Aplicability of respiratory muscle strength as part of the surgical risk scale based on Tonrrington and Henderson scoring system

Aplicability of respiratory muscle strength as part of the surgical risk scale based on Tonrrington and Henderson scoring system

Título alternativo Aplicabilidade da média das forças musculares respiratórias como parte da escala de risco cirúrgico baseada na escala de Torrington e Henderson
Autor Freitas, Eliane Regina Ferreira Sernache De Google Scholar
Leoni, Aline Maria Tonin Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
University of Northern Paraná
Irmandade da Santa Casa de Londrina
University of Northern Paraná Hospital Physiotherapy
Hospital Zona Sul
Resumo ObjectiveEvaluate the applicability of mean percentage from the predicted value of respiratory muscle strength (maximal inspiratory pressure-MIP; maximal expiratory pressure-MEP), as (% MIP + % MEP)/2, as well as the peak expiratory flow (% PEF) preoperatively, as part of a surgical risk scale for predicting the risk of postoperative pulmonary complications (PPC). MethodData on patients undergoing elective surgery of chest, abdomen and limbs were assessed preoperatively using the items and the scoring system proposed by the Torrington and Henderson, and replacing spirometry by the mean values of both (% MIP + % MEP)/2 and % PEF. ResultThe proposed scale applied to 108 patients with a mean age of 55.2 ± 14.0 presented PPC rate of 37.0% (p = 0.0001), of which 20.0% were classified as high risk (HR), and 62.5% moderate risk (MR). The mean value of respiratory muscle strength showed a statistically significant correlation with PPC (p = 0.000). ConclusionThe proposed scale allowed the appropriate stratification of patients at risk for development of PPC. The use of the mean values of (% MIP + % MEP)/2 and % PEF based on the predicted values can be easily applied, making spirometry unnecessary.

ObjetivoAvaliar a aplicabilidade da média do percentual do valor predito das forças musculares respiratórias (pressão inspiratória máxima-PImax; pressão expiratória máxima-PEmax), sendo % PImax + % PEmax/2, e do pico de fluxo expiratório (% PFE) no pré-operatório, como parte de uma escala de risco cirúrgico para predizer o risco de complicação pulmonar pós-operatória (CPP). MétodoDados de pacientes submetidos à cirurgia eletiva de tórax, abdômen e membros foram analisados no pré-operatório utilizando os itens e a pontuação proposta pela escala de Torrington e Henderson, e substituindo a espirometria pela média do % PImax + % PEmax / 2 e do % PFE. ResultadoNa escala proposta aplicada a 108 pacientes com idade média de 55,2 ± 14,0 a taxa de CPP foi de 37,0% (p = 0,0001), onde 20,0% foram classificados como de alto risco (RA) e 62,5% risco moderado (RM). O percentual da média da força muscular respiratória apresentou uma correlação significante em relação à CPP na escala proposta (p = 0,000). ConclusãoA escala proposta permitiu estratificar de maneira adequada pacientes com risco de CPP. A utilização da média do % PImax + % PEmax / 2 e do % PFE, baseados nos valores preditos, podem ser facilmente aplicáveis, tornando-se desnecessária a realização da espirometria.
Palavra-chave Postoperative complications
Respiratory muscle
Laparotomy
Thoracotomy
Complicações pós-operatórias
Músculos respiratórios
Laparotomia
Toracotomia
Idioma Inglês
Data de publicação 2014-03-01
Publicado em Fisioterapia em Movimento. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, v. 27, n. 1, p. 67-76, 2014.
ISSN 0103-5150 (Sherpa/Romeo)
Publicador Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Extensão 67-76
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/0103-5150.027.001.AO07
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0103-51502014000100067 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8258

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0103-51502014000100067.pdf
Tamanho: 641.4KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta