A ingestão de ácidos graxos trans, durante a gestação e lactação, modifica os mecanismos intracelulares envolvidos com a resposta inflamatória, na prole com 21 dias de vida

A ingestão de ácidos graxos trans, durante a gestação e lactação, modifica os mecanismos intracelulares envolvidos com a resposta inflamatória, na prole com 21 dias de vida

Título alternativo Hydrogenated fat intake during pregnancy and lactation modify intracellular mechanisms related to inflammatory response, in 21-days-old offspring
Autor Oliveira, Juliana Lopez de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nascimento, Claudia Maria da Penha Oller do Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Nutrição - EPM
Resumo Although lipids transfer through placenta is very limited, modification in dietary fatty acids can lead to implications in fetal and postnatal development. Trans fatty acid intake during gestation and lactation have been reported to promote dyslipidemia and increase in pro- inflammatory adipokines in offspring. The aim of this study was to evaluate whether the alterations on proinflammatory cytokines and dyslipidemia observed previously in 21-d-old offspring of rats fed a diet containing hydrogenated vegetable fat during gestation and lactation were related to alterations in TLR-4, TRAF-6 and adipo- R1 receptor in white adipose tissue and muscle. On the first day of gestation, rats were randomly divided into two groups: (C) received a control diet, and (TFA) received a diet enriched with hydrogenated vegetable fat, rich in trans fatty acids. The diets were maintained throughout gestation and lactation. Each mother was given eight male pups. On the 21st day of life the offspring were killed. Blood, soleus and extensor digital longus (EDL) muscles, and retroperitoneal (RET) white adipose tissue were collected. 21-d-old of TFA rats had higher serum triacylglycerols, cholesterol, and insulin. The Adipo R1 protein expression was lower in RET and higher in EDL of TFA group than C. TLR-4 protein content in all studied tissues were similar between groups, the same was verified in TRAF-6 protein expression in soleus and EDL. However, TRAF- 6 protein expression in RET was higher in TFA than C. These results demonstrated that maternal ingestion of hydrogenated vegetable fat rich in TFAs during gestation and lactation decrease in Adipo R1 protein expression and increase in TRAF-6 protein expression in retroperitoneal adipose tissue, but not in skeletal muscle, which could contributed for hyperinsulinemia and dyslipidemia observed in their 21-d-old offspring.

Embora a transferência de lipídios através da placenta seja muito limitada, a modificação dos ácidos graxos da dieta pode levar a implicações no desenvolvimento fetal e pós-natal. A ingestão de ácidos graxos trans durante a gestação e lactação têm sido relacionada com dislipidemia e aumento de adipocinas pró-inflamatórias na prole. O objetivo deste estudo foi avaliar se as alterações nas citocinas pró-inflamatórias e dislipidemia observada anteriormente na prole de 21 dias de idade, de ratos alimentados com dieta contendo gordura vegetal hidrogenada durante a gestação e lactação estão relacionadas com alterações em TLR-4, TRAF-6 e Adipo-R1 no tecido adiposo e muscular. No primeiro dia de gestação, os ratos foram divididos aleatoriamente em dois grupos: (C) que recebeu dieta controle e (AGT) que recebeu dieta enriquecida com gordura vegetal hidrogenada, rica em ácidos graxos trans. As dietas foram mantidas durante toda a gestação e lactação. Cada mãe concebeu oito filhotes machos. No 21º dia de vida os filhotes foram eutanasiados. Sangue, tecido muscular sóleo e extensor digital longus (EDL), além do tecido adiposo branco retroperitoneal (RET) foram coletados. Os ratos de 21 dias de vida do grupo AGT apresentaram níveis séricos aumentados de triacilgliceróis, colesterol e insulina. A expressão potéica de Adipo-R1 no grupo AGT foi menor no tecido RET e superior no músculo EDL quando comparado com o C. TLR-4 foi semelhante entre os grupos em todos os tecidos estudados e o mesmo foi verificado na expressão protéica de TRAF-6 nos músculos sóleo e EDL. No entanto, a expressão protéica de TRAF-6 no RET foi maior no AGT que no C. Estes resultados demonstraram que a ingestão materna de gordura vegetal hidrogenada rica em ácidos graxos trans (AGT) na gestação e lactação, diminui a expressão protéica de Adipo-R1 e aumenta a expressão protéica de TRAF-6 no tecido adiposo retroperitoneal, mas não no músculo esquelético, o que pode ter contribuido para a hiperinsulinemia e dislipidemia observada na prole de 21 dias de idade.
Assunto Pregnancy
Dislipidemia e resposta inflamatória
Dyslipidemia and inflammatory response
Gravidez
Tecido adiposo branco e muscular
White adipose tissue and muscle
Gordura vegetal hidrogenada
Hydrogenated vegetable fat
Gorduras vegetais
Vegetable fats
Adipose tissue, white
Tecido adiposo branco
Lactação
Lactation
Dyslipidemias
Dislipidemias
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data 2010-11-24
Publicado em OLIVEIRA, Juliana Lopez de. A ingestão de ácidos graxos trans, durante a gestação e lactação, modifica os mecanismos intracelulares envolvidos com a resposta inflamatória, na prole com 21 dias de vida. 2010. 72 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2010.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 72 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8830

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Retido-422.pdf
Tamanho: 705.7Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta