Atenolol prevents the formation of expansive hematoma after rhytidoplasty

Atenolol prevents the formation of expansive hematoma after rhytidoplasty

Título alternativo O atenolol previne a formação de hematoma expansivo após ritidoplastia
Autor Moreira, Amanda Castilho Google Scholar
Moreira, Marcio Google Scholar
Gurgel, Sanderland José Tavares Google Scholar
Moreira, Yasmin Castilho Google Scholar
Martins, Eguimar Roberto Google Scholar
Hartmann, Raphael Chalbaud Biscaia Google Scholar
Fagundes, Djalma José Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Western São Paulo University
Ingá Faculty
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective:To evaluate the perioperative use of atenolol in reducing the incidence of hematoma after rhytidoplasty.Methods:Between January 2007 and February 2013, 80 patients were randomized into two groups: Group A (n = 26) received perioperative atenolol in order to maintain heart rate (PR) around 60 per minute; Group B (n = 54) did not receive atenolol. Both groups underwent the same anesthetic and surgical technique. We monitored blood pressure (BP), HR, hematoma formation and the need for drainage. Patients were followed-up until the 90th postoperative day. The variables were compared between the groups using the ANOVA test. Continuous variables were presented as mean ± standard deviation and the differences were compared with the Student's t test. Values of p d 0.05 were considered significant.Results:In group A the mean BP (110-70mmHg ± 7.07) and HR (64 / min ± 5) were lower (p d 0.05) than in group B (135-90mmHg ± 10.6) and (76 / min ± 7.5), respectively. There were four cases of expansive hematoma in group B, all requiring reoperation for drainage, and none in group A (p d 0,001).Conclusion:The perioperative use of atenolol caused a decrease in blood pressure and heart rate and decreased the incidence of expanding hematoma after rhytidectomy.

Objetivo:avaliar o uso perioperatório do atenolol na redução da incidência de hematoma pós-ritidoplastia.Métodos:entre janeiro de 2007 e fevereiro de 2013 foram randomizados 80 pacientes em dois grupos: Grupo A (n=26) recebeu atenolol perioperatório com objetivo de manter frequência de pulso (FP) ± 60 por minuto, Grupo B (n=54) não recebeu atenolol. Ambos os grupos foram submetidos à mesma técnica anestésico-cirúrgica. A pressão arterial (PA) e FP, formação de hematoma e a necessidade de drenagem foram monitorizados. Houve seguimento até o 90º dia de pós-operatório. As variáveis foram analisadas entre os dois grupos utilizando-se o teste de ANOVA. As variáveis contínuas foram apresentadas como média (± Desvio-padrão) e as diferenças foram comparadas utilizando-se o t de Student. Foram considerados significantes os valores p<0,05.Resultados:as médias no grupo A de PA (110-70mmHg ± 7,07) e FP (64 /min ± 5) foram menores (p<0,05) em relação ao grupo B (135-90mmHg ± 10,6) e (76/min ± 7,5), respectivamente. Houve quatro casos de hematoma expansivo no grupo B, todos com necessidade de reoperação para a sua drenagem e nenhum no grupo A (p<0,001).Conclusão:o uso do atenolol perioperatório promoveu a redução de pressão arterial e frequência de pulso e diminuiu a incidência de hematoma expansivo pós-ritidoplastia.
Palavra-chave beta adrenergic antagonists
Ischemia
Hematoma
Rhytidectomy
Face
Antagonistas adrenérgicos beta
Isquemia
Hematoma
Ritidoplastia
Face
Idioma Inglês
Data de publicação 2014-10-01
Publicado em Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 41, n. 5, p. 305-310, 2014.
ISSN 0100-6991 (Sherpa/Romeo)
Publicador Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Extensão 305-310
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/0100-69912014005002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-69912014000500305 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8630

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-69912014000500305.pdf
Tamanho: 40.54KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta