Women in situations of violence: limits of assistance

Women in situations of violence: limits of assistance

Título alternativo Mulher em situação de violência: limites da assistência
Autor Silva, Ethel Bastos da Google Scholar
Padoin, Stela Maris de Mello Google Scholar
Vianna, Lucila Amaral Carneiro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte do Estado do Rio Grande do Sul
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo This paper analyzes the limitations of the care of professionals of family health teams provided to women in situations of violence in the integrated care network in a city in the northwest region of Rio Grande do Sul state, Brazil. The data is part of a survey conducted with six teams participating in family health care in the course of eight meetings, in which the group identified the limits and potential of the practice. The causes of limits, solutions and improvement actions were discussed in a movement of reflection, action and learning. The empirical material was recorded, transcribed and subjected to Bardin's thematic content analysis. The results show the lack of coordination between the sectors of the network; lack of protocol, flow and organization of reference and counter-reference; inefficiency of police, judiciary and security sectors; and the lack of professionals to work on violence against women and in the perspective of the network as restrictive conditions for efficient practice. The need is highlighted for greater support of municipal managers to the professionals for networking and encouragement through the qualification and ongoing education courses that address issues such as gender equity, guarantee of rights and a care network.

Este artigo analisa as limitações da prática assistencial de profissionais de equipes de saúde da família a mulheres em situação de violência na rede integrada de atenção em um município da região noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Os dados fazem parte de uma pesquisa participante realizada com seis equipes de saúde da família durante oito encontros, nos quais o grupo identificou os limites e as potencialidades da prática. Discutiram-se as causas dos limites, soluções e ações de melhoria em um movimento de reflexão, ação e aprendizagem. O material empírico foi gravado, transcrito e submetido à análise de conteúdo temático de Bardin. Os resultados mostram ausência de articulação entre os setores da rede; falta de protocolo, fluxo e organização de referência e contrarreferência; ineficiência dos setores da polícia, justiça e de segurança; e o despreparo dos profissionais para trabalhar com a violência contra a mulher e na perspectiva de rede como condições restritivas para uma prática eficiente. Ressalta-se a necessidade de maior apoio dos gestores municipais aos profissionais para trabalhar em rede e incentivo à qualificação por meio de cursos e educação permanente, que abordem temas como equidade de gênero, garantia de direitos e rede de atenção.
Palavra-chave Violence against women
Health professional
Family health program
Social network
Violência contra a mulher
Profissional de saúde
Programa Saúde da Família
Rede social
Idioma Inglês
Data de publicação 2015-01-01
Publicado em Ciência & Saúde Coletiva. ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva, v. 20, n. 1, p. 249-258, 2015.
ISSN 1413-8123 (Sherpa/Romeo)
Publicador ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Extensão 249-258
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014201.21202013
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1413-81232015000100249 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8781

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1413-81232015000100249.pdf
Tamanho: 86.83KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta