O teto de vidro nas organizações públicas: evidências para o Brasil

Exibir registro simples

dc.contributor.author Vaz, Daniela Verzola [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-06-14T13:46:47Z
dc.date.available 2015-06-14T13:46:47Z
dc.date.issued 2013-12-01
dc.identifier http://dx.doi.org/10.1590/S0104-06182013000300007
dc.identifier.citation Economia e Sociedade. Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, v. 22, n. 3, p. 765-790, 2013.
dc.identifier.issn 0104-0618
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/8116
dc.description.abstract In Brazil women are still underrepresented in upper-level positions in companies. This situation, however, is frequently not recognized by leaders. In public service, in particular, the adoption of more transparent recruitment practices and the egalitarian treatment to members of the same career may give the misleading impression that the glass ceiling phenomenon is less pronounced. This article gathers evidences that the concerns of the public sector with the adoption of more transparent recruitment practices do not prevent the persistence of hierarchical gender segregation among public employees. Female underrepresentation at the top of public organizations can be observed either in administrative and technical tasks. Discrimination practices alone do not explain the phenomenon, which is also rooted in the intersections between private and professional life. en
dc.description.abstract No Brasil, as mulheres ainda são raras nos altos postos de comando das organizações. A percepção desta situação por parte dos dirigentes, no entanto, nem sempre é clara. No serviço público, em particular, a atitude menos discriminatória nas contratações - já que o acesso ao emprego público depende, via de regra, de aprovação prévia em concurso -, e a garantia de igualdade de tratamento a integrantes de uma mesma carreira conduzem à impressão de que o teto de vidro seja menos pronunciado. Este artigo reúne evidências de que, a despeito de seu modo de recrutamento por concurso, as carreiras do setor público brasileiro tampouco escapam ao teto de vidro. A distribuição desigual das mulheres nas distintas instâncias hierárquicas das organizações públicas se faz notar tanto em âmbito administrativo quanto técnico. As práticas discriminatórias sozinhas não explicam o fenômeno, cujas raízes também devem ser buscadas nas intersecções entre vida doméstica e profissional. pt
dc.format.extent 765-790
dc.language.iso por
dc.publisher Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas
dc.relation.ispartof Economia e Sociedade
dc.rights Acesso aberto
dc.subject Discrimination en
dc.subject Gender en
dc.subject Glass ceiling en
dc.subject Public sector en
dc.subject Discriminação pt
dc.subject Gênero pt
dc.subject Teto de vidro pt
dc.subject Setor público pt
dc.title O teto de vidro nas organizações públicas: evidências para o Brasil pt
dc.title.alternative The glass ceiling in public organizations: the case of Brazil en
dc.type Artigo
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.description.affiliation Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) Escola Paulista de Política, Economia e Negócios
dc.description.affiliationUnifesp UNIFESP, Escola Paulista de Política, Economia e Negócios
dc.identifier.file S0104-06182013000300007.pdf
dc.identifier.scielo S0104-06182013000300007
dc.identifier.doi 10.1590/S0104-06182013000300007
dc.description.source SciELO



Arquivo

Nome: S0104-06182013000300007.pdf
Tamanho: 630.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Exibir registro simples

Buscar


Navegar

Minha conta