Severity and prognosis in intensive care: prospective application of the Apache II Index

Severity and prognosis in intensive care: prospective application of the Apache II Index

Autor Costa, Joel Isidoro Google Scholar
Amaral, José Luiz Gomes do Autor UNIFESP Google Scholar
Munechika, Masashi Autor UNIFESP Google Scholar
Juliano, Yara Autor UNIFESP Google Scholar
Bezerra Filho, José Gomes Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Federal University of Ceará
Resumo CONTEXT: The performance of each ICU needs to be assessed within the overall context of medical care, as well as by the institution which the ICU forms part of. Evaluation mechanisms in the field of intensive care have been developed that are recognized worldwide within the scientific literature. OBJECTIVE: To study outcomes from groups of critical patients and to compare their actual and estimated mortality rates. DESIGN: Prospective study of patients' outcomes. SETTING: A tertiary care unit for a period of 13 months (anesthesiology intensive care unit at the Escola Paulista de Medicina). PARTICIPANTS: 520 patients selected according to sex, age and nature of hospitalization. DIAGNOSTIC TEST: The modified APACHE II prognostic index was applied in order to assess clinical severity and anticipation of mortality in three groups who had non-surgical treatment, emergency surgery and elective surgery. MAIN MEASUREMENTS: The APACHE II index. RESULTS: The application of this index allowed patients to be stratified and expected death risks for both subgroups and the entire sample population to be calculated. The observed mortality rate was greater than the expected rate (28.5% versus 23.6%, respectively), with a statistically significant difference. The standardized mortality rate was 1.20. Patients who obtained scores above 25 presented a significant outcome towards death. The most severe and worst evolving cases were, in decreasing order: non-surgical, emergency surgical and scheduled surgical patients; the actual general mortality rate was higher than the expected one. CONCLUSIONS: The use of the APACHE II index made it possible to stratify critical patient groups according to the severity of their condition.

CONTEXTO: É necessário que cada UTI possa avaliar seu próprio desempenho no contexto global da assistência médica e possa ser igualmente avaliada pela instituição em que está inserida. Existem mecanismos avaliadores do tratamento intensivo, amplamente reconhecidos pela literatura médica mundial. OBJETIVOS: Estudar a evolução de grupos de doentes críticos e comparar as respectivas taxas de mortalidade real e esperada. TIPO DE ESTUDO: Estudo prospectivo da evolução de pacientes. LOCAL: Unidade de cuidados terciários de um hospital-escola durante 13 meses. (UTI da Anestesiologia da Escola Paulista de Medicina). PARTICIPANTES: 520 pacientes, agrupados segundo sexo, idade e caráter da internação. TESTE DIAGNÓSTICO: Para avaliação da gravidade e previsão de mortalidade, foi aplicado nos três grupos - doentes não-cirúrgicos, cirúrgicos em urgências e cirúrgicos eletivos - o índice prognóstico APACHE II modificado. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Índice APACHE II. RESULTADOS: O índice permitiu a estratificação e o cálculo do risco de óbito de grupos de doentes. A taxa de mortalidade observada foi superior à esperada (28,5% e 23,6%, respectivamente), com diferença estatisticamente significante, sendo que a razão mortalidade observada/mortalidade esperada foi 1,20. Dos pacientes com escore acima de 25, 89% evoluíram para óbito. Os grupos de pior evolução foram, pela ordem: pacientes não cirúrgicos, cirúrgicos em urgências e cirúrgicos eletivos; a mortalidade geral observada foi superior à esperada. CONCLUSÕES: A aplicação do índice serviu para estratificar grupos de pacientes críticos de acordo com a sua gravidade.
Palavra-chave Severity
Mortality
Intensive Care
APACHE II
Gravidade
Mortalidade
Medicina Intensiva
APACHE II
Idioma Inglês
Data de publicação 1999-09-02
Publicado em São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 117, n. 5, p. 205-214, 1999.
ISSN 1516-3180 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Paulista de Medicina - APM
Extensão 205-214
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31801999000500005
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-31801999000500005 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/827

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-31801999000500005.pdf
Tamanho: 77.57KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta