Clavicle fractures - incidence of supraclavicular nerve injury

Clavicle fractures - incidence of supraclavicular nerve injury

Título alternativo Fraturas da clavicula - incidencia de lesao do nervo supraclavicular
Autor Labronici, Pedro Jose Google Scholar
Segall, Fabio Soares Google Scholar
Martins, Bernardo Augusto Google Scholar
Franco, Jose Sergio Google Scholar
Labronici, Gustavo Jose Google Scholar
Silva, Bruno De Araujo Google Scholar
Rocha, Leonardo Rosa Da Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Santa Teresa
UFRJ School of Medicine Department of Orthopedics and Traumatology
Hospital Estadual de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu
Instituto Nacional de Ortopedia e Traumatologia
Resumo OBJECTIVE:To analyze retrospectively 309 fractures in the clavicle and the relation with injury of the supraclavicular nerve after trauma.METHODS:It was analyzed 309 patients with 312 clavicle fractures. The Edinburgh classification was used. Four patients had fractures in the medial aspect of the clavicle, 33 in the lateral aspect and 272 in the diaphyseal aspect and three bilateral fractures.RESULTS:255 patients were analyzed and five had paresthesia in the anterior aspect of the thorax. Four patients had type 2 B2 fracture and one type 2 B1 fracture. All patients showed spontaneous improvement, in the mean average of 3 months after the trauma.CONCLUSION:Clavicle fractures and/ or shoulder surgeries can injure the lateral, intermediary or medial branches of the supraclavicular nerve and cause alteration of sensibility in the anterior aspect of the thorax. Knowledge of the anatomy of the nerve branches helps avoid problems in this region.

OBJETIVO:Analisar retrospectivamente 309 fraturas da clavícula e sua relação com a lesão do nervo supraclavicular após trauma.MÉTODOS:Foram analisados 309 pacientes com 312 fraturas da clavícula. Foi usada a classificação de Edinburgh. Quatro pacientes apresentavam fraturas da região medial da clavícula, 33 da região lateral, 272 da região diafisária e três com fraturas bilaterais.RESULTADOS:Foram analisados 255 pacientes e cinco apresentavam parestesia na região anterior do tórax. Quatro pacientes apresentaram fratura do tipo 2 B2 e um do tipo 2 B1. Todos os pacientes tiveram melhoria espontânea, em média de três meses após o trauma.CONCLUSÃO:Fraturas da clavícula e/ou cirurgias no ombro podem lesar os ramos lateral, intermediário ou medial do nervo supraclavicular e causar alteração da sensibilidade na região anterior do tórax. O conhecimento da anatomia dos ramos nervosos ajuda a evitar problemas nessa região.
Palavra-chave Clavicle
Fractures bone
Nerve compression syndromes
Clavicula
Fraturas osseas
Sindromes de compressao nervosa
Idioma Inglês
Data de publicação 2013-08-01
Publicado em Revista Brasileira de Ortopedia. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 48, n. 4, p. 317-321, 2013.
ISSN 0102-3616 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Extensão 317-321
Fonte http://dx.doi.org/10.1016/j.rbo.2012.09.008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-36162013000400317 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7886

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-36162013000400317.pdf
Tamanho: 1.076MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta