protocol could be applied to identify fertility problems of endocrine origin in horses of this breed.

Avaliou-se a resposta esteroidogênica aguda da célula de Leydig em sete garanhões jovens da raça Mangalarga (2,6 a 4,5 anos), através de estimulação com gonadotrofina coriônica humana (hCG). Os animais foram tratados com 5.000 UI (hCG) Vetecor®, i.v., in bollus, às 8 horas. Amostras de plasma foram obtidas por venopuntura às 7 horas (basal), 4, 24, 48, 72 horas pós-estímulo (28 a 31 de agosto). Testosterona (T) e sulfato de estrona (E1SO4) foram dosados por radioimunoensaio (RIE) c.v. <= 5%. Os dados foram analisados pelos testes Friedman e Wilcoxon Matched-Pairs Signed Ranks (p <= 0,05). A magnitude da produção hormonal após o estímulo foi calculada pela Variação Percentual (delta %). Às 48 horas do teste, 57,1% dos animais (n = 4) apresentaram pico de T com um aumento de 5,7 vezes com relação ao basal. Embora em 57,1% (n = 4) tenha ocorrido a resposta máxima de E1SO4 às 4 horas, o valor máximo foi de 1,6 vez às 24 horas. A hCG pode ser empregada para estimular a resposta esteroidogênica da célula de Leydig e a dose de 5.000 UI é suficiente para estimular a esteroidogênese testicular. Em condições basais, as concentrações plasmáticas de estrógenos são superiores às dos andrógenos. Este protocolo pode ser usado para identificar problemas de origem endócrina em cavalos desta raça.
Assunto Leydig cell
Equine
hCG
Testosterone
Célula de Leydig
Eqüinos
hCG
Testosterona
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data 2000-01-01
Publicado em Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo, v. 37, n. 1, p. 00-00, 2000.
ISSN 1413-9596 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1413-95962000000100008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1413-95962000000100008 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/888

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S1413-95962000000100008.pdf
Tamanho: 257.8Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)