Educational bias in the assessment of severe dementia: Brazilian cutoffs for severe Mini-Mental State Examination

Educational bias in the assessment of severe dementia: Brazilian cutoffs for severe Mini-Mental State Examination

Título alternativo Viés educacional na avaliação da demência grave: pontos de corte brasileiros para o Miniexame do Estado Mental grave
Autor Wajman, José Roberto Google Scholar
Oliveira, Fabricio Ferreira de Autor UNIFESP Google Scholar
Schultz, Rodrigo Rizek Google Scholar
Marin, Sheilla de Medeiros Correia Autor UNIFESP Google Scholar
Bertolucci, Paulo Henrique Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Cognitive assessment in advanced stages of Alzheimer’s disease (AD) is limited by the imprecision of most instruments.Objective:To determine objective cognitive responses in moderate and severe AD patients by way of the Severe Mini-Mental State Examination (SMMSE), and to correlate performances with Mini-Mental State Examination (MMSE) scores. Method:Consecutive outpatients in moderate and severe stages of AD (Clinical Dementia Rating 2.0 or 3.0) were evaluated and compared according to MMSE and SMMSE scores. Results:Overall 400 patients were included, 67.5% females, mean age 76.6±6.7 years-old. There was no significant impact of age or gender over MMSE or SMMSE scores. Mean schooling was 4.4±2.5 years, impacting SMMSE scores (p=0.008). Scores on MMSE and SMMSE were significantly correlated (F-ratio=690.6325, p<0.0001). Conclusion:The SMMSE is influenced by schooling, but not by age or gender, and is an accurate test for assessment of moderate and severe AD.

A avaliação cognitiva na doença de Alzheimer (DA) avançada é insuficiente pela imprecisão dos instrumentos.Objetivo:Determinar respostas cognitivas objetivas em pacientes com DA moderada e grave por meio do Mini-Exame do Estado Mental Grave (MEEM-g) e correlacionar o seu desempenho com o Mini-Exame do Estado Mental (MEEM). Método:Pacientes consecutivos com DA moderada e grave (Clinical Dementia Rating – CDR: 2.0 e 3.0) foram avaliados e comparados conforme seus intervalos nos testes MEEM e MEEM-g. Resultados:Dentre 400 pacientes incluídos, 67,5% foram mulheres, com média de idade 76.6±6.7 anos. Não houve impacto significativo de gênero ou idade nas pontuações do MEEM ou MEEM-g. A escolaridade média foi de 4.4±2.5 anos, impactando nos escores do MEEM-g (p=0.008). Pontuações no MEEM e MEEM-g correlacionaram-se significativamente (F-ratio=690.6325, p<0.0001). Conclusão:O MEEM-g sofre influência da escolaridade, mas não de idade ou gênero, contribuindo para a precisão na avaliação da DA moderada ou grave.
Palavra-chave Alzheimer disease
dementia
cognition disorders
neuropsychological tests
doença de Alzheimer
demência
transtornos cognitivos
testes neuropsicológicos
Idioma Inglês
Data de publicação 2014-04-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 72, n. 4, p. 273-277, 2014.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 273-277
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/0004-282X20140002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-282X2014000400273 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8363

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X2014000400273.pdf
Tamanho: 123.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta