Biometria no crescimento do olho alto míope na infância

Biometria no crescimento do olho alto míope na infância

Título alternativo Biometry in the growth of the high myopic eye in childhood
Autor Franco, Adriana Miranda De Magalhães Autor UNIFESP Google Scholar
Lopes, Yara Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Souza, Paulo Henrique De Autor UNIFESP Google Scholar
Allemann, Norma Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To determine if the growth of the axial length measured by optical and ultrasound biometry in a pediatric population of high myopes is significant, as well as significant variation of lens thickness, anterior chamber depth, corneal curvature and ophthalmoscopic findings during follow-up. METHODS: A pediatric population (mean age: 8.7 years old) of 11 high myopic eyes (mean initial refractive error: -11.28 D) was submitted to serial evaluation over a 9-months period including optical (IOLMaster, Zeiss) and ultrasound biometry (Ultrascan, Alcon, contact technique), cycloplegic refraction, indirect ophthalmoscopy and fundus photography. RESULTS: During a 9-months period, eye growth was significant in 64% (7 eyes) and did not occur in 36% (3 eyes), with change in the mean axial length (pre=26.76 mm; final=26.98 mm). During this period, refractive spherical equivalent increased in 45% (5 eyes), did not show variation in 27% (3 eyes), with a change in mean refraction (pre=-11.28 D; final=-11.69 D). There was no statistically significant variation of lens thickness, anterior chamber depth, corneal curvature and ophthalmoscopic findings. CONCLUSION: Ocular globe growth (axial length) measured by optic and ultrasound biometry was significant in the high myopic pediatric population examined. The findings suggest that axial length variation preceded variation of other structures in the sample examined. In a group of children with high myopia followed during a 9-months period, ocular growth was demonstrated with variation of axial length either with optical or ultrasound biometry techniques, and change in mean refraction. Other parameters studied as lens thickness, anterior chamber depth and corneal curvature did not demonstrate variation during the time of the study.

OBJETIVO: Determinar se o crescimento do globo ocular mensurado através da biometria óptica e ultrassônica em uma população pediátrica de altos míopes é significante, assim como variação significante da espessura do cristalino, profundidade da câmara anterior, curvatura corneana e achados fundoscópicos durante o acompanhamento. MÉTODOS: Uma população pediátrica (idade média: 8,7anos), 11 olhos de crianças portadoras de alta miopia (refração média inicial: -11,28D) foi submetida a avaliação seriada num período de nove meses incluindo-se biometria óptica (IOLMaster, Zeiss) e ultrassônica (Ultrascan, Alcon; técnica de contato), refratometria estática, oftalmoscopia indireta e retinografia. RESULTADOS: No período de nove meses, o crescimento do olho foi estatisticamente significante em 64% (7 olhos) e não ocorreu em 36% (3 olhos), com modificação do comprimento axial médio (pré=26,76 mm; final=26,98 mm). Neste período, o equivalente esférico refracional aumentou em 45% (5 olhos), não apresentou variação em 27% (3 olhos), com modificação da refração média (pré=-11,28 D; final=-11,69 D). Não houve variação estatisticamente significante da espessura do cristalino, profundidade da câmara anterior, curvatura corneana e do aspecto fundoscópico. CONCLUSÃO: No grupo de crianças com alta miopia acompanhadas num período de nove meses, demonstrou-se o crescimento do globo ocular com variação do comprimento axial tanto pela técnica de biometria óptica quanto ultrassônica, e com aumento da refratometria média. Outros parâmetros estudados como espessura do cristalino, profundidade da câmara anterior e curvatura da córnea não demonstraram variação no período de tempo do estudo.
Palavra-chave Biometry
Myopia
Axial length, eye
Eye
Disease progression
Refraction, ocular
Refractometry
Retina
Humans
Biometria
Miopia
Comprimento axial do olho
Olho
Progressão da doença
Refração ocular
Refratometria
Retina
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2013-10-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 76, n. 5, p. 265-269, 2013.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 265-269
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492013000500002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000327323800002
SciELO S0004-27492013000500002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7979

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492013000500002.pdf
Tamanho: 435.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta