Intracapsular dexamethasone implant in patients undergoing phacoemulsification and intraocular lens implantation

Intracapsular dexamethasone implant in patients undergoing phacoemulsification and intraocular lens implantation

Título alternativo Implante intracapsular de dexametasona em pacientes submetidos a facoemulsificação e implante de lente intraocular
Autor Vianna, Lucas Monferrari Monteiro Autor UNIFESP Google Scholar
Freitas, Lincoln Leme Autor UNIFESP Google Scholar
Nosé, Walton Autor UNIFESP Google Scholar
Kanecadan, Liliane Andrade Almeida Autor UNIFESP Google Scholar
Soriano, Eduardo Sone Autor UNIFESP Google Scholar
Muccioli, Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Belfort, Rubens Junior Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To relate the outcomes of 7 eyes of 7 patients in which a dexamethasone 0.7 mg implant (Ozurdex®) was placed inside the capsule bag after phacoemulsification and intraocular lens (IOL) implantation and compare with the fellow eyes, that were operated by the same technique and received dexamethasone eyedrops in the post-operatory. METHODS: Report review of 7 eyes of 7 patients who received dexamethasone 0.7 mg implant after phacoemulsification and IOL, comparing them to the fellow eyes. All the patients underwent bilateral cataract surgery, with one month interval, by the same technique and by experienced surgeons, without complications. Post operatory medication consisted of moxifloxacin eye drops for all the 14 eyes and topic dexamethasone for the 7 eyes that did not received the implant. RESULTS: Nuclear cataract classification (according to LOCS III) was 3.28 ± 0.69 in the implant eye group and 3.14 ± 0.83 in the fellow eye group. Postoperative best spectacle correct visual acuity (BSCVA) was 0.85 ± 0.12 and 0.87 ± 0.13, respectively in the implant and fellow eye groups. The intraocular pressure remained stable and similar to the pre-operative measurements. Anterior chamber reaction and cornea edema were similar in both groups in the follow-up. Two of the four no sutured pellet migrated to the anterior chamber during the first post-operative week and had to be repositioned. Another no sutured pellet dislocated and remained partially inside the capsule bag. The 3 patients with IOL haptic-sutured pellet had no complications. CONCLUSIONS: In the present study, dexamethasone 0.7mg implant were effective in controlling the inflammation after phacoemulsification and IOL implantation, with no significant side effects.

OBJETIVOS: Relatar os resultados de 7 olhos de 7 pacientes em que foi realizado o implante de dexametasona 0,7 mg (Ozurdex®) no saco capsular após facoemulsificação e implante de lente intraocular (LIO) e comparar com os olhos contralaterais, que foram operados pela mesma técnica e receberam colírio de dexametasona no pós-operatório. MÉTODOS: Relato de casos de 7 olhos de 7 pacientes que receberam o implante de dexametasona 0,7 mg após facoemulsificação e implante de LIO, comparando-os com os olhos contralaterais. Todos os pacientes foram submetidos a cirurgia de catarata bilateral, com intervalo de um mês entre as cirurgias, pela mesma técnica, por cirurgiões experientes e sem complicações. No pós-operatório foi utilizado colírio de moxifloxacino em todos os 14 olhos e dexametasona tópica nos olhos que não receberam o implante. RESULTADOS: A classificação da catarata de acordo com o LOCS III foi de 3,28 ± 0,69 no grupo que recebeu o implante e 3,14 ± 0,83 no grupo de olhos contralateral. A acuidade visual com melhor correção foi de 0,85 ± 0,12 e 0,87 ± 0,13 respectivamente nos grupos com e sem implante. A pressão intraocular permaneceu estável e similar aos valores pré-operatórios. A reação de câmara anterior e o edema de córnea foram similares nos dois grupos. Dois dos 4 implantes sem sutura migraram para a câmara anterior durante a primeira semana de pós-operatório e necessitaram de reposicionamento. Outro implante sem sutura teve deslocamento e permaneceu parcialmente dentro do saco capsular. Os 3 pacientes com implante suturado não tiveram complicações. CONCLUSÃO: No presente estudo, o implante de dexametasona 0,7 mg foi efetivo no controle da inflamação intraocular após cirurgia de facoemulsificação e implante de LIO, sem efeitos colaterais significativos.
Palavra-chave Cataract
Dexamethasone
Administration, topical
Phacoemulsification
Catarata
Dexametasona
Administração tópica
Facoemulsificação
Idioma Inglês
Data de publicação 2013-08-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 76, n. 4, p. 226-228, 2013.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 226-228
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492013000400007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000324914800007
SciELO S0004-27492013000400007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7908

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492013000400007.pdf
Tamanho: 522.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta