Assessing morbidity in the paediatric community

Assessing morbidity in the paediatric community

Título alternativo Avaliação da morbidade em comunidade infantil
Autor Escuder, Maria Mercedes Loureiro Google Scholar
Silva, Nilza Nunes da Autor UNIFESP Google Scholar
Pereira, Júlio Cesar Rodrigues Google Scholar
Puccini, Rosana Fiorini Autor UNIFESP Google Scholar
Herrman, Anneliese A Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Secretaria da Saúde
Universidade de São Paulo (USP)
Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo INTRODUCTION: Morbidity information is easily available from medical records but its scope is limited to the population attended by the health services. Information on the prevalence of diseases requires community surveys, which are not always feasible. These two sources of information represent two alternative assessments of disease occurrence, namely demand morbidity and perceived morbidity. The present study was conceived so as to elicit a potential relationship between them so that the former could be used in the absence of the latter. METHODS: A community of 13,365 families on the outskirts of S. Paulo, Brazil, was studied during the period from 15/Nov/1994 to 15/Jan/1995. Data regarding children less than 5 years old were collected from a household survey and from the 2 basic health units in the area. Prevalence of diseases was ascertained from perceived morbidity and compared to estimates computed from demand morbidity. RESULTS: Data analysis distinguished 2 age groups, infants less than 1 year old and children 1 to less than 5. The most important groups of diseases were respiratory diseases, diarrhoea, skin problems and infectious & parasitical diseases. Basic health units presented a better coverage for infants. Though disease frequencies were not different within or outside these units, a better coverage was found for diarrhoea and infectious & parasitical diseases in the infant group, and for diarrhoea in the older age group. Equivalence between the two types of morbidity was found to be limited to the infant group and concerned only the best covered diseases. The odds of a disease being seen at the health service should be of at least 4:10 to ensure this equivalence. CONCLUSION: It was concluded that, provided that health service coverage is good, demand morbidity can be taken as a reliable estimate of community morbidity.

INTRODUÇÃO: Informações sobre morbidade são de fácil acesso através de registros médicos. Porém seu escopo é limitado à população ou grupo que demanda o serviço. Informações de prevalência de doenças requerem inquéritos domiciliares, os quais nem sempre são possíveis. Estas duas fontes de informação representam duas alternativas para avaliação da ocorrência de doenças na comunidade, chamadas morbidade de demanda e morbidade referida. O objetivo do estudo foi pesquisar uma possível relação entre elas, a fim de validar a primeira na ausência da segunda fonte. MÉTODOS: Uma comunidade de 13.365 famílias de dois bairros do Município do Embu, Grande São Paulo, Brasil, foi estudada durante o período de 15/11/94 a 15/01/95. Foram coletados dados referentes à morbidade de crianças menores de 5 anos por meio de inquérito domiciliar e de registros de consultas médicas de duas unidades básicas de saúde (UBS). A prevalência de doenças foi calculada a partir dos dados de morbidade referida e comparada com a estimativa de prevalência extraída dos dados de demanda. RESULTADOS: O estudo trabalhou com dois grupos etários separadamente: crianças menores de um ano e de 1 a 4 anos completos. Os grupos de doenças mais importantes foram doenças respiratórias, diarréia, problemas de pele e outras doenças infecciosas ou parasitárias. As UBS apresentaram melhor cobertura para os menores de um ano. A ocorrência de doenças não mostrou diferença dentro ou fora das unidades, as quais cobrem apenas diarréia e outras doenças infecciosas ou parasitárias para menores de um ano, e diarréia no grupo etário mais velho. Foi encontrada equivalência entre as duas fontes de morbidade no grupo etário de menores de um ano, referindo-se aos grupos de doença que apresentam maior cobertura. Um odds de procura de serviço por grupo de doenças igual ou superior a 4:10 parece assegurar a equivalência de prevalência. CONCLUSÃO: Provida uma boa cobertura dos serviços de saúde, os dados de morbidade de demanda podem ser usados como indicadores da morbidade da comunidade.
Palavra-chave Ambulatory care
Morbidity surveys
Health services needs and demand
Assistência ambulatorial
Inquéritos de morbidade
Necessidades e demanda de serviços de saúde
Idioma Inglês
Data de publicação 1999-08-01
Publicado em ESCUDER, Maria Mercedes L et al . Assessing morbidity in the paediatric community. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 33, n. 4, p. 349-357, ago. 1999
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 349-357
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101999000400005
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000083410200005
SciELO S0034-89101999000400005 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/808

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-89101999000400005.pdf
Tamanho: 567.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta