Frequencies of interleukin-6, GST and progesterone receptor gene polymorphisms in postmenopausal women with low bone mineral density

Frequencies of interleukin-6, GST and progesterone receptor gene polymorphisms in postmenopausal women with low bone mineral density

Título alternativo Frequência do polimorfismo da interleucina-6, GST, e dos receptores de progesterona em mulheres na pós-menopausa com baixa densidade mineral óssea
Autor Moura, Katia Franco Quaresma de Autor UNIFESP Google Scholar
Haidar, Mauro Abi Autor UNIFESP Google Scholar
Bonduki, Claudio Google Scholar
Feldner Junior, Paulo Cezar Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Ismael Dale Cotrim Guerreiro da Autor UNIFESP Google Scholar
Soares Júnior, José Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo CONTEXT AND OBJECTIVE:Osteoporosis is a skeletal disorder characterized by low bone mineral density (BMD). Studies have shown that some of the genetic components relating to lower BMD may be detected by polymorphisms. Our aim was to evaluate the frequencies of interleukin-6, GST and progesterone receptor gene polymorphisms in postmenopausal women with low BMD.DESIGN AND SETTING:Cross-sectional study, conducted in a public university in São Paulo, Brazil.METHODS : We evaluated interleukin-6 (IL-6), progesterone receptor gene (PROGINS) and glutathione S-transferase (GST) polymorphisms in 110 postmenopausal women with no previous use of hormone therapy. Tests were performed using DNA-PCR, from oral scrapings. We used Student's t-test and a logistic regression model for statistical analysis.RESULTS : Regarding IL-6 polymorphism, 58.2% of the patients were homozygotes (GG) and 41.8% had allele C (heterozygote or mutant homozygote + GC or CC). PROGINS genotype polymorphism was absent in 79% (wild homozygote or P1/P1) and present in 20.9% (heterozygote or P1/P2). Regarding GSTM1 polymorphism, the allele (1/1) was present in 72.7% of the patients and was absent in 27.3%. We found that IL-6 polymorphism had statistically significant correlations with the L2-L4 T-score (P = 0.032) and with BMD (P = 0.005). Women with IL-6 polymorphism were 2.3 times more likely to have a L2-L4 T-score of less than -1, compared with those not presenting this polymorphism.CONCLUSION:IL-6 gene polymorphism was correlated with low BMD, whereas the PROGINS and GSTM1 polymorphisms did not show any correlation.

CONTEXTO E OBJETIVO:A osteoporose é uma desordem esquelética caracterizada por baixa densidade mineral óssea. Estudos têm demonstrado que alguns componentes genéticos relacionados com a menor densidade mineral óssea podem ser detectados por polimorfismos. Nosso objetivo foi avaliar a presença do polimorfismo de genes em mulheres pós-menopáusicas com baixa densidade mineral óssea.TIPO DE ESTUDO E LOCAL:Estudo transversal, conduzido em universidade pública em São Paulo, Brasil.MÉTODOS:Avaliamos os polimorfismos relacionados à interleucina-6 (IL-6), o gene receptor de progesterona (PROGINS) e glutationa S-transferase (GST) em 110 mulheres na pós-menopausa sem terapia hormonal prévia. Os testes foram realizados com DNA-PCR a partir de raspados orais. Foram utilizados teste t de Student e modelo de regressão logística para análise estatística.RESULTADOS:Em relação ao polimorfismo IL-6, 58,2% dos pacientes eram homozigotos (GG) e 41,8% tinham o alelo C (heterozigoto ou homozigoto mutante + GC ou CC). Nos genótipos do polimorfismo PROGINS, 79% estavam ausentes (homozigoto selvagem ou P1/P1) e 20,9% presentes (heterozigoto ou P1/P2). No polimorfismo do GSTM1, o alelo (1/1) estava presente em 72,7% dos pacientes e ausente em 27,3%. Encontramos significância estatística entre o polimorfismo genético da IL-6 com o T-score de L2-L4 (P = 0,032) e a densidade mineral óssea (P = 0,005). As mulheres com polimorfismo da IL-6 tiveram 2,3 vezes mais chance de ter menos de -1 na L2-L4 T-score, quando comparadas às não portadoras.CONCLUSÃO:O polimorfismo do gene da IL-6 está correlacionado com baixa densidade mineral óssea, enquanto os polimorfismos GSTM1 e PROGINS não mostraram correlação.
Palavra-chave Polymorphism, genetic
Interleukins
Receptors, progesterone
Bone density
Postmenopause
Polimorfismo genetico
Interleucinas
Receptores de progesterona
Densidade ossea
Pos-menopausa
Idioma Inglês
Data de publicação 2014-01-01
Publicado em São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 132, n. 1, p. 36-40, 2014.
ISSN 1516-3180 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Paulista de Medicina - APM
Extensão 36-40
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/1516-3180.2014.1321566
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-31802014000100036 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8175

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-31802014000100036.pdf
Tamanho: 502.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta