Is it safe the empirical distal femoral resection angle of 5 to 6 of valgus in the Brazilian geriatric population?

Is it safe the empirical distal femoral resection angle of 5 to 6 of valgus in the Brazilian geriatric population?

Título alternativo E seguro o corte femoral distal em artroplastia total do joelho com 5 a 6 de valgo empiricamente na populacao geriatrica brasileira?
Autor Rezende, Fernando Cury Google Scholar
Ferreira, Marcio de Castro Google Scholar
Debieux, Pedro Autor UNIFESP Google Scholar
Franciozi, Carlos Eduardo da Silveira Autor UNIFESP Google Scholar
Luzo, Marcus Vinicius Malheiros Autor UNIFESP Google Scholar
Carneiro, Mario Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital do Coracao de São Paulo Orthopedics and Sports Rehabilitation Center
Resumo OBJECTIVE:The purpose of this study is to determine if there is a safe distal femoral resection angle to restore the normal axial alignment of the limb in total knee arthroplasty (TKA) in the Brazilian geriatric population with knee arthrosis.METHOD:This study analyzed 99 pre-operative hip-knee-ankle radiographs of osteoarthritic knees of 66 patients (54 women, 12 men) with knee osteoarthritis. The distal femoral cut angle was determined based on the femoral mechanical-anatomical angle (FMA). Mean, median and standard deviation measurements of the distal femoral cut angle were calculated, differentiated by gender and side. The mean result of the distal femoral resection angle was compared to 5.7°, the mean average angle of previous and similar study based on European population of patients with knee arthrosis.RESULTS:The mean average of the distal femoral resection angle of the study was 6.05 (range 3-9°). The distribution of this angle between genders showed a slight superior average of the male population (6.17°) compared to the female (6.02°), but with no statistically significant difference (p = 0.726). There was no statistically significant difference (p = 0.052) between the mean average of this study (6.05°) compared to the mean average of the literature (5.7°). However, considering 3° as the limit of acceptable error in the coronal plane, this empirical femoral resection angle would not be appropriated for 19.7% of the population.CONCLUSION:The distal femoral resection angle of 5-6° is not completely safe for the Brazilian geriatric population.

OBJETIVO:Determinar se existe um ângulo seguro para o corte femoral distal, para que o membro resulte alinhado após uma artroplastia total de joelho (ATJ), na população geriátrica brasileira com gonartrose.MÉTODO:Foram feitas radiografias panorâmicas de 99 membros inferiores em 66 pacientes consecutivos (54 mulheres e 12 homens) portadores de gonartrose do joelho. O ângulo do corte femoral distal foi determinado pelo encontro entre o eixo mecânico femoral (EMF) e o eixo anatômico femoral (EAF). Foram calculados os valores da média, o desvio padrão e a mediana do ângulo do corte femoral distal desses pacientes diferenciados por sexo e lado. O valor médio do ângulo de corte do fêmur distal ideal aqui obtido foi comparado com o valor médio de 5,7 obtido em estudo prévio semelhante a esse feito com populações europeias de pacientes osteoartríticos submetidos a ATJ.RESULTADOS:A média do ângulo formado pelos EAF × EMF, considerado o ângulo do corte femoral distal em uma ATJ, do grupo estudado foi de 6,05 (variação de 3° a 9°). A distribuição desse ângulo entre os sexos evidenciou uma média discretamente superior entre os homens (6,17°) em comparação com as mulheres (6,02°), porém sem significância estatística (p = 0,726). Não houve diferença estatística (p = 0,052) entre o valor médio obtido na amostra atual (6,05 - DP 1,27) com o valor médio obtido na literatura (5,7°). Entretanto, se considerarmos aceitável um erro de 3° no plano coronal, 19,7% da população operada se encontrariam fora dessa faixa aceitável se optarmos pelo corte femoral empírico de acordo com o instrumental.CONCLUSÃO:O corte femoral distal na ATJ em 5° ou 6° de valgo não é completamente seguro para a população geriátrica brasileira.
Palavra-chave Knee joint
Arthroplasty knee replacement
Ostearthritis
Panoramic radiography
Articulacao do joelho
Artroplastia do joelho
Osteoartrite
Radiografia panoramica
Idioma Inglês
Data de publicação 2013-09-01
Publicado em Revista Brasileira de Ortopedia. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 48, n. 5, p. 421-426, 2013.
ISSN 0102-3616 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Extensão 421-426
Fonte http://dx.doi.org/10.1016/j.rboe.2012.08.009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-36162013000500421 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7956

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-36162013000500421.pdf
Tamanho: 867.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta